23 de setembro de 2014 às 09:40h

A Hora é de Rafael Prequé para defender Gravatá

O porquê do meu apoio a Rafael Prequé!

Perguntaram-me porque apoio Rafael Prequé se eu nunca apoiei o pai dele? Respondi que nunca apoiei Luiz Prequé porque sempre estivemos distantes politicamente um do outro, uma questão conjuntural, de oportunidade, embora sempre conversamos sobre a política de Gravatá e sempre mantivemos um relacionamento respeitoso um para com o outro.

Depois me questionaram porque deixei o grupo de Joaquim Neto. Informei que nunca fiz parte do grupo de JN, apenas o apoiei em algumas ocasiões, em algumas eleições, como a última para prefeito onde tinha que exercer meu direito de cidadão e escolher aquele que naquele momento parecia ser o melhor para a cidade. Na eleição de Bruno e JN eu entendi que a proposta de JN era a ideal para Gravatá e não estava errado. A insatisfação da população com o atual gestor mostra que quem o escolheu, está arrependido.

Em seguida me perguntaram porque não fiquei com Bruno Martiniano, se fui coordenador da campanha do pai dele e depois secretário da  gestão de Sebastião. Expliquei que pai e filho são duas pessoas completamente diferentes, nada a ver uma com a outra. O filho tem uma forma de se relacionar com as pessoas, de agir, que não concordo, porque para mim a coisa mais importante num relacionamento é o respeito. Sem respeito não dá para conviver, compartilhar e acima de tudo desenvolver projetos.

Face as explicações iniciais, gostaria de dizer que escolhi Rafael Prequé porque ele representa o “novo”, representa a vontade política de mudar, representa o desejo de assumir o poder para mudar a face de sua cidade. Há muito tempo que não via uma pessoa tão determinada, tão destemida, tão decidida sobre o que quer e como quer que mostra que ainda temos chance de escolher alguém que de fato goste de Gravatá.

Uma coisa é você ser candidato por conta da morte do pai e da raiva que ficou de Joaquim Neto. Assim como a de emoção de João Henrique que foi em cima da morte do pai dele Eduardo Campos. Outra bem diferente é você ser um político nato, que faz política 24 horas por dia, que se dedica ao trabalho de garimpar votos sem destruir amizades, de defender propostas sem atingir a honra e sem criar inimigos e Rafael age assim.

Volto a dizer, há muito não via um político espontâneo, natural, carismático, popular, amigo e pronto para assumir o poder como Rafael Prequé. Pronto porque o seu currículo lhe garante as condições de brigar por qualquer cargo,  deputado federal ou prefeito de Gravatá, Rafeel é jovem, cheio de sonhos e ideias para desenvolver na sua cidade e acima de tudo é u  homem de família e que vem de uma família muito bonita e muito ligada que é a família Prequé.

Precisamos da energia de Rafael, principalmente depois que Gravatá caiu na situação em que se encontra, parecendo cidade fantasma, parecendo uma cidade que parou no tempo, parecendo uma cidade sem vontade, sem projeto, sem ação, uma cidade sem futuro. Além disso há denúncias gravíssimas de irregularidades que causam espanto até aos mais experientes políticos, como um que disse que em Gravatá o menino foi com muita sede ao pote.

Por isso escolhi Rafael, porque quero o melhor para Gravatá e como sendo cidadão desta cidade e tendo recebido o título de cidadão, tenho a responsabilidade de participar de um grupo e defender uma proposta.

Pela primeira vez faço parte de um grupo político de Gravatá. O grupo de Rafael Prequé! Estamos juntos para um projeto de mudança política, com um novo jeito de fazer política baseado no respeito e na consideração às pessoas, mas também calcado no cumprimento dos compromissos assumidos.

Estamos juntos para desenvolver um projeto de poder que aponta para a disputa do cargo de prefeito daqui a dois anos, que aponta para um trabalho que vi além do período eleitoral e não dura apenas uma eleição.

Vamos dar essa oportunidade a Rafael Prequé, é a hora dele. É a hora do verdadeiro, do novo. É hora de dizer não a tudo que está aí e que não serve para o nosso povo.

Voto Rafael Prequé para deputado federal e Joaquim Lira para deputado estadual, porque quando nós escolhemos o nosso líder nós acompanhamos as suas escolhas políticas e Rafael Prequé escolheu Joaquim Lira para ser o seu parceiro nesta empreitada de dar esperança ao povo de Gravatá.

Vote Rafael Prequé 4055, para defender Gravatá em 2014, em 2016….

Para concluir enquanto Rafael Prequé for essa pessoa humilde, mas que não se humilha já deu provas disso; amigo e leal, mas sem ser idiota; responsável e decido, mas sem ser fanático; popular e carismático, mas sem ser falso, então estarei com ele, porque esses são os atributos de qualquer homem, principalmente de um homem político e enquanto ele tiver esse comportamento estarei com ele.

15 de setembro de 2014 às 21:49h

Balão de Armando Monteiro murchou e está de cabeça para baixo

balao de armando

O balão de propaganda da campanha de Armando Monteiro ao governo do estado, que fica na Ponte do Comércio, na cidade de Gravatá está de cabeça para baixo e murchando, o que dá uma impressão de abandono.

Será que os coordenadores da campanha do candidato ainda não viram ou não será que eles estão mais nem aí para a campanha de Armando e jogaram a toalha, entregando os pontos e achando que Paulo Câmara já é o vitorioso.

Quando um candidato começa a cair….

15 de setembro de 2014 às 10:47h

Marina chora de mentira, como Lula e Dilma também já choraram e como choram todos os políticos.

Política & Políticos

Marina chora de mentira, como Lula e Dilma também já choraram e como choram todos os políticos

Esta será a coluna política do www.blogdotomaz.com.br e vai estar muito mais preocupada com o que a mídia publica, como publica, porque publica e o  que ganha com essa publicação.

Quem entra na política sabe em pouco tempo que é um ambiente onde ninguém tem palavra. Onde todos traem, enganam, mentem e mentem muito. E os crentes que estão lá também são assim! Não são diferentes de ninguém.

É a regra!

Não adianta Marina se fazer de sentida porque Lula está fazendo com ela o que aconteceu com ele em eleições passadas. Ela vai fazer a mesma coisa quando chegar ao poder. Nenhuma diferença.

Mas não é isso que deve nortear a nossa de visão de votar em Dilma ou Marina porque se as duas mentem e engana  e se aliam com quer que seja (Sarney por exemplo, para garantir a governabilidade a nossa decisão tem de se dar em cima do que já foi feito pelo PT e de como foi feito.

Algumas coisas até foram feitas pela legenda que está há doze anos no poder. Mas a forma como feita deixou a desejar. A política mais nojenta, ,mais corrupta, a forma mais atrasada de negociação de aprovação de projetos, os desvios mais descarados que a população já viu.

Mas tudo isso ainda é pouco diante da cara de pau dos que dizem: “Eu não sabia de nada”.

Por isso a nossa decisão tem que ser tomada em cima de uma coisa simples: Mudar, para ver se a nova prática que vai ser adotada pelo novo mandatário é menos nociva ao País da que foi aplicada pelos que estão no poder.

Mudar para ver se muda. Só isso! SE não mudar, mudamos de novo. Marina disse que só ficaria um mandato. Se ela ganhar a eleição presidencial e quiser continuar, mudamos de novo.

Essa deve ser a única regra do eleitor. Mudar sempre.

Mude e assim você estará contribuindo para melhorar o sistema político.

9 de setembro de 2014 às 14:28h

Como será o nosso amanhã?

Falando das promessas consoladoras para Sião, o profeta Isaías escreveu o seguinte: “Por isso, o SENHOR espera, para ter misericórdia de vós, e se detém, para se compadecer de vós, porque o SENHOR é Deus de justiça; bem-aventurados todos os que nele esperam” (Isaías 30.18).
Envolvido com as facilidades do sistema, ilhado por um rosário de regras impostas pela sociedade, fica difícil o homem da pós-modernidade entender a vontade de Deus e nEle esperar como um amigo capaz de colaborar para a solução dos seus problemas. A misericórdia de Deus e sua compaixão pelo homem são equilibradas. Elas interagem com Sua justiça e com o fato dEle ser exalçado.
Para que o homem possa esperar em Deus, não deve estar preocupado somente com o agora, não deve agir mecanicamente ou pensar aleatoriamente, mas tudo deve fazer racionalmente, com uma visão futurista tranqüila, sem receio de conseqüências drásticas. Vê-se que qualquer pessoa almeja uma vida prazerosa, porém agindo mecanicamente, está semeando ao vento e não colherá outra coisa senão tempestade. Há um Provérbio que diz: “Porque deveras haverá bom futuro; não será frustrada a tua esperança” (Provérbios 23.18). Este versículo provê a perspectiva de que todos precisam de sucesso atual não como um resultado definitivo. A expressão “bom futuro” pode ser interpretada como futuro glorioso que está reservado a todos os justos que depositam sua fé em Cristo Jesus. A vontade de Deus se fundamenta no caráter dEle. Deus é bom e deseja que sejamos bons. Deus é justo e deseja que sejamos justos. O que acontece ao homem se provar desse caráter de Deus? Ele precisa agir como Jesus agiu para torná-Lo conhecido através de si, nos seus relacionamentos. Por isso, o homem tem que andar com Deus. O homem não tem que permitir que a vida o leve, ele é quem deve levar a vida. Nossa vida se resume em duas coisas: em realizações ou em desculpas. Assim, Deus espera agora que trabalhemos, que amadureçamos na fé porque é Ele quem está preocupado com nosso futuro.
Todo jovem almeja um futuro brilhante através do estudo e do trabalho, mas se desde cedo se envolve com más companhias, a tendência é seguir o lado mau, o lado dos vícios em geral e da criminalidade. Para vencer nas diversas áreas da vida, o jovem tem que renunciar aos maus caminhos e adotar em sua vida uma firmeza de princípios, a fim de enfrentar as armadilhas que levam à destruição. São os princípios que mudam nossas vidas e não o que pensamos ou o que achamos. A Bíblia mostra a história de homens que andaram com Deus e foram contemplados com Seus benefícios, mas no final enveredaram por caminhos tortuosos que os levaram à destruição. O homem cresce quando anda no caminho certo. Muitos acreditam que o dinheiro resolve qualquer situação, mas é engano. O dinheiro compra remédio, mas não compra saúde; compra bajuladores, mas não faz verdadeiros amigos; compra uma boa causa, mas não compra a tranqüilidade; compra o conforto, mas não compra a paz interior. O homem tem que parar de olhar para fora e começar a olhar para dentro porque para onde o homem está olhando, é que determina para onde ele está indo.