1 de maio de 2019 às 09:37h

“Vivenciando Cultura Indígena” na esscola Céu Azul

A presidente da Academia de Letras e Artes de Gravatá – ALAG, Célia Soares, junto com os Acadêmicos, Terezinha Carvalho, Anchieta Antunes e Dea Coirolo participaram de um evento que trouxe ao município representantes representantes da tribo da Aldeia Xucuru do Ororubá da cidade de Pesqueira, com seus trajes típicos e artefatos artesanais, destacando suas saias de palha, barretinas, cocais, maracás e outros elementos tradicionais do dia a dia dos índios nas suas comunidades, dentro do projeto pedagógico “Vivenciando Cultura Indígena”.

A gestora da Escola Céu Azul professora Joseane Paz  e a Professora Maria do Carmo da Silva,responsáveis pelo projeto estimularam os estudantes a dançarem, ouvirem palestras sobre os diferentes aspectos da vida Indígena e conhecer os instrumentos e as músicas, bem como as refer~encias às suas crenças e saberes.

Para nós que fazemos parte da ALAG essa troca de experiências tem influência não só na dança, mas também na arte, na música e na literatura e nos convencemos cada vez mais sobre a necessidade de colaborarmos com projetos que visem divulgar, defender e preservar a cultura indígena, disse Célia Soares.

Nós que fazemos a Escola Céu Azul estamos muito felizes com o resultado do projeto e também com a interação na sociedade agradecendo aos acadêmicos que aqui compareceram para prestigiar essa grande evento e que com certeza vai fazer do calendário escolar, afirmou Joseane Paz, diretora da escola.

Anchieta Antunes membro da ALAG deu os parabéns aos gestores e professores da instituição de ensino pelo belo trabalho realizado que tem como objetivo o resgate dos valores da vida dos povos indígenas de Pernambuco.

30 de abril de 2019 às 07:13h

A importância do AVCB para os edifícios

AVCB (auto de vistoria do corpo de bombeiros) veja sua importância nos edifícios em geral.

Quando algo grave ocorre, vem à tona a preocupação sobre qual o nível de prevenção que os condomínios vem mantendo em relação ao perigo de incêndios e desabamentos.

Vejam que nos últimos anos, muitas tragédias tomaram os noticiários não só do país , mas do mundo como foi o caso do trágico incêndio que dizimou o Museu de História Nacional do Rio de Janeiro, o que foi um prejuízo incalculável em todos os sentidos.

O caso também do prédio que caiu no centro de São Paulo, mais uma tragédia, em comum, a falta flagrante de cuidado com a manutenção preventiva dos espaços que poderia ter salvado não apenas as estruturas, mas ter preservado vidas, no caso de São Paulo, ou um acervo incrível, no caso do museu do Rio de Janeiro.

Sabemos que este tipo de situação não ocorre em edifícios antigos, pode acontecer quem qualquer edifício.
Qualquer edifício está sujeito a ter que lidar com um incêndio.

É muito comum percebermos condomínios com AVCB (auto de vistoria do corpo de bombeiros) vencido, extintores sem manutenção, portas corta fogo danificadas, mangueiras de incêndio bloqueadas , hidrantes sem pressão para bombear a água até o local,caixas d`água sem reserva de incêndio, saídas de emergência bloqueadas, ou seja, inúmeros pontos que colocam em risco a segurança dos condomínios.

Importante frisar que o síndico ou a administradora do condomínio, como representante legal do condomínio, é total responsável pela verificação e acompanhamento das rotinas de prevenção e manutenção, e que, qualquer fato ocorrido, decorrente de sua omissão ou negligência, poderá incorrer em sérias sanções.

O artigo 1348 do Código Civil reforça esse entendimento, quando em seu parágrafo II, imputa ao síndico o dever de “representar, ativa e passivamente, o condomínio, praticando, em juízo ou fora dele, os atos necessários à defesa dos interesses comuns”.

Outro aspecto que deve sempre ser lembrado é que, se a manutenção de todos estes itens não estiver em dia, sempre realizada por empresas credenciadas junto ao Corpo de Bombeiros, não há cobertura do seguro contra incêndio, item este que também está previsto no artigo 1346 do Código Civil.

Casos do tipo em edifícios residenciais são mais frequentes do que se imagina.

É por isso que em diversos estados se pede um AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros), ou documento similar.

Essa vistoria por parte do Corpo de Bombeiros prova que o condomínio está em dia com diversas obrigações de segurança.

E é com um conjunto de documentos que se começa a caminhar rumo ao AVCB ou Certificado de Aprovação.

Apesar de representar um grande investimento, é de extrema importância que os síndicos tenham a consciência da importância de se ter o AVCB em dia.

É importante frisar que a principal questão aqui não é financeira. Afinal, se o condomínio sofrer um sinistro, como um incêndio, além de colocar em risco todos os moradores, pode ter dificuldades para o recebimento do dinheiro do seguro por não estar com a documentação em dia.

Outro ponto é que o síndico pode responder civil e criminalmente, caso aconteça uma morte ou algo mais trágico.

É importantes para quem vai vender, comprar ou alugar, saber se o local está bem servido de todos os itens de segurança emitido pelas autoridades e se o AVCB do local está em dia.

Bom saber também se existe alguma interdição no local que pode colocar em risco vidas e etc.

Afinal , seguro morreu de velho e todo cuidado é pouco, pois com fogo não se brinca.

Nely Alves Gomes
Advogada-Direito imobiliário

25 de abril de 2019 às 21:27h

Gravatá se prepara para o São João 2019

Venha para o São João de Gravatá Lugar de Gente Feliz

A cidade já começa a debater o São João 2019 para manter a tradição de realizar não o maior, mais o melhor São João do interior de Pernambuco. Destacando-se nos grandes eventos que realiza e que atrai sempre grandes multidões o município através dos comerciantes, da rede hoteleira,  juntamente com representantes do mercado imobiliário e da prefeitura, dá início aos projetos que farão parte da programação do evento a fim de garantir uma presença cada vez maior de turistas.

Uma das ideias será a realização do primeiro Salão Imobiliário de Gravatá numa parceria com os corretores de imóveis e a Caixa Econômica Federal, onde será instalado um espaço no pátio de eventos ou em outro ponto da cidade para a colocação dos estandes com a disponibilização dos imóveis a serem comercializados.

Corretores de renome da cidade como Antonio Miranda, Alexandre Rabelo, Ricardo Emanoel, Eucleciano Mendes, Maria Corretora, Luciana Corretora, Graça Imóveis, Gilda Corretora, Alba Lins, Anderson Corretor, Fernando Cavalcante, Veloso Imóveis, Josivan Lima, Roseilda, Manoel Torres, Olga Corretora, Tomaz de Aquino e outros serão chamados para discutir o projeto e assim dinamizar o mercado imobiliário durante o período junino e também das férias e do frio em junho, julho e agosto, ou seja o período de alta temporada da região do Agreste.

Grande Oportunidade para quem quer um investimento seguro e com retorno garantido em Gravatá.

24 de abril de 2019 às 20:01h

CRECI OFERECE CURSO GRATUITO A DISTÂNCIA EM AVALIAÇÃO IMOBILIÁRIA

O Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Pernambuco, através do Programa de Educação Continuada ao Corretor de Imóveis, abrirá no dia 29 deste mês, a partir das 10h, as inscrições para a primeira turma a Distância em Avaliação Imobiliária.

Serão ofertadas 100 vagas para turma edição 001, com o início previsto para 13 de maio de 2019.

Estas vagas estarão disponíveis apenas, aos profissionais inscritos no CRECI-PE, e EM DIA com suas obrigações perante a Autarquia.

O acesso ao curso das inscrições deferidas somente poderá ser realizado através do e-mail Corretor de Imóveis, com o final “@creci.org.br”.

O Prazo para completar todas as atividades se dará até às 23:59h do dia 13/06/2019.

Serão ministradas 14 aulas e cada aula ficará no ar por 48h (2 dias inteiros – das 00h01 de um dia às 23h59 do dia seguinte).

A Prova Final será realizada no local a ser definido e divulgado posteriormente por este Conselho, quando o aluno deverá comparecer pessoalmente para responder às questões em material impresso nominal ao aluno do curso.

O certificado a ser conferido ao seu término, será disponibilizado desde que tenham sido preenchidos os requisitos previstos para seu recebimento, permitindo também, o cadastramento no CNAI – Cadastro Nacional de Avaliadores de Imóveis, o qual é de competência do COFECI – Conselho Federal de Corretores de Imóveis.

Segundo o Presidente do Conselho, Francisco Monteiro, este foi mais um desafio conquistado pela nova diretoria.” Esta iniciativa da atual gestão em promover gratuitamente a primeira turma do Curso a Distância em Avaliação de Imóveis, através do Programa PROECCI, tão procurado pela categoria desde sua implantação em meados de 2018, e nunca promovido aqui em Pernambuco, além de capacitar nosso profissionais, irá habilitar novos Avaliadores de Imóveis no Estado, com direito ao Registro no CNAI, o que nos deixa muito felizes e satisfeitos”, declarou.

Inscrições e mais informações: ead.creci.org.

19 de abril de 2019 às 07:55h

18 de abril de 2019 às 05:36h

Caruaru ganha mais um grande lançamento imobiliário

A Mori Mori apresenta o residencial Neusa Garcia, mais um grande lançamento imobiliário na cidade de Caruaru.

Localizado próximo ao  bairro Luiz Gonzaga perto do Polo Comercial, contando com farmácia, padaria, escolas, lojas de conveniência, tudo pertinho de você para lhe dar conforto, segurança e tranquilidade.

Você vai ter à sua disposição ruas pavimentadas, ciclovias, abastecimento de água e energia, transporte coletivo, praças e áreas verdes e o melhor a garantia Mori Mori que já se consolidou em Caruaru como uma empresa que faz.

Já imaginou vencer a batalha do aluguel, tomar posse da sua casa e viver feliz com sua família.

Para mais informações acesse: www.tomazcorretor.com.br ou passe um zap para Tomaz 81 9.99892523

 

17 de abril de 2019 às 12:16h

teste

política dois

17 de abril de 2019 às 12:13h

Youtubers já são mais influentes do que jornalistas

Por André Azevedo da Fonseca em 16/04/2019 na edição 1033 Do Observatório da Imprensa

O recente relatório Creators Connect: o poder dos YouTubers, produzido a partir de uma pesquisa do Google, revela um conjunto de dados que nos ajuda a compreender a dimensão dos desafios do jornalismo na era das redes sociais, sobretudo no que diz respeito à credibilidade profissional e à consequente relação de confiança do público na qualidade das informações veiculadas pela imprensa. Segundo a gigante de tecnologia, que estudou o comportamento dos brasileiros com acesso à Internet, veja quem são os agentes que mais influenciam a opinião das pessoas:

A pesquisa revela que 76% dos brasileiros conectados à Internet conhecem o termo youtuber. E dentre eles, 77% acompanham pelo menos um canal. “No mundo dos vídeos online, os YouTubers estão no comando.” Como podemos observar no gráfico acima, entre as pessoas que consomem a plataforma, youtubers (20%) só perdem para familiares (43,1%) e amigos (34,8%) no ranking dos formadores de opinião, sendo mais influentes do que jornalistas (19,1%), influenciadores do Instagram (9,6%) e celebridades da televisão (6,8%). “Além de populares, os YouTubers influenciam bastante as decisões de quem está conectado”, comemora o relatório.

A fórmula do sucesso

Segundo o Creators Connect, o diferencial do YouTube em relação à televisão e às mídias tradicionais é o deslocamento entre o que o relatório chama de audiência transferida, quando os comunicadores falam a partir de um veículo que já controla as rotinas de atenção do público; e audiência construída, quando os próprios criadores desenvolvem seu público a partir do zero, fortalecendo gradualmente a sua influência através de um crescimento orgânico. Isso ocorre a medida em que uma comunidade crescente é estimulada a se identificar não só com o conteúdo, mas com as narrativas – ou, no jargão publicitário, com o storytelling fabulado pelo youtuber para atribuir à sua imagem uma marca de identidade e, acima de tudo, de autenticidade. A “fórmula do sucesso” dos youtubers, portanto, implica na intensificação dos vínculos afetivos entre seguidores e criador, de modo que a comunidade virtual que orbita em torno do astro evolui da “admiração” para uma sensação de “proximidade” e “identificação”. Daí a relação passional de muitos seguidores com seus ídolos. O próprio Google admite: “Os YouTubers são quase deuses no universo digital brasileiro”. Veja como um dos gráficos do relatório registra essa dinâmica:

A ligação entre o público e o seu youtuber predileto é tão intensa, explica o Creators Connect, que os seguidores se sentem particularmente envolvidos com as marcas que ele anuncia – seja através de merchandising direto, seja por meio de uma opinião aparentemente despretensiosa. Mais do que tolerar as propagandas, portanto, os fãs celebram o sucesso comercial dos seus ídolos e confiam nas informações, produtos e marcas que ele indica, graças aos vínculos afetivos e identitários que superam a noção tradicional de credibilidade.

Por tudo isso, para o bem e para o mal, youtubers estão se tornando os maiores comunicadores do mundo digital. A leitura atenta do relatório indica que parte desse sucesso também pode ser explicado como produto de um exercício intensivo dos criadores de conteúdo no campo da comunicação digital, resultado de uma competição brutal no cada vez mais instável mercado de atenção. “Ela é mais direta, imediata, próxima. Ela precisa prender a atenção logo de cara, para que ninguém feche a janela. E como os YouTubers costumam ser ‘gente como a gente’, eles também usam uma linguagem bastante íntima e emocional. Tudo isso colabora para criar um sentimento de identificação entre quem assiste e quem produz o canal.”

Muitos ainda enxergam o YouTube como um mero repositório de vídeos. O que é um equívoco. A plataforma se caracteriza como uma rede social stricto senso, que emprega algoritmos complexos para coletar e analisar dados pessoais, de modo a oferecer conteúdos meticulosamente ajustados aos desejos dos usuários. O resultado é conhecido: essa dinâmica estimula um consumo compulsivo de vídeos que se sucedem em uma sequência irresistível ao gosto do espectador. Além de não ser segredo, este é um objetivo deliberado de uma plataforma que lucra capturando a atenção dos usuários. “Atualmente, o YouTube é uma plataforma de destino. As pessoas entram para ver o que cada canal postou e o público passa cada vez mais tempo assistindo aos vídeos”, explica o relatório.

Não se sabe até que ponto o expressivo movimento de jornalistas que decidiram desenvolver os seus próprios projetos no YouTube pode contribuir para aprimorar a qualidade das informações que circulam na plataforma e recuperar parte da credibilidade dos jornalistas e da imprensa em geral. A partir de minha própria experiência com o meu canal de Educação, Comunicação e Ciências Humanas no YouTube, observo que compreender as linguagens e as estratégias dos youtubers não deixa de oferecer recursos valiosos para o jornalismo, para a comunicação digital e para a divulgação científica. Nas minhas palestras sobre as oportunidades, os desafios e as contradições da educação e da comunicação científica nas redes sociais, tenho discutido um conjunto de alternativas com universitários de diversas formações acadêmicas. Mas é preciso ficar claro que há muitas contradições, sobretudo no que diz respeito ao modelo de negócio do Google Adsense, que ao exigir um volume expressivo de visualizações para que o canal se torne rentável, acaba estimulando precisamente aqueles conteúdos sensacionalistas que chamam a atenção de um público amplo.

***

André Azevedo da Fonseca é professor e pesquisador no Centro de Educação, Comunicação e Artes (CECA) da Universidade Estadual de Londrina (UEL) e professor visitante na Universidad Complutense de Madrid. Doutor em História (Unesp) com pós-doutorado no Programa Avançado de Cultura Contemporânea (UFRJ).

17 de abril de 2019 às 10:07h

Na Semana Santa voltamos a idade média e a santa inquisição ressuscita

O Sol é o melhor detergente disse Louis Brandeis  advogado americano, para ilustrar que tudo sob a luz é melhor. Mas ao que parece alguns ministros do STF pensam de forma diferente. Dessa forma a liberdade de imprensa só se enfraquece quando não é utilizada como bem lembrou os editores da Cruso é que foi censurada pelo ministro Alexandre de Moraes e decidiram recorrer contra a medida. O que chama a atenção não é o fato da matéria feita pela revista denunciar o presidente do STF, ministro Dias Tófoli, e sim existir abertura de inquérito por um órgão que investiga e julga.

Como estamos na Semana Santa essa atitude nos lembra a idade média, a santa inquisição, sem direito de defesa, ou seja estamos de volta ao período do obscurantismo, das trevas e precisamos do sol de Brandeis para purificar o ambiente político brasileiro que perspassa pelo executivo, legislativo e judiciário cuja teoria de Montesquie sugere que foram criados para que cada um tivesse a sua função e assim não deixar que um usurpasse o poder do outro  e o que assistimos foi um desrespeito do ministro do STF ao MP e a PGR, segundo especialistas, passando por cima da Constituição.

Assim regressamos no túnel do tempo político para a idade média, para o período da “Santa” Inquisição pelas mãos dos ministros Alexandre de Moraes e Dias Tófoli. Até mesmo outros ministro do tribunal foram contra a ação a que chamaram de retrocesso como o ministro Marco Aurélio.

Por isso, precisamos lutar para preservar a liberdade de imprensa, nós jornalistas temos a obrigação de nos unirmos para garantir o livre direito à informação, principalmente quando a matéria obedece aos critérios mais imprescindíveis do bom jornalismo.

15 de abril de 2019 às 06:37h

A Petrobrás não fabrica petróleo e sim milionários

Para “Bio, o Leigo” bastou o presidente Jair Bolsonaro determinar a suspensão do reajuste do Diesel para o mundo econômico e político entrar em parafuso: economistas passaram a fazer análises caóticas sobre a situação da empresa, especialistas avaliaram que teríamos um descrédito dos investidores, a oposição se deslanchou em afirmações de que o governo não tinha uma proposta para o Brasil com 100 dias de governo e agora iria levar a falência a grande empresa brasileira, a mídia contrária ao presidente passou a provocar o ministro Paulo Guedes para criar mais um mal estar entre os integrantes do governo.

Assim que a notícia da suspensão tornou-se pública a Bolsa entrou em polvorosa e as ações da empresa caíram assustadoramente. Pergunto o que importa isso? Tudo isso porque o Planalto quer saber o porquê do reajuste! Quer detalhes da composição do preço, deseja informações sobre quem está lucrando com esses aumentos sistemáticos.

A Petrobrás é uma estatal,pensa Bio, o Leigo, e dessa forma não tem o lucro como interesse final, logo não precisa está preocupada com lucro de quem só faz ganhar, enquanto a população e o país perdem sempre nesse jogo de poder. Ora, se o Brasil é independente em Petróleo porque tem que seguir o aumento internacional dos barris de petróleo, vai dar lucro a quem?

Então de que adianta para os brasileiros que se tenha uma estatal que a única produção é riqueza para um pequeno grupo, ou seja, de que serve ser a maior empresa do mundo sem que nenhum benefício aconteça para a população, e ai Bio, o Leigo, afirma de forma peremptória: Que se privatize a Petrobrás e ponto final.

Assim Bio, o Leigo, entra a partir de agora na campanha “O Petróleo não é nosso, Privatizem a Petrobrás”!

Que algum economista de fato possa ajudar Bio, o Leigo a entender essa coisa de fábrica de milionários, ao invés de fábrica de petróleo.