13 de julho de 2018 às 07:08h

Corretor de imóveis jogue sua vaquinha no abismo

Corretor cuidado com a sua vida. Esse mercado louco, insano, cruel têm levado muitos profissionais à depressão e gerando enfermidades incuráveis que muitas vezes provoca até a morte.
A solução é a busca permanente pela preparação intelectual através do conhecimento, psicológica através da mudança de hábitos que vão desde a alimentação, passando pela vida pessoal e chegando até a profissional.
Para isso escolha uma das áreas do mercado onde você atua, especialize-se, torne-se um elemento indispensável na negociação e saia da beira do abismo onde se encontra. A capacitação é o único caminho que leva à realização. Se gosta de vender lute para ser o melhor vendedor; se gosta de captar seja um captador invejável; se gosta de burocracia torne-se um grade documentalista. Lembre-se só atingimos o nosso objetivo quando temos a coragem de jogar a nossa vaquinha no abismo:

A Vaquinha no Precipício

Um sábio passeava por uma floresta com seu fiel discípulo, quando avistou ao longe um sítio de aparência pobre e resolveu fazer uma breve visita.

Durante o percurso ele falou ao aprendiz sobre a importância das visitas e as oportunidades de aprendizado que temos, também com as pessoas que mal conhecemos.

Chegando ao sítio constatou a pobreza do lugar. A casa era de madeira, faltava calçamento e os moradores, um casal e três filhos, trajavam roupas rasgadas e sujas.

Ele se aproximou do pai daquela família e lhe perguntou:

“Neste lugar não há sinais de pontos de comércio e de trabalho. Então, como o senhor e a sua família sobrevivem aqui?”

O senhor calmamente lhe respondeu:

“Meu amigo, nós temos uma vaquinha que nos dá vários litros de leite todos os dias. Uma parte desse produto nós vendemos ou trocamos na cidade vizinha por outros gêneros de alimentos e com a outra parte nós produzimos queijo, coalhada e outros produtos para nosso consumo. Assim, vamos sobrevivendo”.

O sábio agradeceu a informação, contemplou o lugar por alguns momentos, despediu-se e partiu. No meio do caminho, voltou ao seu fiel discípulo e ordenou:

“Aprendiz, pegue a vaquinha, leve-a ao precipício ali na frente e a empurre, jogando-a lá embaixo”.

O jovem arregalou os olhos espantando e questionou o mestre sobre o fato de a vaquinha ser o único meio de sobrevivência daquela família. Mas, como percebeu o silêncio absoluto do seu mestre, foi cumprir a ordem. Assim, empurrou a vaquinha morro abaixo e a viu morrer.

Aquela cena ficou marcada na memória daquele jovem durante alguns anos e um belo dia ele resolveu largar tudo o que havia aprendido e voltar naquele mesmo lugar e contar tudo àquela família, pedir perdão e ajudá-los.

Assim fez e quando se aproximava do local avistou um sítio muito bonito, com árvores floridas, todo murado, com carro na garagem e algumas crianças brincando no jardim. Ficou triste e desesperado imaginando que aquela pobre família tivera que vender o sítio para sobreviver.

Chegando no local, foi recebido por um caseiro muito simpático e perguntou sobre a família que ali morava há uns quatro anos, ao que o caseiro respondeu:

“Continuam morando aqui”.

Espantado, ao encontrar os familiares, viu que se tratava das mesmas pessoas que visitara com o mestre. Elogiou o local e perguntou ao dono:

“Como o senhor melhorou este sítio e está tão bem de vida?”

E o senhor entusiasmado lhe respondeu:

“Nós tínhamos uma vaquinha que caiu no precipício e morreu. Daquele dia em diante tivemos que fazer outras coisas e desenvolver habilidades que nem sabíamos que tínhamos. Assim, alcançamos o sucesso que seus olhos vislumbram agora”.

11 de julho de 2018 às 07:27h

Vem ai o CPF Imobiliário (cadastro único)

IMÓVEIS VÃO TER UM CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO QUE JÁ ESTÃO CHAMANDO DE CPF.

CPF do imóvel, a Receita Federal começa a implantar até o fim deste ano o Sinter (Sistema Nacional de Gestão de Informações Territoriais), que tem como objetivo integrar os cadastros de imóveis urbanos e rurais de todo o país. Cada propriedade terá um número único apelidado de “CPF do imóvel”.

“Esse sistema foi criado por meio de um decreto de 2016, deve centralizar as informações em um único ambiente ao integrar cadastros de imóveis que estão dispersos em todo o país”, explica o coordenador adjunto de gestão de cadastro da Receita Federal Wolney de Oliveira Cruz.

O Sinter é um projeto do Ministério da Fazenda, mas é gerido pela Receita Federal. Foi criado por meio do decreto 8.764 assinado pela então presidente Dilma Rousseff. “É uma ferramenta de gestão para elaborar políticas públicas. Um exemplo são os imóveis da União, sabendo a exata localização e as dimensões facilita para o Estado dar uma finalidade”.

Este ano a proposta está em integrar as informações dos cartórios de títulos e documentos. Na sequência, os cartórios de notas e os de registro de imóveis. “Todas as competências serão respeitadas, o código gerado não se mistura à matrícula dos imóveis e também não vai gerar mais custos ou novas obrigações.”

CPF do Imóvel
Para cada registro feito, os órgãos responsáveis enviarão um extrato eletrônico ao Sinter, com dados sobre localização, planta, área construída, padrão do imóvel, valor venal do IPTU, do ITBI, alvará de construção e habite-se. Cada imóvel urbano ou rural será identificado por um código que será a “identidade” dentro do sistema. Este código é o chamado CPF do imóvel.

O professor e coordenador do Grupo de Governança da Terra do Instituto de Economia da Unicamp, Bastiaan Reydon, observa que um dos principais problemas associados à questão imobiliária no Brasil está no fato de não termos um cadastro integrado. “A proposta é integrar os sistemas para que se tenha uma ideia mais clara sobre a ocupação territorial. Hoje temos muitos órgãos fazendo a mesma coisa, ‘batendo cabeça’ e esse é um esforço de integração”.

No cadastro, informações sobre a localização geoespacial precisa e as dimensões exatas facilitam a regularização dos imóveis. Com o projeto se busca uma melhor gestão dessas informações e também fomentar ações de combate à sonegação de impostos e lavagem de dinheiro. Dados unificados também devem facilitar a concessão de crédito imobiliário.

“Esse esforço da Receita em homogeneizar as informações é uma revolução, haverá um controle melhor, o que ajuda a evitar fraudes como lavagem de dinheiro, facilitará o processo com as terras devolutas e para o cidadão diminuirá a quantidade de documentos no momento da compra de um imóvel,” explica Reydon.

O Sinter não tem uma data de conclusão uma vez que apenas 20% dos municípios cobram IPTU. “Não será rápido. Só para ter uma ideia, a região metropolitana de Campinas tem apenas 30% dos imóveis regularizados, mas esse sistema é um caminho a ser seguido.”

Por Nely Alves – Fonte: R7

 

 

5 de julho de 2018 às 05:19h

Corretores vão debater o futuro da profissão em Maceió

Restam poucas vagas pois muitas inscrições já foram feitas para o Enci – Encontro Nacional de Corretores de Imóveis que vai acontecer na cidade de Maceió, estado de Alagoas, no período de 30.08 a 01.09, conforme nos informa Rony Menezes, CEO do publicidade imobiliária um dos maiores sites sobre o mercado imobiliário do Brasil e também um dos coordenadores do evento.

Segundo ele, pela primeira vez acontecerá um grande encontro no estilo “De corretor para corretor” onde corretores estarão conversando com corretores, para uma troca de experiências e bate papo com conteúdo voltados para o dia a dia da profissão, inclusive como uma avaliação de como funciona o mercado em cada região de onde virão os corretores que participarão do encontro que tomou ares de congresso, em função da grande busca por inscrições.

Vários palestrantes já estão confirmados como:

Marcelo Costa – Corretor de Imóveis, Perito Judicial, Coach, Professional Network Marketing, Contabilista

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Denisson Carlos – Corretor de Imóveis Estudou Gestão geral de negócios imobiliários na instituição de ensino ULBRA Canoas – RS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Daiver Cambraia – Corretor de Imóveis, Gestor de Transformação Digital na empresa HUB Imóveis e Avaliador de Imóveis na empresa HUB Imóveis & Decorações

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Rejane Bandeira – Corretora de Imóveis , Palestrante, Trabalhou como Formadora/Consultora na empresa REMAX CE/PB/RN, Escritora Blog Imóveis & Negócios do Grupo O POVO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Alysson Costa – Corretor de imóveis e Avaliador. Formado em Administração de empresas com especialização Gestão empresarial

 

 

 

 

 

 

 

 

Sérgio Cabral – Corretor de imóveis há mais de 33 anos, advogado há 15 anos com especialização pela LFG em direito tributário.

 

 

 

 

 

 

 

 

Tomaz De Aquino – Corretor de imóveis, perito avaliador, jornalista, escritor e professor de marketing imobiliário

 

 

 

 

 

 

 

 

Ainda segundo Rony Menezes o evento tem também a intensão de discutir o atual quadro do mercado com as transformações a partir do fim da tabela de honorários e da crise pela qual o país atravessa a fim de que se encontre soluções que possam contribuir para melhorar as atividades da categoria, dos corretores.

O Enci – Encontro Nacional dos Corretores de Imóveis vai ser realizado no Maceió Atlantic Suites – Avenida Álvaro Otacílio, 4065 – Praia de Jatiúca das 9 às 18 horas.

Faça agora a sua inscrição, acesse:

Encontro Nacional de Corretores de Imóveis

4 de julho de 2018 às 06:16h

Encontro Nacional de Corretores de Imóveis toma proporção de congresso

Nos dias 30 e 31 de agosto e 01 de setembro acontece na cidade de Maceió – AL, o ENCI – Encontro Nacional de Corretores de Imóveis. Durante três dias milhares de corretores estarão presentes debatendo e discutindo assuntos de interesse da categoria e pela primeira vez num novo modelo que foi denominado “De Corretor Para Corretor” visto que todos os palestrantes e expositores serão corretores de imóveis, assim como a totalidade do público presente com exceção de um ou outro participante.
O evento será realizado pelo site Publicidade Imobiliária sob a coordenação do corretor imobiliário Maherval Chaves e em breve já estará circulando os materiais promocionais do encontro que com certeza vai iniciar um novo ciclo no mercado de imóveis onde corretores falam para corretores repassando toda experiência vivida no dia a dia da profissão.
O evento que inicialmente seria apenas uma conversa, um bate papo entre corretores de vários estados para troca de informações sobre a profissão nas várias realidades de cada um, cresceu e se tornou necessário o seu remodelamento adaptando-o ao tamanho necessário para atender a grande demanda de corretores que passaram a solicitar informação e inscrição par o evento.
Durante o ENCI – Encontro Nacional de Corretores de Imóveis estarei lançando o meu terceiro livro para o mercado imobiliário, voltado para os corretores de imóveis que tem como título “Como se tornar um Corretor Top 10 – As 10 Características de um corretor vencedor” destinado tanto a quem vai se iniciar no mercado quanto quem já tem muitos anos de estrada, mostrando que o que vai fazer a diferença nesse novo mercado imobiliário não é só a parte de vendas, mas também e principalmente o comportamento do profissional de intermediação imobiliária.
Para mais informações acesse: https://cursos.publicidadeimobiliaria.com/enci-maceio/
Esperamos por você amigo corretor.

25 de junho de 2018 às 19:46h

OPORTUNIDADE PARA SE TORNAR UM ESPECIALISTA IMOBILIÁRIO INTERNACIONAL

No mês de julho, corretores de imóveis brasileiros terão uma oportunidade de participar da principal certificação internacional do segmento imobiliário: a CIPS (Certified International Property Specialist), reconhecida em todo o mundo. Essa capacitação aporta conhecimento para globalizar a atuação do profissional interessado em negociar propriedades em outros mercados. Serão cinco dias intensos de aulas, no período de 23 a 27 de julho, no Rio de Janeiro. Saiba a opinião de quem já participou da especialização.

19 de junho de 2018 às 05:35h

Deputados federais prejudicam consumidores imobiliários

No ano da copa o jogo ficou bom para incorporadoras e construtoras!

Não dá para acreditar mas é verdade, mesmo em ano eleitoral, quando precisam dos votos da população, a câmara dos deputados aprovou um Projeto de Lei que permite às incorporadoras e construtoras reterem até 50% dos valores pagos pelo consumidor na hora da realização do distrato, ferindo um princípio constitucional que é aquele que diz que nenhuma lei pode ser feita ou retroagir para prejudicar direitos já conquistados.
Atualmente, a retenção gira em torno de 10 a 25%, mas em geral não  passa de 20%, com a nova lei essa retenção chegará aos 50% dando enormes prejuízos àqueles que por qualquer motivo não possam mais manter a aquisição do bem que fizeram.
Ainda nesse projeto os valores serão devolvidos em até 30 dias, mas após a emissão do habite-se pela pela prefeitura, enquanto que antes esse dinheiro era devolvido de imediato e com correção monetária garantindo a valorização do capital empregado pelo consumidor, principalmente no modelo de patrimônio de afetação que é quando toda verba recebida dos usuários é utilizada exclusivamente para a obra e não pode sofrer desvios para outros fins pela construtora, dessa forma anulando a decisão da súmula no 543 do Superior Tribunal de Justiça.
O presidente da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), Luiz França, não vê o projeto de lei como um avanço para as empresas, mas sim como um reequilíbrio para o mercado como um todo. “O que se fez foi justiça. A partir de agora se começa a estabelecer um equilíbrio, o que é importante para qualquer indústria”, ponderou.
“A jurisprudência consolidada é de 10% a 25%, mas na média, nem passa de 20%”, salientou o advogado Marcelo Tapai, sócio-fundador do escritório Tapai Advogados.

Fonte: Estadão

15 de junho de 2018 às 05:34h

Maceió Recebe Encontro Nacional De Corretores De Imóveis Por Mercado Imobiliário

Maceió recebe do dia 30/08 a 01/09 o Encontro Nacional de Corretores de Imóveis o primeiro evento onde os facilitadores são corretores de imóveis e vivem o dia a dia do mercado imobiliário vamos ouvir e compartilhar as experiências de colegas de vários Estados do Brasil.

Onde o principal objetivo do encontro é discutir sobre as melhores técnicas que corretores de imóveis de diversas regiões do Brasil tem aplicado para ter sucesso no mercado imobiliário. Serão 2 dias de evento com muito conteúdo que realmente funciona e é aplicado no mercado imobiliário e um dia de passeio para conhecer pontos turísticos Maceió e a noite faremos uma confraternização entre os participantes.

Entre os facilitadores do primeiro Encontro Nacional de Corretores de Imóveis teremos : Luiz Henrique Stanger, Alysson Costa, Glauce Santos, Pierre Xavier, Alessandra Cavalcante, Marcello Costa, Denisson Carlos, Daiver Cambraia, Rejane Bandeira e outros a confirmar.

Faça sua pré inscrição em: http://bit.ly/encontrodecorretores. para receber informações sobre o evento.

O Evento tem o apoio do Portal Publicidade Imobiliária e como anfitrião e organizador o corretor de imóveis Maherval Chaves Silva Maherval Chaves – Creci 1241
Informações em: (82) 99948-4391

12 de junho de 2018 às 21:11h

Vida e Obra de Iberê Camargo na visão de Taís Luso

IBERÊ CAMARGO 1914 / 1994

No Vento e na Terra – 1991
‘O drama, trago-o na alma. A minha pintura, sombria, dramática, suja, corresponde à verdade mais profunda que habita no íntimo de uma burguesia que cobre a miséria do dia-a-dia com o colorido das orgias e da alienação do povo. Não faço mortalha colorida.’

Eu com Fantasmagoria – na Fundação Iberê Camargo

 
Fantasmagoria / 1987
 
Um dos grandes artistas do séc. XX, com uma obra extensa, gravuras, desenho, guaches e pintura a óleo, sua obra ‘Carretéis’, ‘Ciclistas’ e ‘Idiotas’ são de suas fazes mais conhecidas e comentadas. Iberê sempre exerceu forte liderança no meio artístico e intelectual. Suas obras foram reverenciadas nas Bienais de Tóquio, Madri, São Paulo, Veneza assim como participou, também, de inúmeras exposições no Brasil, França, Inglaterra, Estados Unidos, Escócia, Espanha e Itália. Seu acervo é composto por mais de 7000 obras – grande parte na Fundação Iberê Camargo.
O artista nasceu no ano de 1914, em Restinga Seca /RS.
Em 1942 recebeu do Governo do Estado uma bolsa para estudar no Rio de Janeiro, e partiu com Maria, sua esposa. Não cursou todo o Belas Artes por discordar de sua orientação acadêmica.
Integra-se, na época, ao Grupo Guignard onde expõe pela primeira vez sua ‘individual’ em Porto Alegre. Após ter conquistado um prêmio resolveu ir para Europa estudar com André Lothe e De Chirico. Voltou ao Brasil, e não se filiou a nenhuma escola, mantendo-se independente.
Isolado, num ateliê no Edifício Róseo, e depois na Lapa, Iberê dilacerou-se para escapar das influências poderosas de Portinari, Segall e Utrillo, esta a mais marcante e duradoura.
Aproximadamente em 1958, uma hérnia de disco provocada pela suspensão de um quadro no cavalete, obrigou-o a trabalhar quase que exclusivamente no ateliê. Seja por esta razão ou por motivos inconscientes, seus quadros começaram pouco a pouco a mergulhar na sombra. O céu das paisagens tornou-se azul-escuro, negro, dando ao quadro um conteúdo de drama. Surgem, então, os carretéis sobre a mesa, depois no espaço. Os carretéis são reminiscências da infância.

O Grito – 1984 

O Ciclista – 1990

Retratos, paisagens, naturezas-mortas, carretéis, explosões abstratas, tudo feito com paixão emergindo de uma força estranha. Tudo expressava um momento, muito longe da inércia.
Em 1980, num incidente em uma das ruas do Rio de Janeiro, o artista matou um homem. O caso teve enorme repercussão. Esse episódio deixou Iberê extremamente abalado fazendo com que o artista retornasse ao figurativismo. Iberê volta para Porto Alegre em 1982, abrindo seu atelier na rua Lopo Gonçalves. Continua a produzir muito, em 1986 abre seu atelier no bairro Nonoai, e lança o livro ‘No andar do tempo’ – 9 contos e um esboço autobiográfico.
Sua obra torna-se trágica, com figuras esquálidas, onde pode-se ver incutido no artista, a tragédia: mais solidão e sofrimento. Sua vida foi, praticamente, transportada para as telas, tanto em suas fases tumultuadas como nas mais calmas. Suas pinceladas deixaram uma história rica na trajetória das artes.
Todo o artista deixa sua vida nas telas brancas e frias; acabada a obra, tudo vira história, emoção, beleza e riqueza de detalhes. Mas, marcado por tragédias pessoais, a obra de Iberê mostra pinceladas dramáticas e amargas nos últimos anos de sua vida.
A série dos Carretéis surge por volta de 1959. Produz apenas no seu ateliê e passa a retomar temas ligados à sua infância. Ciclistas – 1984 – trazem um jogo entre o passado e o presente, usando a bicicleta como analogia do tempo. E Idiotas vem no início dos anos de 1990, quando a política do Brasil estava aos frangalhos.
Carretéis / 1958
 
Anos depois, bem mais adiante, veio a contrair um câncer de pulmão, levando-o a inúmeras sessões de radioterapia. E essa dramaticidade, de sua luta contra a doença ficou registrada em seus últimos trabalhos. Morre em 1994
A Idiota / 1991
 
De Iberê…
 
– As figuras que povoam minhas telas envolvem-se na tristeza dos crepúsculos dos   dias de minha infância, guri criado na solidão da campanha do Rio Grande do Sul.

– Não há um ideal de beleza, mas o ideal de uma verdade pungente e sofrida que é a minha vida, é tua vida, é nossa vida, nesse caminhar no mundo.
 
– Sou impiedoso e crítico com minha obra. Não há espaço para alegria.’
 
– Acho que toda grande obra tem raízes no sofrimento. A minha nasce da dor.

– A vida dói… Para mim, o tempo de fazer perguntas passou.

 
– O auto-retrato do pintor é pergunta que ele se faz a si mesmo, e a resposta também é interrogação.
 
– A verdade da obra de arte é a expressão que ela nos transmite. Nada mais do que isso!
 
Solidão / 1994
Minha contestação é feita de renúncia, de não-participação, de não-conivência, de não-alinhamento com o que não considero ético e justo. Sou como aqueles que, desarmados, deitam-se no meio da rua para impedir a passagem dos carros da morte. Esta forma de resistência, se praticada por todos, se constituiria em uma força irresistível. O drama trago-o na alma. A minha pintura, sombria, dramática, suja, corresponde à verdade mais íntima que habita no íntimo de uma burguesia que cobre a miséria do dia-a-dia com o colorido das orgias e da alienação do povo. 
Não faço mortalha colorida. Por que sou assim?
 
Porque todo homem tem um dever social, um compromisso com o próximo. 



 
Crepúsculo da Boca do Monte – 1991
Desdobramento II – 1972
Sobre a Fundação Iberê Camargo:
Fundação Iberê Camargo / Porto Alegre, Brasil


(Homenagem) Os Carretéis – defronte à Fundação
 
Iberê e Maria / 54 anos casados. 
Após o falecimento do artista, Maria ficou à frente da Fundação. 
Veio a falecer aos 96 anos.
Alvaro Siza, projetou a Fundação com a obsessão ‘siziana’: desde os parafusos sextavados em aço inoxidável, figuras de sinalização das portas dos banheiros e saídas de emergência, porta-lápis, cabideiros e lixeiras do setor administrativo como, também, de todo o mobiliário. Como se vê, tudo nos mínimos detalhes.

O arquiteto português é um dos cinco arquitetos contemporâneos mais importantes do mundo. O prédio tem salas expositivas, átrio, reserva técnica, centro de documentação e pesquisa, Ateliê de Gravura, Ateliê do Programa Educativo, auditório, loja, cafeteria, estacionamento e parque ambiental projetado pela Fundação Gaia.

Com 9,5 mil metros de área construída, prédio de curvas suaves, mas impactantes, construído num terreno doado pelo Estado, parceria público-privado.

No fundo do terreno foi preservado o paredão de rocha coberto por uma vegetação nativa. O aparelho de ar-condicionado funciona reciclando a própria energia que produz; a água que abastece os vasos sanitários vem da chuva, e sai já tratada.

A iluminação artificial reproduz o mesmo tom da clarabóia; camadas de lã de rocha isolam os ruídos externos e o mormaço do verão de Porto Alegre; um fosso, inacessível ao olhar dos visitantes, contorna todo o prédio de maneira que, se o Guaíba transbordasse, haveria enorme espaço a preencher até chegar ao estacionamento. Tudo perfeito para acolher parte das 7 mil obras produzidas pelo artista, as quais estão protegidas por um sofisticado sistema de segurança.

8 de junho de 2018 às 05:48h

Fabiano Carvalho comemora 100% das vendas do Morada Verde

Um bom projeto imobiliário nasce da decisão de se procurar os parceiros certos para a sua execução. A Construtora Vilar responsável pela implantação do Conjunto Residencial Morada Verde decidiu investir em Caruaru e procurou para parceria na área de vendas de seus produtos a Fabiano Carvalho Imóveis cujo histórico de sucesso dispensa comentários e assim nasceu um empreendimento que vinha destinado a fazer a diferença e a se transformar num sucesso de mercado.
Nascia assim o conjunto residencial Morada Verde  localizado próximo dos bairros Cidade Alta, Adalgisa Nunes e também da Faculdade Maurício de Nassau, da Ceaca e do Hospital da Mulher e da UPA. O conjunto Morada Verde se tornou o residencial mais próximo do centro a apenas 10 minutos de distância, o que representa comodidade e facilidade para seus moradores.
Aléem disso as casas do conjunto residencial Morada Verde tem a marca da Construtora Vilar que coloca a sua assinatura em inúmeros projetos já realizados na cidade e que geraram confiança e credibilidade junto à população que já conhece a qualidade dos projetos em função dos depoimentos de centenas de pessoas que já adquiriram as unidades residenciais projetadas e construídas pela empresa.
Somada a isso veio a parceria com a imobiliária campeã de vendas de Caruaru e detentora de um dos melhores índices comercialização do município a Fabiano Carvalho Imóveis que em apenas cinco anos de atuação desenvolveu e adotou princípios que passaram a servir de exemplo para outros empresários imobiliários da região, utilizando a verdade como moeda, a realidade como documento e a honestidade como assinatura, mostrando que é possível aliar bons negócios com boas práticas.
Isso tudo nos deixa felizes e satisfeitos por saber que também participamos de projetos assim que horam e dignificam os atores do mercado imobiliário entre os quais nos incluímos, visto que contribuímos com a comunicação imobiliária através da divulgação dos empreendimentos visando atrair clientes, pois essa é a nossa especialização: a criação de cases de sucesso para atração, engajamento e conversão de clientes.
Viva Caruaru, Viva a construtora Vilar, Viva a TV Colibri e viva os novos moradores que realizaram o seu sonho de ter a sua casa própria, pois essa é a nossa missão fazer com que os sonhos não se transformem em pesadelo.
Vamos em frente porque ainda falta realizar o sonho de muita gente…

4 de junho de 2018 às 06:08h

Como fazer uma faxina nas prateleiras do seu coração

É hora de esvaziarmos as prateleiras do nosso coração, jogando fora, no lixo, todas as coisas do passado que não nos servem mais. Todas as lembranças, mágoas, rancores, negócios desfeitos ou malfeitos, projetos que não andaram e estão atrapalhando o lugar de novas decisões mais promissoras e por fim os pensamentos negativos, os ressentimentos e o medo que nos impede de realizarmos grandes coisas como diz o nosso Deus.
Quando olhamos para as prateleiras do nosso coração cheias de tralhas, de coisas inúteis, de orgulho, vaidade, sentimentos de vingança, inveja, fofoca e mentiras percebemos o quanto ainda somos “carne” e não espírito. Que escutamos a Palavra de Deus mas não praticamos, não utilizamos os ensinamentos para fazer uma faxina definitiva com coragem, com vontade de realmente trocar as nossas caixas de bagulhos por outras cheias de coisas que realmente sejam importantes e necessárias para termos o que Jesus nos prometeu: Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize. João 14:27.Depois de limpara as prateleiras do nosso coração devemos começar a arrumar as novas caixas com ordem e descência porque isso agrada a Deus e assim colocaremos nelas os frutos do espírito que são: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança, justiça, verdade – Gálatas 5:22Então pegue os seus Dons e talentos e use com tudo que está dentro dessas novas caixas para auxiliar aos que precisam e agradar ao nosso Deus, porque será pelos frutos que nos conhecerão.

Tomaz de Aquino