Daniel de Chã Grande quer fazer barba, cabelo e bigode em JN

Há algum tempo atrás publiquei uma matéria onde afirmei que Daniel Alves iria transferir o seu domicílio eleitoral e disputar o cargo de prefeito de Gravatá. na matéria afirmei que ele seria candidato pelo PR da família Ferreira (Anderson, André, Fred e Manoel).

Em resposta o prefeito Daniel publicou uma nota contradizendo o que disse e que não faria nada que fosse contra o PSB, que estava à disposição do partido para ajudar no que fosse preciso. que não criaria confusão para o governador Paulo Câmara e que não deixaria o PSB.

Entretanto, chegou em Gravatá já dizendo que é candidato a prefeito, que está firme na sua decisão, que não vai deixar de ser candidato, que A e B querem junto com ele transformar a cidade de Gravatá e mais uma série de justificativas para poder negar que não está chegando sem ouvir o PSB, que não está passando por cima da pré candidatura de João Paulo Lemos, de Waldemar Borges e de outros nomes do partido.

Porém nos bastidores do PSB de Gravatá ninguém engoliu essa forma de Daniel chegar na idade atropelando rodo mundo. Ainda não vimos uma foto de Daniel com o grupo de Waldemar Borges ou com João Paulo mostrando que a sua vontade de disputar a eleição de prefeito de Gravatá não cria conflito interno nos socialistas e não trará nenhum problema para o PSB de Gravatá.

Assim sendo, a primeira parte da minha profecia de que ele seria candidato a prefeito de Gravatá já se cumpriu, agora só falta a segunda sair do PSB, num acordo com o governador, para outra legenda e disputar a eleição. cabe destacar que ele abriu mão do PR ao dizer que não sairia do PSB e assim Darita rompido com Waldemar Borges se aproveitou e se aproximou de Anderson Ferreira, tirando de Daniel a possibilidade de se filiar ao PR.

Como Daniel é muito ligado à família Lira de Vitória que por sua vez é unida à família de Prequé, onde Rafael é casado com a filha de Elias Lira, pode ser que haja uma articulação silenciosa para que ele seja o vice de Waldemar Borges ou até mesmo de Joaquim Neto e não o candidato a prefeito.

Caso contrário, restará a Daniel  procurar outra legenda, caso insista na sua candidatura a prefeito de Gravatá em 2020. Se for em 2024 ai a história poderá ser outra.

O tempo é senhor da razão foi minha resposta à época para a nota do prefeito Daniel Alves.

E o tempo continua provando que a Bola de Cristal tem sempre razão ou alguém acha que Waldemar Borges vai bater palmas para a postulação de Daniel e sair da disputa com o rabo da pombinha socialista entre as pernas.