9 de janeiro de 2015 às 06:38h

Mais uma vez uma festa sem planejamento e sem resultados para o trade turístico

A prefeitura anunciou no dia 6 a programação da Festa de Reis da cidade que vai começar no dia 10 e segue até o dia 11, são apenas dois dias para comemorar um dos eventos mais tradicionais de Gravatá.

Para compensar as críticas que recebeu na Festa de Russinhas por não ter apoiado a festa de lá, a prefeitura vai colocar o palanque da Festa de Reis ao lado da igreja (passando manteiga no bigode do gato) especialidade do atual secretário de turismo.

A improvisação, a falta de atrações nacionais e de peso para atrair turistas, a falta de planejamento e os custos que ninguém sabe quais foram, marcam mais esta decisão da prefeitura, tomada de sopetão, de última hora, sem nenhuma discussão, sem nenhum debate com o Conselho de Turismo, que é omisso e subserviente à atual gestão, pois se houve reunião era para ter comunicado à população, a imprensa e, particularmente, ao trade turístico.

Assim ficamos a mercê de um prefeito que pouco está se incomodando com o caos administrativo da cidade, com um secretário que faz de conta que faz as coisas e com um conselho de turismo que pode fazer qualquer coisa menos discutir e debater o turismo de Gravatá.

Ou esses não têm do que reclamar e a situação para eles está muito cômoda.

A programação que a prefeitura divulga é fraca, não atrai, pode até ter gente, mas não visitantes, não turistas para os hotéis e para incentivar o crescimento das vendas no comércio e no turismo.

Confira a programação de uma festa anunciada para acontecer num prazo de três dias. Ou é brincadeira ou é apenas mais uma falta de respeito da atual gestão com os que fazem esta cidade e que se calam, se omitem e apenas murmuram pelos cantos e nas caladas da noite.

Sábado – 10 de janeiro de 2015

21 horas – Don Tronxo

23 horas – Augusto César

01:00 – (Atração a confirmar)

Domingo – 11 de janeiro de 2015

21 horas – Adilson Ramos

23 horas – Banda Brucelose

9 de janeiro de 2015 às 06:16h

Ex-secretario de turismo de Gravatá critica a atual gestão esquecendo da sua

Na multidão de palavras não falta pecado, mas o que modera os seus lábios é sábio. Provérbios 10:19

Fernando Resende, ex-secretário de turismo de Gravatá e novamente vereador, pois reassumiu seu cargo na câmara ao deixar a pasta, quer mostrar uma independência que não tem, pois é da base do governo, apoia o governo e defende o governo.

O vereador diz  na sua página no facebook que a secretaria de saúde se equivocou ao decidir de forma unilateral a questão dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) ao optar pela compra de Equipamentos Individuais ao invés de utilizar a verba do MS para pagamento de abono aos trabalhadores. Na sua nota o vereador diz que faltou diálogo da secretaria com os ACS´s.

Depois fala em debate querendo dar aula de democracia e diálogo como se não concordasse com as práticas autoritárias da atual gestão que não escuta ninguém, não respeita ninguém, não conversa com ninguém e ainda por cima está enlameada em ações escusas já denunciadas pela oposição, da qual o vereador não faz parte.

Na verdade o desejo do vereador é mudar a sua imagem, pois saiu muito chamuscado da prefeitura depois de uma gestão fraca onde não conseguiu manter os projetos de turismo que a cidade tinha e não trouxe novos projetos para o município prejudicando o trade turístico.

Se ele é tão democrático e gosta tanto de conversa pergunto: O que aconteceu com o Conselho de Turismo de Gravatá na sua gestão? Quantas reuniões aconteceram entre o Conselho, ele e o prefeito para discutir as ações da pasta? Qual planejamento foi feito junto com os interessados do segmento?

Jogar para a platéia é muito bom, mas a história e o passado mostram a verdadeira intenção do vereador que é apenas “parecer” que discorda da atual gestão para ver se melhora o seu índice de aprovação para as próximas eleições. A primeira resposta a população já deu nas urnas, o seu candidato a deputado federal teve uma votação pífia e vergonhosa na cidade.

Portanto, o vereador precisa  decidir se vai ficar em cima do muro, se vai ser situação ou se vai aderir a oposição. Atualmente, é muito difícil se manter posições dúbias.

 pg fernando resende

6 de janeiro de 2015 às 16:43h

Câmara Municipal de Chã dá posse ao novo presidente

10404175_741202399310184_7091598959710471465_n

Gilvan Pereira de Lima, mas conhecido como Gilvan Bolão, tomou posse ontem como presidente da Casa Paulo Viana de Queiroz pela terceira vez. Antes, em mandatos anteriores, ele já tinha sido presidente por duas vezes.

10915211_741202365976854_303616934977003022_n

Prestigiaram o seu retorno a direção do legislativo, muitos amigos e convidados, além de seus familiares.
O vice prefeito de Gravatá, Rafael Prequé, destacou a singeleza daquele ato, onde o que se viu foi uma expressão clara da democracia. Vereadores da oposição tiveram o direito de fazer a sua chapa e disputar a presidência da câmara, terminada a eleição estávamos todos unidos e trabalhando por Chã Grande. Bem diferente do que aconteceu em Gravatá, onde o presidente da câmara deu um golpe na oposição assumindo a presidência de forma antecipada.
Já o deputado estadual Joaquim Lira, disse que compareceu àquela casa por dois motivos: o primeiro por ser amigo de Bolão e o segundo para reafirmar seu compromisso com Chã Grande, lembrando a todos que depois da eleição era a quinta vez que voltava ao município e tinha certeza que nenhum dos que foram votados tinham voltado tantas vezes.
O prefeito Daniel Alves destacou a importância da câmara na aprovação de projetos de interesse da população e citou escadarias, muros de arrimo e pavimentação que serão feitas na cidade.
Gilvan Pontaleão disse que será necessário que o prefeito, sua bancada e o deputado Joaquim Lira tragam benefícios para a população que a oposição saberá diferenciar e apoiar medidas que melhorem a vida do povo.
Gilvan Pereira (Bolão, disse que voltava a direção daquela casa reafirmando seu compromisso de trabalhar por Chã Grande e sabia que esse era o desejo de todos.

10922506_741202392643518_7383974404603795204_n

 

10891761_741202372643520_2710463501985606075_n

 

5 de janeiro de 2015 às 07:51h

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Gravatá – SINDSGRA.

N O T A

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Gravatá – SINDSGRA, informa aos seus filiados, que em decorrencia dos pagamentos dos salários dos Servidores de algumas categorias, e até o presente momento, a falta de pagamento das demais categorias, o SINDSGRA através de uma comissão, comparecerá nas próximas horas na Secretaria de Administração e Finanças do município de Gravatá, para tomarem conhecimento sobre o atraso desses pagamentos e sobre o que ocorreu com o não pagamento das demais categorias de Servidores efetivos municipais.

Informaremos a todos nas próximas horas.

Secretaria de Comunicação e Relações Públicas do SINDSGRA.

5 de janeiro de 2015 às 07:50h

Parque das Feiras volta a funcionar

O Parque das Feiras de Toritama retorna suas atividades nesta segunda-feira após a passagem de ano. Queremos contar mais uma vez com a parceria de clientes e lojistas para que possamos continuar sempre elevando o nome de mais completo centro de compras do Polo de Confecções do Agreste. É fundamental a sua ajuda!

Confira nosso horário de funcionamento:

Segundas – 4 horas às 16 horas (Mesmo horário da Feira Livre)
Terças – 6 horas às 16 horas (Mesmo horário da Feira Livre)
===
Quartas – 8 horas às 16 horas
Quintas – 8 horas às 16 horas
Sextas – 8 horas às 16 horas
Sábado – 8 horas às 16 horas
Nos domingos estamos fechados.

Parque das Feiras de Toritama – Venha para onde está a moda!!!

4 de janeiro de 2015 às 07:27h

O dízimo é honra para Deus e não para os homens

“Honra ao Senhor com a tua riqueza e com as primícias de toda a tua renda” Provérbios 3:9

No capítulo 1 de provérbios nós vimos que é importante buscar a sabedoria e que ela vem a partir do momento que começamos a temer ao Senhor. No capítulo 2 percebemos que os retos (honestos, sérios) ganham essa sabedoria e hoje no capítulo 3 vamos ver que é importante retribuir a Deus a sabedoria que ele nos dá.

A jornalista Eliane Catanhêde, do jornal Folha de São Paulo, escrevendo a respeito do prejuízo que tiveram os investidores das empresas de Eike Batista – um empresário que queria ser o homem mais rico do mundo e que ainda alcançou a oitava posição, comparou o prejuízo dos que acreditaram nas propostas de ganhos milionários que os compradores das ações tiveram ao dízimo dado pelos fiéis das igrejas evangélicas.

Diz ela que: … “médicos, engenheiros e assalariados em geral jogaram nas chamas da assembleia do reino de Eike seus recursos, sua inocência e a falta de informações confiáveis. Foram dormir acreditando na solidez e nas perspectivas apetitosas das companhias de Eike. Acordaram num pesadelo sem fim. Essas histórias pavorosas se repetem, com empresas que estavam no céu e vieram abaixo a caminho do inferno, levando de roldão as economias de seus clientes como se fossem dízimos de fiéis incautos”.

Continuando a jornalista afirma que o mundo desse pessoal que investiu seus recursos nessas empresas que faliram desabou na cabeça dos que foram levados a acreditar num reino de Deus aqui na terra brasilis. No céu, o lucro era principalmente deles. No inferno, a desgraça maior foi dos correntistas e investidores.

Em primeiro lugar é preciso destacar que a jornalista confunde o que é dízimo com a busca desesperada por prosperidade e riqueza. Muita gente que confia em falsos pastores assim como muitos investidores que confiam cegamente em falsos empresários ou em falsos projetos, quebram a cara e percebem que foram ludibriados e que perderam tudo o que tinham.

Tanto no caso dos que deram tudo para uma igreja mentirosa esperando um retorno milionário, quanto dos que colocaram seu dinheiro em projetos duvidosos o que existe é uma ganância, uma ambição ou no mínimo a esperança de levar vantagem financeira.

Um fiel de uma igreja evangélica, não está pensando em levar vantagem, em ter retorno financeiro, em barganhar com Deus. O dinheiro que ele dá na igreja é de foro íntimo e dá porque acredita que a obra do reino de Deus precisa de recursos para continuar levando a Palavra de Deus a todos.

Em geral um fiel evangélico destina 10% de toda a sua renda para o reino de Deus e ele não acredita num reino de Deus aqui na terra brasillis, acredita no reino de Deus lá no céu. O dízimo como é chamada essa contribuição é uma prova do compromisso desse fiel para com o seu Deus e não há esperança de retorno.

O que acontece depois com o dízimo não é mais problema dele e sim dos que vão administrar esses recursos. Se serão geridos por pastores enganadores que vão se aproveitar da inocência deles, como os falsos empresários se aproveitaram da inocência dos investidores é problema deles e eles vão se entender com Deus depois.

O dízimo é uma questão de foro íntimo, de confiar, de ter fé e o fiel sabe que o principal resultado desse investimento é a transformação de vidas e é para isso que ele dá o seu dízimo.

2 de janeiro de 2015 às 11:13h

Bruno Martiniano sofre acidente na BR 232

O prefeito Bruno Martiniano sofreu um acidente na BR 232 e está internado no Hospital Santa Joana com uma clavícula quebrada e com fratura em uma perna. Queremos dizer que estamos solidários com a família e orando pela sua pronta recuperação.

2 de janeiro de 2015 às 11:08h

Tragédia em Gravatá – morre o jovem Chucre Zarzar

Queremos lamentar a trágica morte do jovem empresário gravataense Chucre Zarzar, morto em um acidente na BR 232, em Bezerros. Aproveitamos para levar as nossas condolências à família e dizer que estamos em oração pedindo a Deus que dê conforto aos familiares para que possam enfrentar essa difícil separação.

2 de janeiro de 2015 às 11:02h

Balanço de 2014 da Câmara Municipal de Gravatá

Quando começou a atual gestão a prefeitura contava com uma bancada de 13 vereadores na situação e apenas dois na oposição. Dois anos depois o prefeito tem do seu lado apenas nove vereadores e é provável que o vereador João Paulo de Lemos assuma em 2015 uma posição de independência o que reduz para oito a bancada de apoio a atual gestão.

O presidente da Câmara Municipal de Gravatá, Pedro Martiniano que é irmão do prefeito, vem sendo acusado pela oposição de ter dado um golpe nos seus pares ao antecipar de forma indevida a eleição da mesa diretora e assim poder permanecer mais dois anos à frente do legislativo.

Ainda ontem o presidente tomou posse para mais dois anos na presidência da casa o que provocou uma ação na justiça por parte da oposição para anular a eleição e realizar um novo pleito a fim de cumprir a legislação.

Outra denúncia feita pela oposição contra o presidente da câmara diz respeito a um pedido de CPI – Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar os possíveis desmandos do atual prefeito, que foi pedida em agosto e não teve encaminhamento.

Só agora o presidente mandou a solicitação para a comissão de ética.

Portanto, também com relação à câmara o ano de 2014 fechou no vermeho onde nem a LOA – Lei do Orçamento Anual foi aprovada o que deixa a cidade ainda mais fragilizada. E só não foi aprovada em função da forma como os irmãos Martiniano administram o município.

As perspectivas para 2015, continuam sem clareza. Não sabemos se vai ter uma nova eleição para a mesa diretora, se o vereador mais votado Júnior de Paulo vai assumir a presidência. Não sabemos também se o pedido de CPI na comissão de ética vai acabar em pizza. Assim como não temos informação sobre se a justiça vai determinar uma nova eleição.

Concluindo a cidade continua parada!