17 de janeiro de 2015 às 08:33h

“NINGUÉM ENGANA A TODOS POR TODO TEMPO…”

Alguns enganam poucos por pouco tempo…

“NINGUÉM ENGANA A TODOS POR TODO TEMPO…”

A conclusão da queda do avião que matou o Ex-Governador de Pernambuco, o Presidenciável Eduardo Campos e parte de sua equipe é ridícula, infunda, sem provas matérias, ou laudo técnico pericial conclusivo, omisso de quesitos essenciais, um tapa buraco, um remendo, um cala boca!!!!

INACEITÁVEL!!!!!!

É notória, minha atividade na advocacia criminalista em inúmeros casos de repercussão Nacional, e em toda minha jornada jurídica criminal (NUNCA VI UMA CONCLUSÃO TÃO CONTURBADA, PREMATURA E VAZIA).

O povo brasileiro pede e merece resposta….

Perdemos o maior líder político e homem publico de nossa geração, um líder de respaldo mundial…

Clamo a imprensa Nacional e Mundial, e ao povo brasileiro, sua participação no acompanhamento das investigações, apurações em especial velando por uma conclusão justa, sensata, legal, embasada em todas as normas, termos e técnicas periciais existentes!

“Não vamos desistir do Brasil”

JUSTIÇA!!!!

Recife 17/01/2015.

André HG Fonseca
Advogado criminalista – Conselheiro Titular da OAB/PE – VITÓRIA.

Alguns enganam poucos por pouco tempo...

"NINGUÉM ENGANA A TODOS POR TODO TEMPO..."

A conclusão da queda do avião que matou o Ex-Governador de Pernambuco, o Presidenciável Eduardo Campos e parte de sua equipe é ridícula, infunda, sem provas matérias, ou laudo técnico pericial conclusivo, omisso de quesitos essenciais, um tapa buraco, um remendo, um cala boca!!!!

INACEITÁVEL!!!!!!

É notória, minha atividade na advocacia criminalista em inúmeros  casos de repercussão  Nacional, e em toda minha jornada jurídica criminal (NUNCA VI UMA CONCLUSÃO TÃO CONTURBADA, PREMATURA E VAZIA).

O povo brasileiro  pede e merece resposta.... 

Perdemos o maior líder político e homem publico de nossa geração, um líder de respaldo mundial...

Clamo a imprensa Nacional e Mundial, e ao povo brasileiro, sua participação no acompanhamento das investigações, apurações em especial velando por uma conclusão justa, sensata, legal, embasada em todas as normas, termos e técnicas periciais existentes!

"Não vamos desistir do Brasil"

JUSTIÇA!!!!

Recife 17/01/2015.

André HG Fonseca
Advogado criminalista - Conselheiro Titular da OAB/PE - VITÓRIA.
17 de janeiro de 2015 às 08:19h

Raminho Coiffeur pergunta se Rafael Prequé compôs a chapa de Bruno na hora certa ou se rompeu na hora certa.

Rafael rompeu na hora que seu grupo e o povo de Gravatá pediu. Político que é político não decide sozinho.

Eu entendo que quando Rafael jovem líder político de Gravatá, com a política no sangue e no foco de sua vida, determinado a se tornar um defensor das minorias da cidade, decidiu fazer parte da chapa de Bruno Martiniano, foi por conta da decisão do grupo político do qual ele faz parte que é o PSB, partido do ex-governador Eduardo Campos e do atual governador Paulo Câmara.

Ao integrar a chapa que ganhou a prefeitura o atual vice prefeito de Gravatá, tinha a certeza  de que o que fora prometido à população, seria realizado e a cidade de Gravatá entraria num novo clima administrativo onde a honestidade e a transparência estariam presentes em todos os atos da atual gestão.

Entretanto, não foi isso que aconteceu! O que assistimos foi a decadência moral e política do município de Gravatá que assistiu estarrecida a uma série de atos irregulares, que foram devidamente denunciados pelos vereadores da oposição solicitando investigação para a formação de quadrilha, corrupção ativa e passiva, prevaricação, enriquecimento incompatível com a renda e uso de laranjas.

Diante desse quadro caótico e antiético não restou outra opção ao vice prefeito de Gravatá que não fosse a de romper com o atual gestor, somar forças junto com a oposição e lutar para que a justiça cumpra o seu papel de punir e impedir novas ações que atentem contra o patrimônio público.

Assim, por solicitação de amigos e correligionários o vice prefeito aceitou disputar a eleição para deputado federal com o objetivo de apresentar as suas propostas para o povo de Gravatá, colocando o seu nome à disposição de todos para dar uma resposta a falta de respeito, a falta de compromisso, a falta de ética da atual administração.

Por tudo isso, foi que tivemos o rompimento do vice prefeito com o atual prefeito, o que foi muito bem aceito pela população que transformou Rafael Prequé no deputado mais votado da cidade, vencendo inclusive o candidato do ex-prefeito Joaquim Neto e do atual prefeito Bruno Martiniano.

Esperemos 2016! Vamos ver se a população vai avalizar todas as irregularidades cometidas pelo atual prefeito, se vai querer de volta um ex-prefeito que tem mais processos do que o arquivo da justiça ou se vai optar por um novo jeito de fazer política que se caracteriza pela busca de projetos para a cidade e não por uma briga de esquina entre vermelho e azul que só faz prejudicar o município.

Dessa forma, caro Raminho, blogueiro de um veículo que merece todo respeito da população, esperamos ter respondido às suas questões sobre a composição e rompimento do atual vice prefeito de Gravatá, Rafael Prequé com o atual gestor.

16 de janeiro de 2015 às 08:08h

Posto Odontológico está interditado sim

interdiçãoGravatá está virando comédia, pra não dizer tragicomédia, tão em voga nos melodramas globais.

Publica-se em blogs locais uma notícia de interdição nos postos de Saúde Ana Caminha I e II e fotos comprovam a colocação de um adesivo onde se lê interdição, portanto, interditado.

No site oficial da Prefeitura de Gravatá, informa-se que o posto o consultório odontológico foi fechado para higienização e limpeza e não fala de interdição, dizendo que nos próximos dias volta a funcionar.

No blog do secretário de imprensa a nota da prefeitura é repetida e o editor ainda dá a informação de que quem disse que estava fechado enganou-se.

Ora, o posto está fechado, interditado e sem funcionar. E se é verdade o que afirma a secretaria de saúde e o secretário de imprensa então que se publique o relatório de avaliação da Vigilância de Saúde Sanitária que decretou a interdição do espaço para mostrar os motivos que levaram à interdição.

Outra informação que chama a atenção é que quem quiser ser atendido no posto odontológico tem que levar escova e toalha como se lê num cartaz que está na porta. Ora, se existe falta de higiene e é necessário esterilização, então é preciso saber se existe despesas da prefeitura com escovas e com toalhas para atendimento de pacientes  o consultório odontológico, o que no mínimo será estranho.

Portanto, o Posto Odontológico está interditado e não sabemos a gravidade do motivo.

15 de janeiro de 2015 às 11:49h

Presidente da Câmara é obrigado a devolver cargos aos vereadores da oposição

Numa decisão esdrúxula, politiqueira e inconstitucional o presidente da Câmara Municipal de Gravatá, vereador Pedro Martiniano, apropriou-se dos cargos comissionados destinados aos gabinetes dos vereadores de oposição, não nomeando os assessores oposicionistas. Pela lei cada vereador, independentemente de ser da oposição ou da situação tem direito a dois assessores.

O presidente da casa numa atitude mesquinha e ilegal não permitiu a nomeação dos assessores dos vereadores da oposição o que provocou uma ação de caráter mandamental – processo 000025-07.2014 8 – 17.0670, que difere de outras ações, por ser uma ação de cunho constitucional (tipo mandado de segurança) e de cumprimento imediato após a decisão da justiça.

Com a ação impetrada na 1ª vara do TJPE, comarca de Gravatá, eles foram buscar o direito líquido e certo de nomear os seus assistentes de acordo com o que determina o regimento interno da casa legislativa.

Em 19 de setembro de 2014 a justiça determinou que o presidente da câmara devolvesse os cargos aos gabinetes oposicionistas e nomeasse os indicados pelos parlamentares. A decisão não foi cumprida pelo vereador Pedro Martiniano que entrou com um pedido de suspensão da decisão, que foi negado pelo tribunal, mantendo a decisão de cumprimento imediato.

Como não cumpriu a decisão os vereadores da oposição entraram com Pedido de Intervenção Judicial na câmara, afim de forçar o cumprimento da decisão judicial que após quatro meses vem sendo desconsiderada, caracterizando “latente desrespeito a ordem judicial” conforme explica documento de sentença promulgado em 14.01. 2015.

Em função disso veio a decisão final onde a justiça exige que o presidente da câmara cumpra em 48 horas a determinação judicial, nomeando os chefes de gabinetes e assessores dos vereadores de oposição, sob pena de decretação de improbidade administrativa e de intervenção na Câmara Municipal de Vereadores.

Em trecho do documento a juíza Patrícia Caiaffo de Freitas Arroxelas Galvão diz: “ Inadmíssivel se mostra a postura do impetrado em não cumprir a decisão judicial, o que caracteriza ato de improbidade administrativa que ofende os princípios da administração pública”.

Continuando ela afirma: “…uma das medidas possíveis se configura, inclusive, no afastamento do Poder daquele que descumpre a ordem judicial.

Cabe destacar que o não cumprimento da decisão provoca multa de R$ 5.000, diária, do salário daquele que descumpre a ordem judicial, mesmo que ele tenha recorrido mais uma vez como foi o caso dele que entrou com pedido de reconsideração, também negado. Como neste caso o cumprimento da sentença é de caráter imediato, o presidente da Câmara corre o risco de sofrer intervenção, ser afastado do Poder Legislativo, ser condenado por improbidade administrativa, pagar multa e ficar inelegível, ou seja, pode acontecer “tudo”, inclusive “nada”.

Vamos aguardar a decisão do presidente da Câmara Municipal de Gravatá cujo prazo de 48 horas só começa a contar a partir do momento que ele for intimado, o que até agora não aconteceu.

13 de janeiro de 2015 às 11:36h

Gravatá perde espaço no mercado imobiliário

Ninguém mais tem dúvidas de que a cidade de Gravatá deixou de atrair investimentos para o setor imobiliário como aconteceu até o ano de 2012.

Sem mudanças no código de obras, sem transformação no Plano Diretor, sem investimento em infraestrutura básica, sem aplicação de recursos em projetos de mobilidade e de melhoria da circulação pelas ruas do município, não resta outra saída para o capital a não ser buscar outras oportunidades em outras cidades.

Como não existe espaço vazio em política, os prefeitos de outras localidades como Caruaru, Bezerros, Chã Grande e Vitória de Santo Antão passam a oferecer vantagens aos incorporadoras e investidores que se mudam para esses locais com toda a sua estrutura de pessoal, equipamentos, etc., dando uma impressão de abandono para Gravatá.

Outro grande problema diz respeito a falta de projetos turísticos nos últimos dois anos, onde um secretário fraco e incompetente, dominado por um prefeito autoritário e inconsequente acabou com a movimentação de visitantes, sob os olhos complacentes de um Conselho de Turismo omisso e subserviente.

Tudo isso somado e mais as denúncias constantes de corrupção da atual administração leva os novos empreendimentos para áreas mais promissoras.

A oposição precisa ficar unida, abandonar o discurso vazio e partir para a prática criando projetos de lei de iniciativa popular. E alguns líderes que ninguém nunca sabe de que lado estão também precisam se mobilizar e cobrar ações que tragam de volta o glamour, o respeito e a credibilidade que Gravatá merece.

11 de janeiro de 2015 às 13:08h

Pastores formam conselho para apoiar o prefeito?

Achei no mínimo estranha a publicação no site oficial da prefeitura afirmando que o Conselho de Pastores de Gravatá foi fundado e declarou apoio à gestão do prefeito Bruno Martiniano.

Além de estranho é preocupante que líderes religiosos misturem doutrina com política e transformem a entidade de classe num braço político da prefeitura, permitindo a cooptação clara e sem cabimento de lideranças religiosas que não tomam conhecimento das decisões da cúpula do conselho.

Os pastores têm responsabilidade com os seus rebanhos e sabem que não podem estar escolhendo lado azul ou vermelho, até porque nas denominações existem membros de todas as tendências partidárias.

Cabe destacar que pessoalmente os pastores podem fazer as suas escolhas políticas e apoiar quem quiserem e até trabalhar para o prefeito como é o caso de um ou outro, porém isso não significa que possam transformar a entidade em palanque político  de apoio ao prefeito, o que se configura em desrespeito perante a comunidade evangélica da cidade.

Abro aqui espaço para que os pastores da diretoria do Conselho de Pastores neguem ou confirmem apoio da organização ao prefeito.

 

 

10 de janeiro de 2015 às 05:43h

Deu problema na fundação do Sindicato dos Trabalhadores em Condomínios

Um grupo do STEALMOAIC – Sindicato dos Trabalhadores em Asseio e Conservação compareceram a assembléia de fundação de uma nova entidade da categoria: o Sindicato dos Trabalhadores em Condomínios de Edifícios e Residências de Gravatá e Região.

A reunião para fundação acontecia no Círculo Operário quando mais de duzentos representantes do Stealmoaic invadiram as dependências e impediram a continuidade do ato de fundação alegando irregularidades.

Depois de muita confusão ficou marcada uma nova assembleia para março.

Cláudio Leão, membro da comissão da fundação da nova entidade disse que é provável que seja fundada inicialmente uma associação e depois será transformada no sindicato.