16 de outubro de 2014 às 07:37h

Prefeito nomeia mais um secretário da casa

Outra vez o prefeito Bruno Martiniano adota uma solução caseira para preencher mais uma pasta de sua administração, colocando o jornalista Cláudio Castanha na secretaria de imprensa, no que deve ser elogiado por todos, porque sempre cobramos a nomeação de pessoas de Gravatá para ocupar também os cargos de primeiro escalão.

Não sabemos os motivos que o levaram a não efetivar no cargo a jornalista Adriana Bezerra que a nosso ver, e dentro das condições que lhe foi imposta, foi competente no tempo em que ocupou interinamente a área de comunicação do governo.

O que reforçamos é a necessidade de delegação de autonomia por parte do prefeito aos seus subordinados, para que possam mostrar as suas qualidades e não se transformem em marionetes e joguetes na mão de quem tem a caneta. O que queremos é que esses novos dirigentes tenham capacidade de fazer as articulações que a cidade precisa para sair do marasmo administrativo em que  se encontra.

Com relação ao recém nomeado secretário de imprensa e como um homem de comunicação, o que esperamos é que ele de fato e de direito seja secretário de imprensa e isso requer de quem ocupa um cargo público, espírito público.

Assim, deve deixar fora da prefeitura a raiva, o rancor que guarda desde que deixou de acompanhar o ex-prefeito Joaquim Neto e também a sua antipatia pelos outros profissionais de comunicação que não comungam de seus pensamentos e não acham que ele é único e insubstituível, visto que vivemos numa democracia. A prova disso é que no debate que realizou com coordenadores de campanha, não convidou os que eram ligados ao ex-prefeito.

Dessa forma, deve deixar de lado essas mesquinharias, mudar e tratar igualmente a todos os que fazem a comunicação de Gravatá, com o respeito que o cargo exige, adotando uma postura de gestor público e de dirigente preocupado em mudar os destinos de Gravatá.

Para isso, nada melhor do que começar recolocando no ar o site da prefeitura e o Portal da Transparência e, talvez assim, saibamos onde foram investidos os R$ 2 milhões, que o Portal GN mostrou que foram gastos com propaganda. Afinal controlar os gastos com publicidade vai ser a sua área de atuação… Ou não?

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.