Apesar de dizer em nota oficial que não sairia do PSB e que seria fiel ao governador Paulo Câmara o ex-prefeito de Chã Grande, agora candidato a vice prefeito de Darita sem partido, ou a prefeito se não fechar com Darita, assumiu que sai do PSB, como eu já havia previsto em março de 2019 e vai para o PSC de André Ferreira.

Conheço Daniel Alves de muito tempo, já fiz parte de sua gestão em Chã Grande, é um político de origem popular, formado no populismo socialista e já passou por diversos partidos tanto de direita como de esquerda, sem muito viés ideológico, porém sempre disposto a melhorar a cidade da qual foi prefeito por 3 vezes que é Chã Grande.

Daniel, derrotado por Diogo na tentativa de sua reeleição para um quarto mandato, decidiu arrumar as malas e se mudou para Gravatá a fim de realizar um antigo desejo que é o de ser prefeito de Gravatá.

Para isso está adotando a mesma tática que adotou em Chã Grande, chegar de mansinho,  tentar costurar uma aliança com alguém com peso eleitoral, talvez sair até para vereador como foi o caso lá, caso não consiga emplacar uma candidatura a prefeito ou a vice, como fez na sua cidade Chã Grande, depois foi vice e por fim prefeito, como planejou e executou com Jaci Moreira e depois com o grupo de Dona do Carmo.

Daniel não está  preocupado com essa eleição e sim com as futuras, agora, em 2020 ele pode até não ser candidato, mas já está num grupo e é nesse grupo que ele vai tentar se manter por duas ou três eleições até sair candidato a prefeito, saindo inclusive para deputado em 2022.

Da escola política de Marco Maciel ele sabe que tem tempo não tem pressa e assim quatro ou oito anos passam rápido.

Para concluir informo que jornalismo que faço não é de fake news e sim de notícias oriundas de fontes fidedignas que informam a verdade, os fatos como eles ocorrem, e assim publicamos matérias que contém furos excepcionais e exclusivos, como os que já dei até na grande mídia. Não existe jornalismo sem fontes, não existe furos sem jornalismo investigativo.