24 de setembro de 2014 às 21:45h

Ainda a questão de deputado federal

Algumas pessoas me questionaram a respeito da nota que dei sobre a importância da eleição de deputado federal para a política de Gravata.

Naquele texto mostrei que essa eleição daria a clara dimensão de cada líder político da cidade de Gravata,  porque é a única em que cada grupo tem o seu candidato.

Assim o grupo de Bruno prefeito apóia Sebastião Oliveira;

O grupo de Rafael Prequé o próprio líder Rafael é o candidato a federal;

O grupo de Joaquim Neto apoia o candidato Bruno Araújo;

O grupo de Fernando Pinheiro apoia Jorge Côrte Real;

Ozano Brito apoia Luciana Siqueira;

Charles da Madereira apoia Eduardo da Fonte;

Alexandre Medeiros e o PT apoia Oscar Barreto

Junior de Obras apoia Raul Jungman;

Danilo Melo apoia Jarbas Vasconcelos;

Elson Campos apoia André de Paula;

Gustavo da Serraria apoia Roberto Leandro

Júnior de Paulo apoia Lula Cabral

Assim cada um desses doze líderes políticos tem um candidato a deputado federal diferente e é essa votação que vai mostrar a força de cada um. Cabe ressaltar que ainda vão aparecer na urna votos para outros deputados que disputam uma vaga na câmara federal.

Por isso eleitor é que o seu voto para deputado federal é o mais importante para Gravatá porque se você votar em Sebastião Oliveira vai dizer que concorda com tudo que Bruno Martiniano está fazendo. Do mesmo modo se votar em Bruno Araújo vai referendar também o que Joaquim Neto já fez e vai reforçar essa briga de azul e vermelho. Portanto, se você não concorda com a gestão do atual prefeito e nem quer de volta o modelo de administrar de Joaquim Neto, então o seu voto deve ser dado a Rafael Prequé, ele merece esta chance de mostrar o seu modelo de administrar.

Lembre-se a eleição de agora é só o primeiro tempo, o segundo será em 2016 na eleição para prefeito e nessa nós não podemos perder de novo. Já perdemos duas, vamos ganhar a terceira.

Vote em Rafael  este é o voto da insatisfação, do protesto, da vontade de mudar, da vontade de ter uma cidade diferente com um líder político que respeita e considera o cidadão.

 

24 de setembro de 2014 às 16:31h

Oposição só ganha de Bruno se caminhar unida em 2016

É matemática. Quem acompanha as eleições de Gravata sabe que em 1996 Silva ganhou a eleição porque a oposição estava dividida.

Saíram candidatos a prefeito naquela época João Batista, pai de Danilo, Anastácio genro de Madalena e Joaquim Neto todos pela oposição disputando contra Solas candidato da situação apoiado por Luiz Prequé que era o prefeito de Gravata.

Pois bem quando as urnas foram abertas estava lá o resultado: os três candidatos da oposição tiveram 1 5 mil votos juntos. Entretanto, Solas teve pouco mais de nove mil votos e foi o vencedor, visto que em Gravata não temos segundo turno.

A mesma situação poderá se repetir em 2016 se todo mundo quiser ser candidato a prefeito disputando contra Bruno Martiniano.

Num quadro hipotético mas muito próximo da realidade supondo que saiam candidatos a prefeito: Rafael Prequé, Joaquim Neto, Darita, Ozano e Charles da Madeireira, o resultado vai ser o mesmo de 96, Bruno ganha com muito menos votos do que todos eles juntos.

Outro quadro é sem Joaquim Neto e com ele apoiando Leo do Ar, porque isso já foi acordado com Bruno Araújo e com Alberto Feitos a, caso Joaquim não consiga o registro o candidato do PSD em 2016 será Leo. A não ser que Joaquim escolha outro como escolheu Ozano, em lugar de Danilo e com certeza se arrependeu.

Portanto, a oposição só tem um caminho se unir para poder tirar Bruno da prefeitura, não esqueçam que uma prefeitura é uma arma poderosa e faz muita diferença numa cidade do interior.

24 de setembro de 2014 às 15:46h

Joaquim Neto vai ser candidato a prefeito

Muita gente vem me questionando a esse respeito, querendo saber minha opinião  a respeito dessa questão.

Antes de entrar nesse assunto propriamente dito quero esclarecer que não faço jornalismo raivoso, vingativo, descaracterizado. Pelo contrário gosto de um jornalismo opinativo com base em argumentação lógica, fundamentado em dados concretos.

Emoção só ajuda no jornalismo literário. No jornalismo opinativo – informativo só a razão pode contribuir para analisar um fato com imparcialidade.

Entrando na questão da candidatura de Joaquim Neto, da eleição anterior para a eleição atual existe uma diferença fundamental. Em 2012 quando foi candidato JN tinha apenas processos no TCU sugerindo a reprovação de suas contas. Além disso não havia processos transitado em julgado.

Na próxima eleição 2016, JN vai ter processos julgados, contas rejeitadas pela câmara e parecer da Procuradoria Geral contrários à sua candidatura.

Portanto, é um novo quadro que se for analisado pelo lado jurídico impede o seu registro. Entretanto, como no Brasil tudo ou quase tudo se resolve com política, é possível que ele possa ser candidato. Difícil, mas não impossível.

É só lembrarmos do caso de Brejo onde Bruno Araújo tirou um prefeito e botou como foi publicado na mídia, apenas com a amizade a um ministro.

Se Bruno Araújo ganhar e tiver força no novo governo pode fácil tarde a vida do ex- prefeito Joaquim Neto.

 

24 de setembro de 2014 às 14:41h

Rafael Prequé agrada eleitores

Você sabe quando um político está agradando ou desagradando pela forma como os eleitores aparecem nas fotos.

Não aquele que está junto do candidato, mas sim os que estão mais afastados, estão por traz do glamour, do flash da câmara.

A câmara tem um poder fantástico  e todos querem aparecer sorrindo quando são o alvo da cena. Mas o que está encostado no poste, sentado na calçada, na porta de casa,  apenas como observador é que demonstra o verdadeiro sentimento da população.

O olhar, o semblante, os trejeitos (caretas) dizem mais do que qualquer pesquisa. Analisei mais de mil fotos dessa campanha e nas de Rafael percebemos duas coisas: a primeira não há gestos de cobrança – dedo em riste, cara fechada, peito estufado como se estivesse pronto para a defesa, ou um ar arrogante, e pior de indiferença.

Já nas do prefeito Bruno percebemos uma insatisfação incontáveis,  um olhar decepção e frustração. Aquele olhar de quem foi ludibriado.E em alguns casos um gesto de raiva, uma cobrança, como quem diz, não foi pra isso que o senhor ganhou.

Assim constatamos através dessas fotos o carinho com que Rafael é recebido e a distância que a população quer do prefeito.

E o mais estranho é que a assessoria do prefeito deixa estas fotos irem para o ar.  Amadorismo puro…

.

24 de setembro de 2014 às 14:22h

Ainda as pesquisas

Como os institutos podem divergir de forma tão gritante. Mas agora vou mostrar o que está por traz dos números. Um dá uma diferença de 18 pontos de Dilma para Marina. Outro mostra as duas empatadas. É preciso desvendar este mistério.
A pesquisa Vou Populi tem o dedo do deus Edir Macedo que tem interesse em derrotar Marina por conta de sua briga com Silva Málaga ia.
Já o Inoperante é ouvidor da Globo logo tem interesse na vitória de Aécio e aí empata Dilma com Marina para mostrar que as duas são iguais e então aproveitar o resto da campanha para mostrar essa igualdade e assim favorecer Aécio.
Sendo assim a verdadeira pesquisa só no dia 5 de outubro, o dia da eleição.

24 de setembro de 2014 às 11:53h

Institutos diferem em 18% nas pesquisas para 2º turno.

Não dá para confiar nem nas pesquisas. Isso é o Brasil.

As duas pesquisas Vox Populi da Record e Ibope diferem radicalmente uma da outra.

Como confiar em institutos de pesquisas que apresentam números gritantemente diferentes umas das outras. Para se ter uma ideia ontem o Instituto Vox Populi através da Rede Recordo divulgou os números da corrida presidência e o Ibope também.

Vamos aos números do segundo turno que é o que nos interessa:

Na pesquisa Vox Populi a presidente Dilma aparece com 40% enquanto Marina apresenta 22%.

Na pesquisa do Ibope a presidente Dilma e Marina estão empatadas com 41%.

Alguém está manipulando números……

24 de setembro de 2014 às 11:30h

Presidente do Sindicato dos Servidores da Prefeitura de Gravatá denuncia irregularidades no conselho de saúde

Marcelo de Brito usa sua página no Facebook para alertar a população sobre problemas verificados na administração da saúde de Gravatá

Prestação de Contas da Saúde de Gravatá 25/09/2014

Há duas concepções de historia, uma que afirma um conceito linear(começo e fim), e outra sobre a visão cíclica da historia(a historia se repete, só se altera o micro, as particularidades). No caso do Conselho de Saúde de Gravatá a historia é cíclica, pois a maioria dos Conselheiros que representam a população estão votando a favor da prestação de contas pela não sei quantas as vezes. Os representantes da AMACS, AMACEG e do SINDSGRA estão votando pela irregularidade das contas da Saúde

Algumas das solicitações dos Conselheiros, que não foram cumpridas, são:

1 – Os empenhos e demonstrativos de transferências bancarias das assciações e sindicatos dos 03 quadrimestres de 2013;

2 – os empenhos e demonstrativos de transferencias bancarias dos imoveis locados pela sms dos 03 quadrimestres de 2013;

3 – lista e comprovante de pagamento dos beneficiarios do TFD;

4 – os repasses(comprovante) para o IPSEG e RGPS;

5 – conciliação bancaria e extrato bancário de todas as contas do Fundo Municipal de Saúde;

6 – licitação da Reforma do Hospital Paulo da Veiga Pessoa do ano de 2013;

7 – relação de todos servidores da Secretaria de Saúde com suas respectivas remunerações, funções, vinculos e locais de trabalho.

Foto dos Conselheiros

consleho de saúde2

23 de setembro de 2014 às 09:40h

A Hora é de Rafael Prequé para defender Gravatá

O porquê do meu apoio a Rafael Prequé!

Perguntaram-me porque apoio Rafael Prequé se eu nunca apoiei o pai dele? Respondi que nunca apoiei Luiz Prequé porque sempre estivemos distantes politicamente um do outro, uma questão conjuntural, de oportunidade, embora sempre conversamos sobre a política de Gravatá e sempre mantivemos um relacionamento respeitoso um para com o outro.

Depois me questionaram porque deixei o grupo de Joaquim Neto. Informei que nunca fiz parte do grupo de JN, apenas o apoiei em algumas ocasiões, em algumas eleições, como a última para prefeito onde tinha que exercer meu direito de cidadão e escolher aquele que naquele momento parecia ser o melhor para a cidade. Na eleição de Bruno e JN eu entendi que a proposta de JN era a ideal para Gravatá e não estava errado. A insatisfação da população com o atual gestor mostra que quem o escolheu, está arrependido.

Em seguida me perguntaram porque não fiquei com Bruno Martiniano, se fui coordenador da campanha do pai dele e depois secretário da  gestão de Sebastião. Expliquei que pai e filho são duas pessoas completamente diferentes, nada a ver uma com a outra. O filho tem uma forma de se relacionar com as pessoas, de agir, que não concordo, porque para mim a coisa mais importante num relacionamento é o respeito. Sem respeito não dá para conviver, compartilhar e acima de tudo desenvolver projetos.

Face as explicações iniciais, gostaria de dizer que escolhi Rafael Prequé porque ele representa o “novo”, representa a vontade política de mudar, representa o desejo de assumir o poder para mudar a face de sua cidade. Há muito tempo que não via uma pessoa tão determinada, tão destemida, tão decidida sobre o que quer e como quer que mostra que ainda temos chance de escolher alguém que de fato goste de Gravatá.

Uma coisa é você ser candidato por conta da morte do pai e da raiva que ficou de Joaquim Neto. Assim como a de emoção de João Henrique que foi em cima da morte do pai dele Eduardo Campos. Outra bem diferente é você ser um político nato, que faz política 24 horas por dia, que se dedica ao trabalho de garimpar votos sem destruir amizades, de defender propostas sem atingir a honra e sem criar inimigos e Rafael age assim.

Volto a dizer, há muito não via um político espontâneo, natural, carismático, popular, amigo e pronto para assumir o poder como Rafael Prequé. Pronto porque o seu currículo lhe garante as condições de brigar por qualquer cargo,  deputado federal ou prefeito de Gravatá, Rafeel é jovem, cheio de sonhos e ideias para desenvolver na sua cidade e acima de tudo é u  homem de família e que vem de uma família muito bonita e muito ligada que é a família Prequé.

Precisamos da energia de Rafael, principalmente depois que Gravatá caiu na situação em que se encontra, parecendo cidade fantasma, parecendo uma cidade que parou no tempo, parecendo uma cidade sem vontade, sem projeto, sem ação, uma cidade sem futuro. Além disso há denúncias gravíssimas de irregularidades que causam espanto até aos mais experientes políticos, como um que disse que em Gravatá o menino foi com muita sede ao pote.

Por isso escolhi Rafael, porque quero o melhor para Gravatá e como sendo cidadão desta cidade e tendo recebido o título de cidadão, tenho a responsabilidade de participar de um grupo e defender uma proposta.

Pela primeira vez faço parte de um grupo político de Gravatá. O grupo de Rafael Prequé! Estamos juntos para um projeto de mudança política, com um novo jeito de fazer política baseado no respeito e na consideração às pessoas, mas também calcado no cumprimento dos compromissos assumidos.

Estamos juntos para desenvolver um projeto de poder que aponta para a disputa do cargo de prefeito daqui a dois anos, que aponta para um trabalho que vi além do período eleitoral e não dura apenas uma eleição.

Vamos dar essa oportunidade a Rafael Prequé, é a hora dele. É a hora do verdadeiro, do novo. É hora de dizer não a tudo que está aí e que não serve para o nosso povo.

Voto Rafael Prequé para deputado federal e Joaquim Lira para deputado estadual, porque quando nós escolhemos o nosso líder nós acompanhamos as suas escolhas políticas e Rafael Prequé escolheu Joaquim Lira para ser o seu parceiro nesta empreitada de dar esperança ao povo de Gravatá.

Vote Rafael Prequé 4055, para defender Gravatá em 2014, em 2016….

Para concluir enquanto Rafael Prequé for essa pessoa humilde, mas que não se humilha já deu provas disso; amigo e leal, mas sem ser idiota; responsável e decido, mas sem ser fanático; popular e carismático, mas sem ser falso, então estarei com ele, porque esses são os atributos de qualquer homem, principalmente de um homem político e enquanto ele tiver esse comportamento estarei com ele.

15 de setembro de 2014 às 21:49h

Balão de Armando Monteiro murchou e está de cabeça para baixo

balao de armando

O balão de propaganda da campanha de Armando Monteiro ao governo do estado, que fica na Ponte do Comércio, na cidade de Gravatá está de cabeça para baixo e murchando, o que dá uma impressão de abandono.

Será que os coordenadores da campanha do candidato ainda não viram ou não será que eles estão mais nem aí para a campanha de Armando e jogaram a toalha, entregando os pontos e achando que Paulo Câmara já é o vitorioso.

Quando um candidato começa a cair….

15 de setembro de 2014 às 10:47h

Marina chora de mentira, como Lula e Dilma também já choraram e como choram todos os políticos.

Política & Políticos

Marina chora de mentira, como Lula e Dilma também já choraram e como choram todos os políticos

Esta será a coluna política do www.blogdotomaz.com.br e vai estar muito mais preocupada com o que a mídia publica, como publica, porque publica e o  que ganha com essa publicação.

Quem entra na política sabe em pouco tempo que é um ambiente onde ninguém tem palavra. Onde todos traem, enganam, mentem e mentem muito. E os crentes que estão lá também são assim! Não são diferentes de ninguém.

É a regra!

Não adianta Marina se fazer de sentida porque Lula está fazendo com ela o que aconteceu com ele em eleições passadas. Ela vai fazer a mesma coisa quando chegar ao poder. Nenhuma diferença.

Mas não é isso que deve nortear a nossa de visão de votar em Dilma ou Marina porque se as duas mentem e engana  e se aliam com quer que seja (Sarney por exemplo, para garantir a governabilidade a nossa decisão tem de se dar em cima do que já foi feito pelo PT e de como foi feito.

Algumas coisas até foram feitas pela legenda que está há doze anos no poder. Mas a forma como feita deixou a desejar. A política mais nojenta, ,mais corrupta, a forma mais atrasada de negociação de aprovação de projetos, os desvios mais descarados que a população já viu.

Mas tudo isso ainda é pouco diante da cara de pau dos que dizem: “Eu não sabia de nada”.

Por isso a nossa decisão tem que ser tomada em cima de uma coisa simples: Mudar, para ver se a nova prática que vai ser adotada pelo novo mandatário é menos nociva ao País da que foi aplicada pelos que estão no poder.

Mudar para ver se muda. Só isso! SE não mudar, mudamos de novo. Marina disse que só ficaria um mandato. Se ela ganhar a eleição presidencial e quiser continuar, mudamos de novo.

Essa deve ser a única regra do eleitor. Mudar sempre.

Mude e assim você estará contribuindo para melhorar o sistema político.