Inusitados encantamentos, Excêntrico s na mente poética, Devaneios profundos, Trilhas e veredas do ideal. Arvoredos majestosos, Lagos docemente encrespados, Orlados de tufos floridos e perfumosos, Cenário perfeito, Próprio ou imaginário. Canteiros excitados pelo orvalho saudável da alvorada, Pássaros assobiam ternas melodias, Radiação amena e sedutora, Sonetos de paixão, Inebriante adoração. O amor, obra a revelar, Inútil resistir, Sem recalques, Sublimado é sonhar. Mar que jorra o sofrer, De mal reprimido, Não se morre, Resistência, A poesia é depositária de sentimentos, O importante é viver. De mãos livres, Sem tormenta, Os versos ditam o caminhar, Pelo vivo olhar. Vibra a alma, Ergue novo castelo de sonho e pecado, Reascende labaredas do verbo amar. Se tudo é efêmero, Se tudo é falível, O poeta é essência, É Luz, É eternidade.

Por Paulo Sales
Advogado e criminalista