22 de agosto de 2018 às 05:24h

Crônica de uma luz apagada que embora paga, mesmo assim apaga e não é trocada

Amigos, voltei a escrever crônicas, assim pelo menos registro minha indignação de forma literária…

A luz apagou, a conta se pagou, mas mesmo assim assim a luz apagou e começo com uma metáfora do Drumond: “A Luz apagou…a vida acabou..E agora José?”

Faz oito dias que a luz que fica no poste em frente à minha casa queimou.

Ainda bem que a metáfora acima ainda não se concretizou, ou seja ninguém ainda foi morto por conta da escuridão, mas muitos assaltos estão acontecendo diariamente e ninguém troca a lâmpada queimada.

Ninguém troca essa bendita lâmpada, nem a prefeitura, nem a companhia de energia elétrica, a rua continua sem luz, amercê de todo tipo de perigo, os marginais vibram, acho que já estão fazendo rodízio para não faltar pessoas para serem assaltadas. Hoje é tu, amanhã é ele e assim os ladrões se sucedem roubando os pertences dos trabalhadores, das senhoras que chegam de suas igrejas, dos alunos que vêm da faculdade e a luz continua apagada na rua 15 de novembro.
Quando ligamos para a Celpe ela diz que ligue para a prefeitura, como se órgãos pudessem resolver as coisas. Quem resolve são pessoas, têm nomes, mas isso não temos, os nomes de quem resolve e muitas vezes conversamos com máquinas, com robôs…
Já pegamos o número do poste, já ligamos para o número do suporte técnico que trata das reclamações e nada.

A atendente atende!

Mas, não resolve nada. Muito atenciosa anota tudo, fornece um número de protocolo relativo ai atendimento, estabelece um prazo para a visita da equipe de manutenção, mas nada acontece. A lâmpada continua apagada, a rua continua escura.
Soube hoje que a prefeitura tem um departamento de iluminação pública e que um desses servidores acompanha e monitora as ruas escuras. Acho que ele só anda durante o dia. Não anda a noite. É igual ao vigilante que pago toda semana, mas que ainda não tinha visto a escuridão da rua nos últimos dias, ou seja, não sei o que ele vigia, por onde anda e o que faz a noite. Estamos entregues à própria sorte…
O que sei é que pago a taxa de iluminação pública, justamente para ter iluminação na minha rua, na frente da minha casa e nos arredores.
O que sei é que as ruas escuras estão facilitando os assaltos, furtos, arrombamentos e talvez até crimes mais hediondos que não tomamos conhecimento. O dono de um supermercado perto do ponto mais escuro disse que está havendo muitos assaltantes nas redondezas e assim está fechando mais cedo, para não ser assaltado também e virar estatística. Outros comerciantes também estão fechando seus estabelecimentos por não se sentirem seguros.

E o que digo eu? Que fui assaltado às nove horas da manhã de um dia de sol na frente da minha casa. Que o ladrão não saiba que está tudo escuro. Não quero que se cumpra aquele ditado: O criminoso sempre volta ao local do crime. Será mesmo? Não importa! O que é importante é que a música continua e coincidentemente se transforma  em realidade: “…o povo sumiu, a noite esfriou, e agora José? A diferença é que José com a chave na mão queria abrir a porta, mas não tinha porta e no meu caso eu estou com a chave na mão, quero abrir a porta, mas não vejo a porta, porque como dizia minha avó – está um “breu”- Será que o breu é tão escuro quanto a minha rua e olhe que é uma rua principal, fico pensando em quem mora na periferia, não é amigo do Rei, mas em compensação joga no “bicho” e na “sena” tentando ganhar um dinheiro extra, ficar rico e se mudar. Se jogasse, iria jogar o número do poste, quem sabe ganharia na megasena e assim iria embora para Pársagada, onde tenho certeza que Drumond está vivendo e onde os postes não apagam, porque ele é amigo do Rei. Deve ser bom ser amigo do Rei no Brasil ou pelo menos do Gilmar “Mente”, aquele que gosta de Portugal que deve ser perto de Parságada e também de acender a luz da rua para bandidos ricos que estão presos.

Só resta reclamar novamente, ligar mais uma vez, falar com outra atendente do telemarketing que mais uma vez será gentil e me dará um novo número de protocolo, relativo ao numero do poste que tem a luz apagada, ou dialogar com um robô, isso mesmo, dá para acreditar que hoje em dia conversamos com robôs, a ficção se tornou realidade e agora temos dois números: o do poste que tem a luz apagada e do protocolo que pretensamente vai resolver o problema.

Só espero ainda ver a luz acesa um dia e que um bandido não apague a minha luz, nesse caso caso da metáfora a luz significa a vida….

Tomaz de Aquino
jornalista e escritor.

19 de agosto de 2018 às 07:25h

Interface & Capacita abre nova turma para corretor de imóveis

A profissão de corretor de imóveis é uma das mais procuradas atualmente no mercado de trabalho e vem se destacando por permitir que esses profissionais se tornem especialistas na comercialização, troca e venda de imóveis, assim como em uma das muitas áreas do mercado imobiliário como avaliação de imóveis, documentação imobiliária, captação de imóveis e clientes, etc.,

Mas tudo isso só será possível se você se matricular no curso de Técnico de Transações Imobiliárias, fizer o curso em apenas oito meses e iniciar uma carreira promissora e com muitas possibilidades de ganhos diferenciados.

Pensando na necessidade de muita gente que quer ser corretor e não puderam fazer o seu curso nas turmas abertas anteriormente, o grupo Interface & Capacita abre uma nova turma para corretor de imóveis e assim você que não conseguiu uma vaga em função da grande procura que ocorreu, vai poder finalmente fazer o curso, receber seu diploma e tirar a sua carteira do Creci se transformando num profissional de intermediação imobiliária devidamente legalizado.

Essa é mais uma oportunidade que você tem de entrar no mercado imobiliário de forma legalizada, ter o número do seu Creci e atuar num mercado sempre em crescimento, fazendo a diferença e se destacando, dê adeus ao desemprego e a falta de oportunidades, mas não dê adeus ao seu futuro.

Veja o vídeo abaixo:

18 de agosto de 2018 às 07:01h

Encontro Nacional de Corretor para Corretor abre último lote de ingressos para as últimas vagas restantes

Nos 30 e 31 de agosto e 01 de setembro acontece o primeiro Encontro Nacional de Corretor para Corretor onde pela primeira vez os profissionais da categoria vão poder debater os seus problemas com colegas que também atuam no segmento e passam pelas mesmas dificuldades, assim a troca de experiências proporcionará a obtenção de excelentes resultados para os profissionais de intermediação imobiliária.

Com uma lista vip de palestrantes entre os quais se destacam Márcio Raposo, Marcelo Costa, Daiver Cambraia, Alessandra Cavalcante, Pierre Xavier, Alysson Costa, Glauce Santos, Luis Stranger, Luiz Felipe Cervir, Rejane Bandeira, Sérgio Cabral, Rodrigo Cruz, Denisson Carlos, Severino Tomaz de Aquino e Thiago Granato o evento pretende aproximar corretores especialistas em treinamento, palestras e cursos a fim de oferecer aos participantes de aprenderem com quem faz as técnicas e estratégias para uma atuação eficaz no mercado atingindo os resultados desejados.

No encontro será lançado o livro Corretor Top 10 – As 10 características de um corretor vencedor, do jornalista e corretor Severino Tomaz e que também acontecerá no dia 30.08, às 19 horas, na livraria Leitura no Shopping Maceió.

Sob a coordenação do criador do evento Maherval Chaves o Encontro Nacional de Corretor para Corretor será aberto por Márcio Raposo, ícone do mercado Alagoano há mais de 30 anos e destaque imobiliário em todo nordeste.

O encontro acontecerá no Maceió Atlantics Suítes  que fica na av. Álvaro Otacílio, 4065 – Praia de Jatiúca, Maceió – AL.

Para mais informações acesse:

www.enci.com.br

 

16 de agosto de 2018 às 07:15h

Aprenda a construir os pilares da ponte da sua vida

A ponte da nossa vida é sustentada por cinco pilares: CORPO, MENTE, FOCO, DISCIPLINA e PARCERIA que nos ajudam a atravessar do lado ruim para o lado bom. Assim cada um desses pilares também dá equilíbrio e compõem um conjunto de segurança que nos faz caminhar seguros sobre o mar de tempestade que é em geral o nosso dia a dia.
Para construir cada um desses pilares precisamos de espírito de superação para vencer os obstáculos,para não desanimarmos diante das dificuldades e também sermos ágeis e saudáveis e para isso a primeira dica é cuidar do nosso corpo. A Bíblia diz que “O corpo é o templo do espírito”, logo é o templo da nossa alma, do nosso espírito, da nossa mente. Como são unos, precisam estar em equilíbrio para equilibrar toda ponte e dessa forma devemos devemos como nos mostra o apóstolo Paulo que devemos renovar a nossa mente. E só renovamos a nossa mente mudando o nosso comportamento.
Para isso precisamos ter foco e assim definir o alvo queremos atingir do outro lado da ponte. Necessitamos tirar o sonho do papel transformá-lo em um projeto como prazos, metas e resultados esperados. Assim devemos executar cada uma das etapas com disciplina e determinação, sem desanimar enfrentando as intempéries da vida, não dando ouvidos aos que não querem ver o nosso projeto realizado, aceitando as sugestões dos que estão apoiando a nossa ideia, assim como as críticas construtivas que vão ajudar a melhorar a nossa ideia sobre o que queremos fazer.
Para isso é fundamental as parcerias de familiares, amigos e colegas de trabalho, bem como de investidores, empresários e outros profissionais que possam colaborar com a nossa travessia.
Com diz a musica do Milton Nascimento “Eu caçador de mim”…Que você se encontre, construa os seus pilares, tenha uma ponte forte e faça uma travessias segura.
Para facilitar essa passagem é fundamental a capacitação, a profissionalização, a busca permanente pela melhoria e pelo crescimento, assim o estudo, a realização de um curso é o primeiro tijolo do primeiro pilar que vai levar você para o sucesso. Se capacite, estude, torne-se especialista naquilo que faz e vá a luta…

Acesse: capacitacursos.com.br e faça o curso que vai mudar a sua vida.

14 de agosto de 2018 às 08:25h

Inteligência Artificial nova ameaça para os corretores

O futuro da profissão do Corretor de Imóveis será o de se transformar num Camelô de Imóveis se ele não mudar e se adaptar às novas tecnologias e não se preparar para esse novo mercado

Para esse texto Corretor de Imóveis será sempre àqueles que pelos menos fizeram o curso de Técnico de Transações Imobiliárias, que mesmo sem ser uma grande formação, não deixa de ser uma profissionalização, uma preparação e uma porta para entrar na profissão de corretor imobiliário.

Não vou me ater ao passado porque antigamente não existia essa necessidade de formação, nem a profissão era regulamentada e qualquer um podia ser corretor de imóveis, do mesmo jeito que hoje em dia qualquer um pode ser corretor de automóveis.

Antes de falarmos do corretor de imóveis falemos um pouco do camelô, aquele vendedor ambulante, que pega uma porção de “bagulhos”, “bugigangas”, “tralhas”, “alimentação”  e vai vender em um ponto qualquer de uma rua, numa festa ou em qualquer outro lugar. É o chamado ambulante que vende nas calçadas, nos becos, nas rodovias, enfim em qualquer lugar. Em função disso ele resolve ser “mascate” termo antigo que representava o vendedor porta a porta e vai com sua carroça, seus “brebotes” oferecer seus produtos aos potenciais clientes, sem nenhum demérito para os ambulantes, isso é apenas uma constatação da realidade desses trabalhadores nos dias de hoje.

No meio dos camelôs não existe o exercício ilegal da profissão, quem quiser ser, é só chegar com seus “bagulhos” e botar para comercialização. Já no meio dos corretores de imóveis, por ser uma profissão regulamentada existe a figura do falso corretor, chamado de “Zangão” pelos corretores e pelas entidades responsáveis pela fiscalização da profissão e, em geral, se diferenciam dos corretores por conta da habilitação junto ao Creci, Conselho Regional dos Corretores de Imóveis de cada estado.

Em geral o vendedor ambulante não tem uma qualificação, não estuda para ser vendedor de rua e entra nesse ramo por estar desempregado, por seguir a mesma trilha do pai, ou porque não encontra outra coisa para fazer num determinado estágio de sua vida, como um emprego com carteira assinada por exemplo.

Ainda essa semana um contador muito famoso de uma cidade do Nordeste, conversando com o dono da imobiliária soltou a seguinte pérola: “Meu filho não quer nada com a vida, não quer estudar, não quer trabalhar no escritório, então eu vim aqui falar com fulano (O dono da imobiliária) e trouxe ele comigo para ele ser corretor! Já que não quer nada, vai ser corretor, vai vender o que não tem, o que não precisa fazer e nem precisa ser dono, vai trabalhar com as coisas dos outros”.

Essa é a visão que muitos têm da profissão de corretor de imóveis: um bando de pessoas sem preparação, sem qualificação, sem especialização e por isso consideram que qualquer um que não faça nada, que não queira nada é só chegar e entrar no ramo imobiliário, virar primeiro um zangão, depois corretor e assim começar a vender muitos imóveis e ganhar muito dinheiro e ficar muito rico.

Pura ilusão!

O grande problema é que são tantos “zangões”, são tantos falsos corretores que atualmente a profissão de corretor está ficando igual a de camelô.

Em breve o nome deixará de ser “corretor de imóveis” e passará a se chamar “camelô de imóveis” e ao invés de pentes, espelhos, radinhos de pilha, pipoca, algodão doce que são as matérias primas dos ambulantes, o camelô de imóveis vai ter também uma carrocinha ou um tabuleiro com a marca da imobiliária na qual ele atua de forma irregular e ele sairá pelas ruas gritando: Olha ai “Minha Casa, Minha Vida”, quem quer um “2 Quartos com suíte”, tenho um “2 Vagas de garagem”, não perca “Terrenos pontos para construir”, ao mesmo tempo em que oferece os panfletos dos imóveis que são os seus “parangolés” do mercado imobiliário.

Temos visto diariamente nas imobiliárias, nas redes sociais, nos portais os “zangões” trabalhando livremente, sem fiscalização, sem denúncias e até mesmo corretores fazendo negócios com zangões. As próprias imobiliárias colocam “secretárias” e auxiliares que funcionam como verdadeiros agentes de vendas, como verdadeiros corretores, tomando o lugar do corretor habilitado.

Do mesmo modo também assistimos os bancos oficiais com seus correspondentes que também funcionam como “corretores de imóveis” disfarçados de auxiliares fazendo financiamentos, oferecendo produtos imobiliários e, enquanto isso, o verdadeiro corretor vai sendo marginalizado, escanteado, colocado no banco de reserva pelos maus empresários que tiram vantagem dos desempregados, dos “sem ter o que fazer”, oferecendo um mundo de riqueza e iludindo uma boa parte de pessoas que estão de fato interessados na profissão e que podem se decepcionar e assim o mercado deixar de ter bons profissionais.

Encontrei três desses que passavam o dia todo na internet e nos plantões, postando imóveis da imobiliária em que “apareciam como corretores”, esses estavam decepcionados com a profissão e voltaram a trabalhar em sapatarias e lojas de eletrodomésticos.

Trazem eles para seus escritórios e os colocam para dar plantões em situações degradantes e sem nenhuma perspectiva de algum ganho e eles só vão perceber que perderam tempo, depois de dois ou três meses e então vão deixar de ser “falso corretor”, vão deixar de ser “zangões” e vão procurar emprego nas sapatarias, nas lojas de departamentos, nos supermercados.

Não podemos esquecer que as construtoras também colaboram com essas irregularidades colocando seus funcionários, muitos dos quais sem serem corretores para venderem, oferecerem os produtos da empresa e negociarem imóveis como se fossem corretores.

Para completar temos as plataformas, os portais que já marginalizam os corretores promovendo negócios direto com os proprietários e, pasmem, quem entrou nessa agora foi a Caixa Econômica Federal com o programa: “Sua Casa Própria Negociada Diretamente com o Proprietário”. Ou seja, sem a figura do corretor de imóveis devidamente habilitado.

Para se ter uma ideia da desvalorização do profissional de corretagem imobiliária, cito como exemplo o que um corretor me disse essa semana, mostrando que numa cidade aqui pertinho de Caruaru, no escritório do “DELEGADO DO CRECI” isso mesmo, do Delegado do Creci, tem vários zangões trabalhando para ele.

Assim, sem uma fiscalização eficiente, ágil e presente a profissão de corretor de imóveis, vai se transformando na de “camelô de imóveis” sem nenhuma ação dos órgãos fiscalizadores para ampliar a punição, combater com mais eficácia as irregularidades, atender com mais presteza as denúncias que são feitas e que segundo alguns denunciantes são engavetadas e por fim, investir na capacitação desses profissionais.

Muitos corretores, defendem a Reserva Exclusiva de Mercado para o corretor de imóveis, da mesma forma que os advogados estão presentes nas ações judiciais e que na verdade seria um mecanismo que obrigaria a participação de um profissional (corretor imobiliário) no fechamento da transação imobiliária.

Já outros corretores atuam como verdadeiros soldados, vigilantes e combatentes ativos do exercício ilegal da profissão cobrando a legalidade nas publicações imobiliárias e, sendo muitas vezes, mal compreendidos pelos seus colegas de profissão, em geral àqueles que estão em situação irregular, seja por não ter a habilitação, seja por não pagar a anuidade, seja por não pagar o sindicato.

Aliás, esse é outro tema que está sendo muito discutido, qual o verdadeiro sentido do pagamento da anuidade e para que servem esses recursos, mas esse é um assunto para um próximo artigo, nesse momento vamos nos ater a situação atual do corretor de imóveis que passa pela maior transição de sua história.

O que fazer?

Só existe um caminho para o corretor de imóveis dar a volta por cima e se tornar imprescindível na transação imobiliária: a especialização. Se você tem problema no coração e a maioria dos corretores têm você procura um médico com especialidade em cardiologia. Da mesma forma se o seu carro quebra você busca um mecânico especializado no problema: motor, suspensão e assim sucessivamente.

Vejam o caso do Dr. Bum Bum aquele que matou a bancária aplicando produtos inadequados em ambientes inapropriados para a prestação de serviços hospitalares. Não era especialista, mas se fazia passar por um, resultado quebrou a cara e isso serve de exemplo para todos os outros profissionais e também para o corretor de imóveis.

A especialização será o futuro da profissão de corretor de imóveis!

daqui para a frente não terá mais a figura do corretor imobiliário, mas sim dos especializados: “corretor de loteamentos”, “corretor de alto padrão”, “corretor de minha casa, minha vida”, isso para a área de vendas e ainda corretor captador, corretor documentalista, corretor avaliador e assim ele terá a capacitação necessária para enfrentar esse novo mercado que cada vez mais vai buscar profissionais mais preparados para realizar as suas transações. Isso não significa que o corretor não saiba fazer as outras coisas, mas ele vai ser conhecido pela sua profundidade em determinado segmento, se já de venda, de aluguéis, de permutas, etc.

No mundo de hoje as pessoas não buscam bens, buscam experiências e nessas experiências querem encontrar especialistas. Elas não querem apenas uma casa própria, mas um ninho, um refúgio do mesmo jeito que os pássaros fazem seus ninhos, elas querem o comprometimento dos profissionais envolvidos na negociação, querem ter a certeza de que não serão enganadas e traídas e é assim para todo cliente do mais humilde ao mais abastado, o que não muda é a necessidade de um profissional extremamente envolvido e esteja atualizado.

A inteligência vai fazer a compra pelo cliente

Em pouco tempo nós teremos a Inteligência Artificial decidindo o que nós vamos comprar. E isso vale também para o mercado imobiliário. Um Inteligência Artificial que trabalhe para uma grande imobiliária pode perceber sem dificuldade e rapidamente qual é a necessidade de determinada para um novo empreendimento através da análise de todas as buscas feitas pelos moradores e pelos que procuram a região por imóveis na internet.

Assim vai saber que tipo de imóvel está sendo mais procurado e onde, permitindo dessa forma uma ação mais eficaz no sentido de atendimento visto que quando o cliente chegar achando que é ele que sabe tudo porque já procurou na internet, aí é você que vai surpreendê-lo, falando das coisas que ele prefere naquela localidade, ou das características do imóvel que ele quer.

Isso significa que teremos muito menos influência da publicidade para determinar o que o cliente vai comprar ou não, porque ele estará muito menos sensíveis aos apelos midiáticos e mais focado no seu próprio desejo. Dessa forma os critérios de escolha estarão baseados em elementos como preço, localização, serviços oferecidos, condições ideiais e acima de tudo adequado aos seus interesses de moradia, lazer e segurança. O novo corretor tem que aprender a trabalhar com todos esses fatores de forma simultânea, destacando àquele que é o mais fundamental no processo de escolha.

Isso se chama inovação e o corretor tem que aprender a aplicar os princípios digitais nos negócios do dia a dia de forma descomplicada, pragmática e focada nos resultados.

“Eu quero por isso, por isso, e por isso, mas se tiver aquilo eu fecho o negócio” é o famoso “mão na mão, mão naquilo e aquilo naquilo”…

O corretor já vai estar um passo na frente porque vai saber o que é “aquilo” que ele quer. Isso é assim desde o princípio quem já não ouviu aquela música “Índio quer apito se não der pau vai comer”. O índio continua querendo apito só que agora no computador…

Por Tomaz de Aquino
jornalista, corretor e perito avaliador
Texto escrito em 2015 e atualizado hoje (14.08.2018)

12 de agosto de 2018 às 06:38h

A Língua do homem e o poder da palavra

No dia dos pais um poema para reflexão e mudança!

A Língua do Homem

Aquele que na palavra não tropeça
é poderoso e perfeito
pode refrear todo seu corpo
e se tornar um homem sem defeito

A língua é como um pequeno leme
que livra a nau de ventos tempestuosos
evita grandes tempestades
desvia de tornados impetuosos

Mesmo sendo um pequeno membro
contamina todo corpo no dia a dia
inventa mentiras e esconde a verdade
de grandes coisas se vangloria

Como um pequeno fogo
Uma grande floresta incendeia
inflama o curso da natureza
Tudo destrói, tudo enfeia

Como o freio na boca do cavalo
assim é a língua se for domada
refreia todo seu corpo
evita uma situação indesejada

O homem domina toda a natureza
Feras, aves, répteis e animais do mar
Árvores, ervas e toda planta que há
Mas a sua língua não consegue dominar

Não consegue sua língua controlar
É como se fosse uma cobra venenosa
Cheia de peçonha mortal
sempre irada, sempre raivosa

Com ela bendizemos a Deus
e amaldiçoamos o irmão
feito a imagem e semelhança do Pai
Como é duro o nosso coração

Como pode de uma mesma boca
proceder bênção e maldição
Como pode uma mesma língua
pregar humildade e ostentação

Pode a figueira produzir azeitona
Ou manga vir de uma jaqueira
Uma gata gerar um cachorro
Ou um figo frutificar de uma videira

Porventura de uma mesma fonte
pode emergir água salgada e saborosa
de um mesmo manancial
brotar água doce e amargosa?

Só existem dois tipos de palavras
a boa e a ruim
a que provoca um recomeço
a  que determina um fim

Uma que como um tiro
derruba, destrói e mata
Outra que como bálsamo
Cura, salva e não descarta

Por isso, peça a Deus sabedoria
Para tirar a inveja do seu coração
e da sua alma o sentimento faccioso
Evite obra perversa e perturbação
Semeie a paz, justiça e comunhão
não guarde rancor, libere sempre perdão

Por Tomaz de Aquino
baseado no livro de Tiago capítulo 3.

19 de julho de 2018 às 10:01h

Crauaru ganha mais um grande empreendimento imobiliário

A Multtécnica engenharia traz para Caruaru o residencial Jardim São Francisco, localizado ao lado do Jardim Ipojuca e perto do Jardim dos Coqueiros. O conjunto é formado por apartamentos de 2 quartos, com suíte reversível e possui área de lazer completa, ruas pavimentadas, abastecimento de água, energia, saneamento, ônibus na porta e tudo dentro do programa Minha Casa, Minha Vida.

Com preços de R$ 122 mil e com subsídios de mais de 20 mil reais você vai ter a oportunidade de iniciar a sua vida de casado no seu ap e assim se livrando do aluguel.

Para mais informações acesse: www.tomazcorretor.com.br/perguntaqui ou passe um zap para 81 9.99892523

14 de julho de 2018 às 10:15h

Frio, vinho e boa música esse é o Virtuosi Gravatá

Começou ontem e vai até o dom8ngo 22 a décima edição doVirtuosi Gravatá. Durante 10 dias a nave da Igreja Matriz de Santana torna-se o palco por onde passa grandes nomes da música erudita nacional e internacional. Sob a coordenação do maestro Rafael Garcia músicos, cantores, tenores e instrumentalustas se revezam apresentando o que existe de melhor na música denominda clássica.
Quer ouvir uma boa música, no frioznho de montanha, comer um delicioso fondue e beber um excelente vinho então venha para Gravatá e curta a X edição do Virtuosi.
Para mais informações acesse: www.blogdotomaz.com.br e confira toda programação do evento.