segunda, 19 de outubro de 2020
PÁGINA OFICIAL DO JORNALISTA E ESCRITOR SEVERINO TOMAZ DE AQUINO
16 de outubro de 2020 às 08:39h

Caixa reduz juros e essa é a hora de comprar a casa própria

A CAIXA, gigante do setor bancário e principal banco fomentador da habitação no Brasil, acabou de anunciar uma série de medidas para o crédito imobiliário / financiamento imobiliário, incluindo a tão esperada REDUÇÃO DA TAXA DE JUROS!
O anúncio foi feito pelo próprio presidente do banco, Pedro Guimarães, em live nesta quarta-feira (14/10), quando também divulgou mais cinco medidas da CAIXA para estímulo ao setor.

O novo pacote de ações poderá impactar 830 mil famílias, correspondendo a R$ 83 bilhões em recursos, entre novos negócios e negociação de contratos ativos. Confira as medidas:

Confira as cinco medidas:
Redução de taxas:

✅A CAIXA está reduzindo as taxas do crédito imobiliário para pessoas físicas, com recursos do SBPE. A linha de crédito indexada pela Taxa Referencial terá taxa mínima de TR + 6,25% e máxima de TR + 8,00%, queda de até 0,50 ponto percentual. Os clientes já podem acessar as novas taxas, que passam a valer a partir de 22/10 para novos financiamentos, no simulador habitacional da CAIXA. O banco estima conceder mais de R$ 14 bilhões em crédito imobiliário SBPE até o fim deste ano.

✅Prorrogação da carência:
A CAIXA vai prorrogar até o fim do ano a possibilidade de carência para início do pagamento das parcelas dos novos contratos imobiliários. Na aquisição de imóveis novos, os clientes pessoas físicas poderão iniciar o pagamento do encargo mensal, composto de juros e amortização, após seis meses da contratação. Nesse período, pagará seguros e taxa de administração do contrato.
Mais de 30 mil clientes podem ser beneficiados até o fim do ano.

✅Pagamento parcial da prestação:
Os mutuários que apresentem dificuldade para retomada do pagamento integral da prestação habitacional poderão optar pelo pagamento parcial. Conforme perfil, o cliente poderá pagar 75% da prestação, por até seis meses, ou entre 50% a 75% da prestação, por até três meses.
Mais de 620 mil clientes poderão ser beneficiados com a medida.

✅Feiras Online da Casa Própria:
A CAIXA promoverá a realização de feiras habitacionais online. O novo formato virtual atende às novas necessidades

14 de outubro de 2020 às 11:13h

Mercado imobiliário de Olinda em Alta

Quando andamos pela orla de Olinda, particularmente do Bairro Novo, percebemos uma grande mudança, provocada principalmente pela chegada na cidade de Faculdade Olindense de Medicina e do Patteo Shopping que serviram como alavancas para o desenvolvimento do município.

A FMO trouxe estudantes de vários estados que precisaram de alojamentos e assim o mercado imobiliário percebeu essa necessidade e passou a oferecer opções de flats, kitnetes, apartamentos o que originou reformas para essa nova realidade implicando em fortes resultados para o mercado da Construção Civil, onde prédios antigos passaram a ser restaurados, com troca da fachada, assegurando mais beleza e mais valolrização para os empreendimentos..

Por sua vez, o Patteo Shopping ancorou no Bairro Novo como um grande gerador de negócios e de empregos, assim como despertando o interesse de incorporadores e construtores para a construção de novas unidades residenciais e empresarias, podemos citar como exemplo a AWM que investe pesado nos setores residenciais e comerciais da região.

Acoplado a esses dois projetos surge um importante polo médico no entorno desses dois empreendimentos e assim clínicas, laboratórios, farmácias, hospitais, etc, vão se instalando ao longo das vias principais, trazendo mais investimentos e mais negócios para a região Norte da RMR.

Com isso o metro quadrado que há 10 anos estava bastante desvalorizado passou a ser ofertado por um preço até dez vezes maior. para se ter uma ideia um terreno na beira mar com 600m2 custava em média 600 mil reais, o que dava R$ 1.000,00 por m2, hoje esse mesmo terreno custaria aproximadamente R$ 3 mil por m2.

 

27 de setembro de 2020 às 04:21h

Gravatá não pode parar!
Amigos hoje começa de fato e de direito a campanha eleitoral. Teremos a oportunidade de escolher o candidato que vai continuar dirigindo os nossos destinos por mais quatro anos.
Temos nas nossas mãos uma grande responsabilidade: reeleger Joaquim Neto ou colocar o Padre Joselito no comando da prefeitura.
Além disso, vamos definir também quem serão os futuros vereadores de Gravatá.
Cada um de nós é livre para decidir seu voto naquele que acha o melhor, mais capaz, o que vai ajudar a cidade a se desenvolver ainda mais.
O que deve prevalecer é o respeito a cada um individualmente, devemos respeitar a escolha do outro.
Quero dizer a vocês que continuarei ao lado do prefeito Joaquim Neto, porque acredito que nesse momento ele seja o que mais tem condições de continuar trazendo benefícios para a nossa cidade. Porque acredito no seu compromisso de desenvolver Gravatá, de transformar a cidade cada vez mais num município de destaque no estado de Pernambuco.
Se analisarmos friamente o que era Gravatá há uns anos atrás e o que é Gravatá hoje, perceberemos a mudança significativa que a cidade sofreu, mesmo sem apoio do governo, visto que JN é oposição ao governador.
Mesmo com essa pandemia, a cidade continuou se desenvolvendo, crescendo e com esse momento que o mundo vive é muito arriscado você trocar tudo de repente e querer que funcione que dê certo. O mundo todo mudou e Gravatá não é uma ilha. A economia sofreu em todas as cidades, mas a nossa teve a presença dos turistas o que trouxe renda e condições melhores para todos.

Para vereador, pela primeira vez, desde que comecei a atuar na política de Gravatá escolhi

Luiz Prequé

porque como já disse ele reúne três condições essenciais para quem quer defender os interesses de Gravatá: 1 – É família. Esse é um requisito básico e fundamental para escolhermos alguém que vai nos representar e defender os nossos interesses. O homem que ama a sua família merece todo nosso respeito e admiração;

2 – É um amigo leal. Conheci poucos homens tão fiéis aos seus amigos quanto Luiz Prequé, é exemplo de lealdade, de sinceridade e de honestidade com todos os que se relacionam com ele;
3 – É preparado: já foi prefeito, já foi vereador, ou seja, traz na sua bagagem a experiência necessária para apresentar projetos e também para apoiar os projetos que a cidade precisa.
Por conta disso, peço a todos que me acompanham, que gostam do meu trabalho, peço também a todos os meus amigos e a todos que ainda não decidiram o seu voto, que votem na reeleição de Joaquim Neto para prefeito e na eleição de Prequé para vereador.
Gravatá precisa continuar, Gravatá não pode parar.
Nenhuma descrição de foto disponível.
24 de setembro de 2020 às 06:13h

UM GRANDE CORONEL NEGRO DA CHAPADA DIAMANTINA NO ALTO SERTÃO DA BAHIA.

Cel. Francisco D9ias Coelho

Faz alguns anos, estive na cidade de Morro do Chapéu, na Chapada Diamantina, no alto Sertão da Bahia, e procurei informações sobre o Coronel Dias Coelho, acerca de quem havia ouvido grandes comentários acerca do seu poder financeiro e político e sua capacidade de comandar aquela grande Região desde esta urbe nos anos 1920/1930, época de outros também importantes chefes políticos sediados em lugares próximos. Levaram-me até uma capela anexa a um casarão antigo e me disseram que ali ele havia morado e rezado e dali mandara em tudo da localidade e circunvizinhanças.
No interior da capela havia u’a bonita e enorme (quase alcançando o teto)imagem da Nossa Senhora Virgem Maria, e um quadro do tamanho de uma janela com o qual me surpreendi por ser incomum: a litogravura do busto de um negro retinto e bem tratado, cabelo aparado curto modelo militar, barba escanhoada e bigodes retorcidos para cima, fardado de Coronel da Guarda Nacional, e sob ela, em caprichada caligrafia manuscrita, a dedicatória de todos os outros Senhores de Terras, Chefes Políticos e Coronéis das Lavras Diamantinas, com suas respectivas assinaturas, ao Coronel Francisco Dias Coelho.
Soube, então, que ele quando ia a Salvador levava pequenos sacos contendo diamantes/brilhantes, vestia-se e se perfumava da cabeça aos pés seguindo a melhor moda parisiense, hospedava-se no mais luxuoso quarto do melhor hotel da capital bsiana, era servido nos melhores restaurantes soteropolitanos e gostava de presentear as pessoas do seu agrado com pequenas pedras preciosas, mantendo o seu filho primogênito com o que havia de melhor na Faculdade de Medicina da Bahia, e sendo convidado para as “soirées” da alta sociedade baiana, pela qual era sempre consultado sobre negócios e política.
O menino afrodescendente Francisco nascera livre, de família humilde do interior baiano, na época da escravatura no Brasil,
perdera a mãe aos sete anos de idade e fôra acolhido, juntamente com uma irmã, na casa de um rico comerciante e proprietário sem filhos.
Foi este forte negociante, o senhor Dias Coelho, quem
o encaminhou na vida para o ramo da garimpagem e da mineração e lhe transmitiu o conhecimento profundo sobre pedras preciosas, ensinando-lhe sobre tudo, a falar e ler francês e a como negociar as gemas, principalmente com os compradores estrangeiros.
Porque Francisco era um moço muito atilado, simpático, trabalhador e apegado com o pai adotivo, desenvolveu-se bem e constituiu em torno de si um bom círculo social, vindo mais tarde a ser o substituto, sucessor e herdeiro do velho Dias Coelho, de quem recebeu o sobrenome, quando adquiriu a carta-patente de Coronel da Guarda Nacional, e foi chamado de Diplomata Negro, chegando a se tornar o líder dos senhores chefes políticos e coronéis das Lavras Diamantinas entre os anos de 1909 e 1917, quando foi sucedido pelo seu filho doutor e também benfeitor daquelas terras.
Acumulou uma enorme fortuna, como negociante de diamantes garimpados em suas minas naquela região, onde coligou-se com empresas francesas interessadas em pedras preciosas.
Como todos os Coronéis, praticou a política do autoritarismo, do favoritismo, da permuta de apoios e foi além, ocupando posição do mais elevado respeito diante dos habitantes de Morro do Chapéu e de toda a Chapada Diamantina, para onde levou escolas com o objetivo social, político e estratégico de melhor dominar legalmente aquela Região.
Sendo um autodidata dedicado de boa formação cultural, a partir de 1902 contratou professoras e criou ali, como suporte das escolas, bibliotecas, um grêmio literário, um grupo teatral e uma filarmônica, e dez anos depois havia escolarizado todo o seu município e boa parte dos municípios vizinhos, formando seus eleitores, porque somente os alfabetizados podiam
votar.
Devido aos seus grandes negócios com ricas firmas gaulesas, através das quais conseguiu aquela imagem da Santa para a sua cidade, recebeu um convite para visitar Paris, mas elegantemente recusou, porque tinha consciência das condições de escravatura negra na África Ocidental Francesa.
Em merecida homenagem àquele admirável chefe político e primeiro Coronel negro dos sertões brasileiros, Francisco Dias Coelho, foi erigida uma sua estátua, numa praça da cidade de Morro do Chapéu, na longínqua Chapada Diamantina, Bahia.

Lamartine Lima

22 de setembro de 2020 às 05:25h

A Velha Ponte de Ferro também chamada de Ponte Preta ou Ponte Velha

A Ponte é de Ferro, mas é fraca precisa de restauração
 
Na foto o destaque é para a Ponte Preta ou Ponte Velha que serviu durante muitos anos para o trem chegar a estação de Gravatá. A ponte faz parte do conjunto ferroviário implantado no século XIX.
 
Muita gente ontem entrou em contato apoiando a ideia de conhecermos Gravatá, descobrindo as suas belezas, contando as suas histórias e buscando a preservação e a defesa do patrimônio cultural, artístico, material e imaterial do nosso município.
 
O nosso objetivo é realizar caminhadas com um grupo e dentro desse grupo termos o apoio de jornalistas, fotógrafos, geógrafos, biólogos, turismólogos, marqueteiros e todos que gostam de caminhar, contemplar a natureza, curtir a vida para criarmos um produto turístico para a cidade de Gravatá que ultrapasse a barreira das gestões azul ou vermelha, que seja um projeto da cidade e para a cidade.
 
Se você quer descobrir Gravatá então junte-se a nós e vamos botar o pé na estrada.
 
Já formamos um grupo no zap chamado Guia Rota 232 para nos comunicarmos com os interessados, teremos um programa no youtube no canal rota232, também teremos um guia com cada lugar que vamos visitar, além de páginas no instagram e nas redes sociais.
 
Hoje essa ponte encontra-se abandonada, sendo corroída pela ferrugem e sem nenhuma perspectiva de um projeto de restauração desse rico patrimônio. A fundo você o Rio Ipojuca outro bem da cidade, também em péssimo estado de conservação e as casas e moradias do Bairro Novo e do começo do Monte das Graças à esquerda.
Passe um zap agora 81 999892523
21 de setembro de 2020 às 07:50h

Projeto Descubra Gravatá

Pessoal existe algum grupo de caminhada aqui em Gravatá que se aventure pela área rural nos fins de semana.
Me disponho a ajudar na identificação dos trechos que já conheço, pois já andei essa cidade toda a pé, quase 500 km quadrados, desde os locais mais distantes até o centro.
Vamos descobrir as belezas de Gravatá.
Quem topar passa um zap para criarmos um grupo e assim começarmos a verificar a possibilidade de termos esse grupo de caminhada, para a cada fim de semana descobrirmos um ponto dessa cidade e assim criarmos o guia do turismo rural de Gravatá.
Essa casa está localizada na estrada da Serra do Maroto, pertence a família de seu Zé Gomes um antigo criador de gado de leite de Gravatá.
Casa típica do século XX, início dos anos 1900.
Se você é historiador, geógrafo, biólogo, turismólogo, junte-se a nós nesse projeto de redescoberta de Gravatá.
18 de setembro de 2020 às 06:53h

Existe Ex-padre?

Uma leitora me questionou a respeito da ordenação para padre, afirmando que o ex-padre Joselito continua sendo padre e que não existe ex-padre. Como todo bom jornalista deve fazer. fui atrás das informações e a cúria pernambucana da Arquidiocese de Olinda e Recife explica que para o mundo “CATÓLICO”, quando um padre renuncia ele retorna ao Estado Laical, muito embora para a igreja ele permanece como membro da ordem clerical, não siginificando que o título de padre continuará a ser usado.
Outro detalhe importante é que uma vez renunciado ao apostolado ele retorna ao estado laical. Para a igreja católica existe a demissão clerical, ficando impedido de realizar os procedimentos próprios de um padre, além de retornar ao estado laical. Conforme se pode verificar em: https://catholicus.org.br/afinal-existe-ex-padre/
Entretanto, para o mundo profano ou externo ao universo católico ele retorna ao estado laical, ou seja, ao mundo dos humanos, deixando o mundo dos “santos”, ou seja, podendo até casar.
Uma explicação utilizada para o retorno ao estado laical é á de que um padre que renuncia a sua ordem sacerdotal e depois passa a professar outra religião seja evangélica (virando pastor), espírita (tornando-se coordenador) ou das religiões afro, tornando-se um pai de santo, não poderá acumular os dois títulos: padre-pastor; padre-espírita ou padre-pai-de-santo.
Portanto, ele passa a ser considerado padre-laical só para a denominação católica, ou seja dentro do universo católico, para o mundo externo ele é ex-padre.
Como se viu nas últimas semanas: a mídia mundial repercutiu com estardalhaço o fato de o Papa Francisco ter demitido do estado clerical três padres latino-americanos condenados por abusos sexuais no Chile e no Equador.
Do mesmo modo um padre que comete assassinato e é demitido do estado clerical, retornando ao estado laical e sendo preso passa a ser considerado como um preso comum.
Assim fica clara a existência do ex-padre para o mundo profano, ou seja, que não processa a Fé Católica, ficando claro o uso do título de padre só para o mundo católico: Por isso, apenas no Sentido Sacramental, não pode existir um “ex-padre”, nem um “ex-batizado”, nem um “ex-crismado”.
Entretanto para todas as outras situações da vida ele passa a ser um ex-padre e o título permanece apenas por uma questão dogmática, ele é apenas o que consta da sua identidade: um simples cidadão!
9 de setembro de 2020 às 06:37h

Rancho Burger vai ajudar o mercado imobiliário do Agreste

Sempre com uma visão empreendedora e com os olhos nas tendências mundiais o empresário Assis Souza que migra do ramo da hotelaria para a gastronomia está implantando um projeto gastronômico que vai se tornar referência e com certeza mais um case de sucesso: o Rancho Burger que não é apenas uma lanchonete, mas um mix de lojas de artesanato, confecção, lanchonete, padaria, bar, restaurante, seguindo os modelos mais usados atualmente no mercado mundial.

Com temática country e voltado par os amantes dos esportes equestres como vaquejada, cavalgada e também para empreendedores do mundo do cavalo, os apelos referenciais para o cowboy, na verdade, vaqueiro nordestino o espaço ocupa uma área de 5 hectares, tem o prédio principal que funcionará como galeria, a área dos trabalhadores e uma área para a construção de um arque temático destinado aos apaixonados pelo cavalo.

Tomaz da Rota 232 conversa com Assis do Rancho Burger

A ideia é de que o local se transforme em mais um ponto turístico de Pernambuco, se tornando uma parada obrigatória para quem segue com destino a Caruaru e passa pela Serra das Russas onde está localizado o Rancho Burger, dando ao segmento turístico mais um atrativo para o público classe A que busca novas alternativas de se divertir nesse período pós pandemia.

Um outro fator muito importante é que o Rancho Burger trará para o pé da serra o desenvolvimento imobiliário e servirá como âncora para a implantação de novos projetos e com plantas voltadas para loteamentos, privês, mini chácaras, alavacando a região e mudando o cenário e a geografia do local.

Hoje 09.09, Assis, dará o start no seu inovador projeto de gastronomia e negócios.

Tomaz, Gustavo e Norberto sempre na vanguarda imobiliária

E nós, que fazemos a Rota 232, estaremos presente trazendo todas as informações para você que deseja conhecer um ambiente com todas as características dos salões de faroeste americano, mas, acima de tudo com espaços agradáveis para você desfrutar de momentos inesquecíveis e assim possa se apaixonar pela região do Agreste, comprar seu terreno ou sua casa e passar a ser mais um morador desse pedaço de chão que só traz alegria para quem já tomou a decisão de morar ou investir em Gravatá.

 

4 de setembro de 2020 às 06:57h

Condomínio Rural é opção para quem curte a vida numa fazenda

É um espaço que consiga unir o conforto e a comodidade da cidade com o bem estar e as tradições do interior, muita natureza, muito verde, mini fazenda com gado de leite, haras para criação de cavalos, além de quadras poli esportiva, academia, piscinas, terrenos acima de 1.000m2, muita área de lazer e o principal: o sentimento de que se está morando numa fazenda. Conheça agora o Gravatá Country um condomínio rural em Gravatá – PE.

Passe um zap pra gente: 81 9.89945757

27 de agosto de 2020 às 13:39h

Saiu a 5ª edição da Revista Imobiliária

Olá amigos!

Hoje dia do corretor de imóveis temos o imenso orazer de distribuir a 5ª edição da Revimob – Revista Imobiliária com uma homenagem especial aos corretores de imóveis de todo Brasil.

Nessa edição você encontra vários temas que dizem respeito ao dia a dia da profissão de corretor.

Enfrentamos muitas batalhas, mas somos mais que vencedores, a todos uma boa leitura.

vídeos +