2 de dezembro de 2014 às 06:55h

Protesto em Gravatá promete agitar a cidade

Entidades ligadas aos servidores municipais não se conformam com a decisão do presidente da Câmara Municipal de antecipar a reunião que aconteceria hoje a noite para o horário da manhã.

Segundo os líderes do movimento o presidente da Câmara Pedro Martiniano, que é irmão do prefeito está querendo evitar que a população proteste contra os desmandos do seu irmão e prefeito da cidade, Bruno Martiniano.

Na semana passada ele (o presidente) cancelou a reunião de última hora, mas mesmo assim os manifestantes se concentraram na frente da câmara com faixas e cartazes pedindo a cassação do prefeito acusado de corrupção pelos vereadores da oposição.

Mesmo com a antecipação do horário os líderes do protesto garantem que o movimento que foi batizado de Fora Bruno vai acontecer em qualquer horário.

1 de dezembro de 2014 às 21:31h

Reunião da Câmara antecipada

O presidente da Câmara Municipal de Gravatá, vereador Pedro Martiniano antecipou a reunião que ocorreria às 19 horas desta terça passou para às 9 horas da manhã.

O presidente alega que a antecipação do horário se deu por conta de prováveis protestos que seriam realizados pela população contra os desmandos do atual prefeito.

Ao que tudo indica a decisão foi inócua visto que o protesto também foi antecipado.

30 de novembro de 2014 às 05:00h

Adoração

Há um entendimento muito pálido a respeito do significado do termo adoração e a prática não corresponde.

O povo cristão, infelizmente, sabe como ninguém pedir a Deus; quanto a agradecer, poucos se lembram e poucos sabem;  mas adorar a Deus, 99% desconhecem.  Muitos entendem que adorar é cantar e bater palmas. Outros confundem louvar com adorar.  Até os dicionários fazem essa diferença. O rei Davi era especialista em adorar.  Se muitos cristãos sentissem desejo de estudar a Bíblia com atenção e também de aprender, bastaria ler alguns Salmos que ensinam formas de adoração ao Senhor.  Nunca foi proibido louvar nas igrejas.  O Salmo 22.3 diz que  “Deus habita entre os louvores de Israel”.  O Salmo 47.1 diz:  “Cantai com voz de triunfo”.  O Salmo 105.2 diz:  “Cantai-lhe e falai de todas as suas maravilhas”.  Há maneiras agradáveis de cantar e louvar ao Senhor com alegria. Até os hinos do Cantor Cristão podem ser cantados com voz de triunfo sem a histeria dos louvores.

Adorar é expressão, é engrandecer, é exaltar o nome de Deus como fez o salmista.  Adoração é a vida, é uma disposição de espírito na vida, é uma decisão interior de andar em gratidão a Deus.  Todas as classes de pessoas procuram a Deus, como ricos, pobres, sábios e ignorantes, mas ninguém adora, só pede.

Os evangelhos trazem dezenas ou centenas de formas de adoração, por exemplo:  os magos vieram adorar o menino Jesus e não cantar e bater palmas  (Mateus 2.2);  a mulher cananéia chegou e o adorou  (Mateus 15.25);  a mãe de Tiago e João aproximou-se de Jesus, primeiro O adorou e fez um pedido  (Mateus 20.20); o cego de nascença quando encontrou Jesus no templo, creu e O adorou  (João 9.38).

Os cristãos de hoje cantam mais do que os antigos.  Só que os antigos cantavam melhor, isto é, cantavam uma teologia pura como preparo para a mensagem.  O Cantor Cristão, repleto de hinos inspirados, escritos por pessoas ungidas e desinteressadas em lucros, foi desprezado e, nos cultos, para não desagradar, canta-se um hino qualquer do Cantor Cristão no mesmo ritmo dos que se cantam nos velórios, isto é, sem a alegria e animação dos louvores.  Parece até que se tornaram  “feios”  para a igreja moderna. Substituíram o Cantor Cristão pelo histerismo gospel.

O Senhor Jesus como o homem dos grandes exemplos, a única vez que cantou foi na noite da traição (Mateus 26.30). Cantou e retirou-se para o monte das Oliveiras.  Outro exemplo é o de Paulo e Silas no cárcere de Filipos que cantaram na prisão (Atos 16.25).  O propósito daqueles homens de Deus, a começar pelo Senhor Jesus, era anunciar o evangelho e anunciá-lo com sinais.  A Bíblia diz: “Estes sinais seguirão os que crerem”  (Marcos 16.17), mas está o contrário, os que acham que crêem estão atrás de sinais.  Já ouvi alguém dizer:  “Gosto de tal igreja por causa dos louvores”.

Dos anos 90 para cá, o Brasil foi sacudido pela música gospel.  Inicialmente era branda, sem interesse comercial, mas ultimamente, surgiram gravadoras em quantidade e o alvo da adoração foi trocado pela disputa. O sonho de muitos jovens converteu-se na fama e em ganhar dinheiro.  Alguém já comentou que se trata de um negócio milionário para as gravadoras com lucros para renomados líderes.  Quem canta é muitas vezes explorado por abutres da alma e só até quando servem, porque depois são descartados.  Depois da decepção, saem por aí frustrados visitando igrejas, cantando, dando seus testemunhos, contando como foram salvos por Jesus e, ao mesmo tempo, falando mal das gravadoras.  É um testemunho de contrastes.  No final dos cultos, tentam vender CD´s em portas de igrejas para sobreviver.  Quem desta maneira iniciou a vida de cantor, nem sempre estava adorando a Deus, mas praticando uma histeria gospel para auferir lucros.

Melhor ter um emprego e cantar por amor.  Algumas igrejas de capitais convidam cantores para apresentarem verdadeiros “shows” aeróbicos e, com isso, a igreja consegue levantar grandes ofertas. Cantor virou grande negócio nos púlpitos. Tornou-se descanso para pregadores sem ânimo de pregar.  O tempo de pregação é substituído por cantores.  Alguns pregadores quando assumem o púlpito, costumam dizer cheios de satisfação e convicção:  “Irmãos, poderíamos dizer amém, encerrar o culto e irmos para casa”.  Tudo em razão dos louvores.

 

Enquanto adoração no meio evangélico for sinônimo de histerismo, de apresentação aeróbica, de pisa da cabeça do diabo etc, não estaremos adorando ao Criador.  Parece até que um momento de silêncio numa igreja poderá deixar pessoas deprimidas.  Cantam muito, mas não adoram nada.  Cantor tem que cantar por amor.  Faz-se adoração em proveito próprio.  Trata-se de uma guerra de vaidade e disputas.  Alguns grupos não se falam, brigam e são pessoas sem compromisso com o evangelho, mas com os lucros.  Todos querem chegar primeiro, mas não se sabe onde.

 

Por Eliezer Andrade

28 de novembro de 2014 às 08:41h

Gravatá e Garanhuns a diferença do chorume para o vinho

natal garanhunsEnquanto a cidade de Garanhuns ganha o Natal Luz que era nosso e inaugura a sua iluminação Natalina, a nossa Gravatá vai cada vez mais afundando num mar de lama com denúncias de corrupção ativa e passiva, de apropriação indébita do dinheiro público, do atraso do pagamento dos funcionários, da falta de investimentos em educação, saúde, saneamento básico.

gravatá

Além disso, o prefeito Bruno Martiniano é acusado formalmente pela oposição que alega possuir provas documentadas e que  já foram entregues à Polícia Federal e ao MPPE, com indícios de formação de quadrilha, prevaricação, desvio de dinheiro público e aquisição de bens patrimoniais incompatíveis com a renda do gestor.

Dessa forma não dá nem para se fazer  a comparação tradicional que se diz da água para o vinho. Só dá para comparar mesmo é com o chorume, aquele líquido viscoso e fedorento que escorre do lixo, do acúmulo de coisas que não prestam e que vira lama suja que respinga em todos os que querem se beneficiar indevidamente da coisa pública.

Perdemos tudo que tínhamos e não ganhamos nada em troca.

Perdemos o salgadão e não veio o CIEE – Centro Integrado de Esportes e Educação, perdemos o Teleférico para Bonito que em breve será inaugurado; perdemos o polo moveleiro para Pombos que já está em fase de implantação, perdemos o distrito industrial para Bezerros que já ganhou duas indústrias e uma delas a de colchões já começa a operar em janeiro, estamos perdendo nosso mercado imobiliário para Chã Grande e para Bezerros, perdemos a Semana Santa para Caruaru, perdemos o Festival de Inverno para Pesqueira, o festival de Gastronomia, pasmem, para Vicência, sem nenhum demérito para o município de Vicência, apenas em função do status que cada uma das duas cidades possui.

Perdemos ainda, o Natal Luz para Garanhuns e o Virtuosi que esta semana já aconteceu em outra cidade. Perdemos ainda o São João para Caruaru porque esse já não existe por aqui há três anos.

A Câmara Municipal que tem como presidente Pedro Martiniano que é irmão do prefeito, respalda a maioria das irregularidades visto que a bancada da situação tem nove vereadores, a oposição tem cinco  e um dos vereadores foi acusado pela vereadora Sônia de fazer jogo duplo.

No fim do ano passado o prefeito disse que 2014 seria o ano de Gravatá, numa alusão ao número 14 de sua campanha que tem como representante no jogo do bicho um “gato”. E deve ter sido mesmo um  grande ano para ele que adquiriu muitos bens, vai somente explicar à justiça como foi essa aquisição e para alguns, visto que Gravatá tem até secretário milionário que compra apartamento de mais de R$ 2 milhões de reais e ainda passa procuração para outra pessoa, conforme denunciou o ex-deputado Edgar Moury Fernandes.

Portanto, este é o cenário econômico e político de Gravatá para 2015, e como podemos concluir não é nada promissor.

28 de novembro de 2014 às 08:13h

Empresários imobiliários continuam deixando Gravatá

Mais dois empresários deixam este mês o mercado imobiliário de Gravatá com destino a outras cidades como Chã Grande, Bezerros e Caruaru.

Alguma coisa que não é republicana acontece quando algum empresário procura a prefeitura para implantar um empreendimento na cidade. Eles não querem dizer o motivo e apenas afirmam que não dá porque se aceitarem determinadas condições não terão lucro nenhum com o investimento.

Assim preferem outras cidades onde a prefeitura ao invés que querer participar dos lucros da empresa, opta por incentivar a atração de recursos do setor imobiliário oferecendo vantagens e incentivos fiscais.

Alegam que ainda por cima tem a rigidez da legislação atrasada e arcaica do Plano Diretor de Gravatá, completamente inadequado a realidade do momento que se vive e que não tem previsão para a readequação por parte da prefeitura.

Dessa forma é melhor partir para outros locais e assim garantir retorno que é o objetivo de todo empresário, visto que não se investe onde há risco de prejuízo.

27 de novembro de 2014 às 06:29h

Dia de Agradecimento

Portanto, já que estamos recebendo um Reino inabalável, sejamos agradecidos e, assim, adoremos a Deus de modo aceitável, com reverência e temor, Hebreus 12:28

Amigos hoje é um dia de Ação de Graças onde devemos do amanhecer ao anoitecer somente agradecer ao nosso Deus por todas as bênçãos que Ele nos têm dado. Hoje não é dia de pedir, de solicitar, de ficar com raiva, de relembrar iras e rancores, hoje é o dia da vitória da alegria e do reconhecimento, portanto agradeça pela sua família, pelo seu dia, por acordar, por estar vivo.

Portanto, vamos unir aos nossos agradecimentos a nossa adoração e vamos louvar aos nosso Deus.

27 de novembro de 2014 às 06:23h

Segurança de Gravatá

Aconteceu ontem na Associação Comercial e Empresarial de Gravatá uma reunião para discutir os problemas de segurança da cidade.

Contando com a presença do secretário de Defesa Social de Gravatá, Humberto Interaminense é do secretário de segurança do estado Alessandro Carvalho, o encontro teve o objetivo de reivindicar a transformação da Companhia de Polícia em Batalhão, pois assim o município ficaria mais protegido.

O presidente da Aciag, vereador João Paulo de Lemos destacou a medida como um passo da Aciag no sentido de buscar soluções para os problemas que afligem os cidadãos.

Como todos sabem a nossa cidade atravessa uma grave crise administrativa, moral e política e assim todos os setores são afetados. A segurança é uma delas e a cada dia a população sofre com assaltos nas ruas, dentro de casa, com arrombamentos das casas dos privês, com roubo de carros constantes e diários e agora com arrastões em restaurantes de acordo com divulgação de um blog local.

Sem nenhuma iniciativa da administração a Associação Comercial de Gravatá faz o papel que caberia ao governo municipal que sem credibilidade não consegue reunir os setores da sociedade para debater os graves problemas que não consegue responder. Entretanto, por conta da rejeição do prefeito, o debate se transformou numa reunião da prefeitura, pois a maioria dos presentes era formada por secretários, cargos comissionados e diretores da própria associação.

Essa ausência do povo de Gravatá nesses eventos é por conta do descrédito do atual prefeito, cuja rejeição é percebida em todos os lugares.

O importante é que se abre um forum para se discutir os problemas do município, muito embora todos saibamos que dificilmente alguma medida será tomada, considerando-se que estamos no fim da gestão do atual governador e qualquer decisão só será tomada no próximo ano.

Acompanhe as entrevistas concedidas ao jornalista Tomaz de Aquino da Rota232.

25 de novembro de 2014 às 19:27h

Presidente cancela reunião da câmara e não comunica a vereadora da oposição

O vereador e presidente da Câmara Municipal de Gravatá, Pedro Martiniano, cancelou a reunião que aconteceria na noite desta terça feira, alegando que a medida  visava evitar conflitos com manifestantes que fariam um protesto a noite na frente da casa legislativa.

O problema é que o presidente da casa Vereador Elias Torres, não comunicou o cancelamento aos vereadores, pelo menos a alguns deles, particularmente a vereadora de oposição Sônia Souza, que revoltada com a falta de responsabilidade do presidente que é irmão do atual prefeito Bruno Martiniano, disse que iria para a câmara porque não foi comunicada oficialmente do cancelamento, o que deveria ter ocorrido por ser uma representante  eleita pelo povo.

Para ela a decisão do presidente foi porque ele teve medo de enfrentar o povo que vem reclamar contra os desmandos de seu irmão que foi denunciado ao MPPE e à Polícia Federal pelos crimes de formação de quadrilha, enriquecimento ilícito, prevaricação, uso de laranjas e mais outros delitos administrativos e civis que estão sendo investigados.

Além disso, o Tribunal de Contas cobrou do prefeito agilidade no processo de restauração de uma escola municipal que recebeu R$ 1.400 mil do governo do estado e teve três processos de licitação cancelados por conta de irregularidades.

O protesto de hoje seria basicamente contra os atrasos de pagamento de salários dos servidores que resolveram convocar seus colegas pelas redes sociais e assim chamar a atenção da população para o descaso do prefeito com a categoria.

Portanto, a cidade de Gravatá está atravessando uma grave crise política, administrativa e moral.