Se voltar prepare-se para reviver tudo que já viveu, embora com mais experiência, com menos ilusão, com mais cuidado e com todas as dores acumuladas durante a caminhada. Voltar significa rever os mesmos rostos, elaborar os mesmos projetos, insistir nas mesmas teses, mesmo que modificadas e renovadas, buscar novos sentidos fazendo as mesmas coisas. Einstein já disse que ninguém faz nada novo, fazendo as coisas velhas.

Por isso é hora de descobrir novos mundos e novos caminhos: às vezes nos desviamos para a esquerda ou para a direita que são atalhos que nos atrasam, que nos afastam d possibilidade de seguir em frente, em busca de coisas novas, de novos caminhos, de novos projetos, de novos relacionamentos sejam amorosos, afetivos, comerciais, esportivos, religiosos, não importa, mas que nos dê a chace de participarmos de novos grupos e de novos sentimentos que é o nosso combustível.

Não podemos a perder a capacidade de nos emocionarmos, de nos enternecermos, de nos admirarmos com novas descobertas e de não nos conformarmos com o que deu errado e tentar fazer de forma correta. Só assim vivendo, debatendo, amando, relacionando, buscando a Deus, é que viveremos a nossa nova fase, o nosso novo caminho, a nossa nova caminhada.

Temos que continuar nos indignando, nos revoltando, dizendo que não aceitamos de uma determinada forma e precisamos e queremos fazer diferente. Na vida não há espaços vazios, assim como no universo e sendo assim não deixemos que outros preencham os espaços que são nossos, vença a luta da matéria contra a anti-matéria e seja luz onde estiver.

Temos que ter a coragem para nos afastarmos de coisas e pessoas que já não nos acrescentam, não nos fazem crescer, não nos ajudam a ajudar aos outros e a eles mesmos.