A foto é emblemática a vala no meio supostamente separa os dois PSB´s de Gravatá: de um lado o PSB de Waldemar Borges com Ozano, Miaeiro, Maria Araújo e Vital Novaes e do outro o PSB de Darita e de João Paulo.

Como o PSB tem três candidatos a prefeito: o deputado estadual Waldemar Borges, o suplente de deputado federal Júnior Darita e o empresário João Paulo que foi candidato a prefeito nas últimas eleições, perdendo para  o atual Joaquim Neto, vai ter que conversar muito para chegar a um consenso e escolher um deles para disputar as eleições..

Pelo voar da pomba do PSB não será uma tarefa fácil definir quem vai ser o cabeça de chapa contra Joaquim Neto, que assiste de camarote a luta interna para saber qual candidato do governador Paulo Câmara ele vai enfrentar.

O que não podemos esquecer é que Joaquim Neto é um animal político que faz política 24 horas e deve fomentar inclusive algumas candidaturas porque quanto mais dividida a oposição mais fácil a sua vitória à reeleição.

Num cenário somente com ele e o candidato do PSB o esforço será muito maior, pois um disputa polarizada sempre tem resultados imprevisíveis.

Já no caso de vários candidatos fica uma campanha bem tranquila para Joaquim Neto e assim com mais um do PT, Eduardo Cassapa ou André Fernandes, outro do PCO, Oswaldo Alves, outro do PDT que pode ser o próprio João Paulo que se for rifado do processo, pode voltar aos braços pedetistas, além de outros nomes que estão surgindo como Gustavo da Serraria que dizem será candidato, Hilton Pimentel e Daniel Alves de Chã Grande que tirou o PR de Fernando Resende e agora é eleitor e presidente do partido em Gravatá, é provável que Joaquim Neto chegue facilmente a mais um mandato.

Assim contra uma oposição mais uma vez dividida, o atual prefeito caminha sem problema para a sua reeleição e para mais uma vez administrar a cidade de Gravatá se igualando a Aarão e sendo prefeito por quatro vezes.