“Homines sunt ejusdem farinae” = São todos farinha do mesmo saco

É uma expressão em latim – uma metáfora para demonstrar que os homens são feitos da mesma farinha. Significava que antigamente a farinha boa era colocada num saco e a farinha ruim em outro saco. Dessa forma os bons andavam com os bons e os maus andavam com os maus.

A “É tudo farinha do mesmo saco” sempre é usada quando se pretende mostrar que estão juntos determinados políticos que antes brigavam como está acontecendo agora com Bolsonaro e Valdemar Costa Neto e acreditem com o PT e o PSDB. Muita gente fica espantada com essa união, sem acreditar que Geraldo Alckmin pode ser vice de Lula nas próximas eleições.

“Para o povo – nada, Para o rei e seus súditos, tudo!”

Essas conversas apenas demonstram aquilo que sempre digo: Na política o que importa são os interesses dos próprios políticos.  Quando era interessante PT e PSDB brigavam de mentirinha, apenas para trocarem de lugar – agora eu mando (PSDB); a próxima vez sou eu que vou mandar (PT) parecendo até coisa combinada entre eles (FHC e LULA). E agora a gente comprova que era de fato combinado, o que interessava era menter o poder entre os dois grupos sem dar chance a uma terceira via, o que agradava a todas as “Zelites”, inclusive judiciais, midiáticas, policiais, todas ganhavam, menos a sociedade.

O Joio e o Trigo também estão no mesmo saco 

Agora com a possibilidade mais uma vez de vitória de uma terceira via com a candidatura de Sérgio Moro, os farinheiros estão colocando todas as farinhas num saco só, não importa a qualidade da farinha, importa derrotar a terceira via. Um candidato de fora do saco ganhar a eleição de novo, como ganhou Bolsonaro será o fim da picada.

Por isso que Bolsonaro agora dentro do mesmo saco dos outros conversa com Valdemar Costa Neto e Lula conversa com FHC, Bolsonaro e Lula pretendem continuar mandando no país por muito tempo como aconteceu com o PSDB e o PT e não querem nem pensar na vitória de Sérgio Moro que é de fato a única possibilidade de mudar o jogo.

O problema é que precisamos separar não as farinhas do mesmo saco (boas e ruins) e sim o joio que fora do saco é quem estraga o saco todo.