Esse vai ser o slogan do grupo de Joaquim Neto nos próximos quatro anos da gestão do novo prefeito Padre Joselito e do seu vice Júnior Darita.

Derrotado por mais de 6 mil votos de diferença o atual prefeito Joaquim Neto volta para a planície, enterrando o seu sonho de ser deputado estadual e assumindo o papel de oposição à nova gestão.

Gravatá passa a ter novos atores no processo de decisão político-administrativa como o deputado Waldemar Borges, o ex-prefeito Osano Brito entre outros que fazem parte do grupo político que venceu as eleições de 2020.

Segundo o novo prefeito, o que a população quer é resultados. Disse ele que onde chegava alguém apontava para o esgoto e perguntava: “vai resolver”? mostrava a falta de calçamento e questionava: “vai calçar”? indicava as estradas rurais e questionava: “vai dar jeito”? O desemprego? “vai gerar empregos”? Por isso, ele concluiu que o povo não quer mais conversas quer ações e, segundo ele, a prefeitura tem condições de atender essas necessidades e a nova administração vai desviar o seu olhar dazelite, dos ricos e vai mirar nos invisíveis, nos ninguéns.

Para Darita é inadmissível que Gravatá tenha barracos, favelas, miseráveis e falta de emprego, pois recursos a prefeitura tem para melhorar a vida das pessoas.

Aos vencedores: “as batatas” (quentes) e aos perdedores a obrigação de refletir o por quê da derrota e fiscalizar para que essas necessidades sejam atendidas.