15 de junho de 2018 às 05:34h

Maceió Recebe Encontro Nacional De Corretores De Imóveis Por Mercado Imobiliário

Maceió recebe do dia 30/08 a 01/09 o Encontro Nacional de Corretores de Imóveis o primeiro evento onde os facilitadores são corretores de imóveis e vivem o dia a dia do mercado imobiliário vamos ouvir e compartilhar as experiências de colegas de vários Estados do Brasil.

Onde o principal objetivo do encontro é discutir sobre as melhores técnicas que corretores de imóveis de diversas regiões do Brasil tem aplicado para ter sucesso no mercado imobiliário. Serão 2 dias de evento com muito conteúdo que realmente funciona e é aplicado no mercado imobiliário e um dia de passeio para conhecer pontos turísticos Maceió e a noite faremos uma confraternização entre os participantes.

Entre os facilitadores do primeiro Encontro Nacional de Corretores de Imóveis teremos : Luiz Henrique Stanger, Alysson Costa, Glauce Santos, Pierre Xavier, Alessandra Cavalcante, Marcello Costa, Denisson Carlos, Daiver Cambraia, Rejane Bandeira e outros a confirmar.

Faça sua pré inscrição em: http://bit.ly/encontrodecorretores. para receber informações sobre o evento.

O Evento tem o apoio do Portal Publicidade Imobiliária e como anfitrião e organizador o corretor de imóveis Maherval Chaves Silva Maherval Chaves – Creci 1241
Informações em: (82) 99948-4391

12 de junho de 2018 às 21:11h

Vida e Obra de Iberê Camargo na visão de Taís Luso

IBERÊ CAMARGO 1914 / 1994

No Vento e na Terra – 1991
‘O drama, trago-o na alma. A minha pintura, sombria, dramática, suja, corresponde à verdade mais profunda que habita no íntimo de uma burguesia que cobre a miséria do dia-a-dia com o colorido das orgias e da alienação do povo. Não faço mortalha colorida.’

Eu com Fantasmagoria – na Fundação Iberê Camargo

 
Fantasmagoria / 1987
 
Um dos grandes artistas do séc. XX, com uma obra extensa, gravuras, desenho, guaches e pintura a óleo, sua obra ‘Carretéis’, ‘Ciclistas’ e ‘Idiotas’ são de suas fazes mais conhecidas e comentadas. Iberê sempre exerceu forte liderança no meio artístico e intelectual. Suas obras foram reverenciadas nas Bienais de Tóquio, Madri, São Paulo, Veneza assim como participou, também, de inúmeras exposições no Brasil, França, Inglaterra, Estados Unidos, Escócia, Espanha e Itália. Seu acervo é composto por mais de 7000 obras – grande parte na Fundação Iberê Camargo.
O artista nasceu no ano de 1914, em Restinga Seca /RS.
Em 1942 recebeu do Governo do Estado uma bolsa para estudar no Rio de Janeiro, e partiu com Maria, sua esposa. Não cursou todo o Belas Artes por discordar de sua orientação acadêmica.
Integra-se, na época, ao Grupo Guignard onde expõe pela primeira vez sua ‘individual’ em Porto Alegre. Após ter conquistado um prêmio resolveu ir para Europa estudar com André Lothe e De Chirico. Voltou ao Brasil, e não se filiou a nenhuma escola, mantendo-se independente.
Isolado, num ateliê no Edifício Róseo, e depois na Lapa, Iberê dilacerou-se para escapar das influências poderosas de Portinari, Segall e Utrillo, esta a mais marcante e duradoura.
Aproximadamente em 1958, uma hérnia de disco provocada pela suspensão de um quadro no cavalete, obrigou-o a trabalhar quase que exclusivamente no ateliê. Seja por esta razão ou por motivos inconscientes, seus quadros começaram pouco a pouco a mergulhar na sombra. O céu das paisagens tornou-se azul-escuro, negro, dando ao quadro um conteúdo de drama. Surgem, então, os carretéis sobre a mesa, depois no espaço. Os carretéis são reminiscências da infância.

O Grito – 1984 

O Ciclista – 1990

Retratos, paisagens, naturezas-mortas, carretéis, explosões abstratas, tudo feito com paixão emergindo de uma força estranha. Tudo expressava um momento, muito longe da inércia.
Em 1980, num incidente em uma das ruas do Rio de Janeiro, o artista matou um homem. O caso teve enorme repercussão. Esse episódio deixou Iberê extremamente abalado fazendo com que o artista retornasse ao figurativismo. Iberê volta para Porto Alegre em 1982, abrindo seu atelier na rua Lopo Gonçalves. Continua a produzir muito, em 1986 abre seu atelier no bairro Nonoai, e lança o livro ‘No andar do tempo’ – 9 contos e um esboço autobiográfico.
Sua obra torna-se trágica, com figuras esquálidas, onde pode-se ver incutido no artista, a tragédia: mais solidão e sofrimento. Sua vida foi, praticamente, transportada para as telas, tanto em suas fases tumultuadas como nas mais calmas. Suas pinceladas deixaram uma história rica na trajetória das artes.
Todo o artista deixa sua vida nas telas brancas e frias; acabada a obra, tudo vira história, emoção, beleza e riqueza de detalhes. Mas, marcado por tragédias pessoais, a obra de Iberê mostra pinceladas dramáticas e amargas nos últimos anos de sua vida.
A série dos Carretéis surge por volta de 1959. Produz apenas no seu ateliê e passa a retomar temas ligados à sua infância. Ciclistas – 1984 – trazem um jogo entre o passado e o presente, usando a bicicleta como analogia do tempo. E Idiotas vem no início dos anos de 1990, quando a política do Brasil estava aos frangalhos.
Carretéis / 1958
 
Anos depois, bem mais adiante, veio a contrair um câncer de pulmão, levando-o a inúmeras sessões de radioterapia. E essa dramaticidade, de sua luta contra a doença ficou registrada em seus últimos trabalhos. Morre em 1994
A Idiota / 1991
 
De Iberê…
 
– As figuras que povoam minhas telas envolvem-se na tristeza dos crepúsculos dos   dias de minha infância, guri criado na solidão da campanha do Rio Grande do Sul.

– Não há um ideal de beleza, mas o ideal de uma verdade pungente e sofrida que é a minha vida, é tua vida, é nossa vida, nesse caminhar no mundo.
 
– Sou impiedoso e crítico com minha obra. Não há espaço para alegria.’
 
– Acho que toda grande obra tem raízes no sofrimento. A minha nasce da dor.

– A vida dói… Para mim, o tempo de fazer perguntas passou.

 
– O auto-retrato do pintor é pergunta que ele se faz a si mesmo, e a resposta também é interrogação.
 
– A verdade da obra de arte é a expressão que ela nos transmite. Nada mais do que isso!
 
Solidão / 1994
Minha contestação é feita de renúncia, de não-participação, de não-conivência, de não-alinhamento com o que não considero ético e justo. Sou como aqueles que, desarmados, deitam-se no meio da rua para impedir a passagem dos carros da morte. Esta forma de resistência, se praticada por todos, se constituiria em uma força irresistível. O drama trago-o na alma. A minha pintura, sombria, dramática, suja, corresponde à verdade mais íntima que habita no íntimo de uma burguesia que cobre a miséria do dia-a-dia com o colorido das orgias e da alienação do povo. 
Não faço mortalha colorida. Por que sou assim?
 
Porque todo homem tem um dever social, um compromisso com o próximo. 



 
Crepúsculo da Boca do Monte – 1991
Desdobramento II – 1972
Sobre a Fundação Iberê Camargo:
Fundação Iberê Camargo / Porto Alegre, Brasil


(Homenagem) Os Carretéis – defronte à Fundação
 
Iberê e Maria / 54 anos casados. 
Após o falecimento do artista, Maria ficou à frente da Fundação. 
Veio a falecer aos 96 anos.
Alvaro Siza, projetou a Fundação com a obsessão ‘siziana’: desde os parafusos sextavados em aço inoxidável, figuras de sinalização das portas dos banheiros e saídas de emergência, porta-lápis, cabideiros e lixeiras do setor administrativo como, também, de todo o mobiliário. Como se vê, tudo nos mínimos detalhes.

O arquiteto português é um dos cinco arquitetos contemporâneos mais importantes do mundo. O prédio tem salas expositivas, átrio, reserva técnica, centro de documentação e pesquisa, Ateliê de Gravura, Ateliê do Programa Educativo, auditório, loja, cafeteria, estacionamento e parque ambiental projetado pela Fundação Gaia.

Com 9,5 mil metros de área construída, prédio de curvas suaves, mas impactantes, construído num terreno doado pelo Estado, parceria público-privado.

No fundo do terreno foi preservado o paredão de rocha coberto por uma vegetação nativa. O aparelho de ar-condicionado funciona reciclando a própria energia que produz; a água que abastece os vasos sanitários vem da chuva, e sai já tratada.

A iluminação artificial reproduz o mesmo tom da clarabóia; camadas de lã de rocha isolam os ruídos externos e o mormaço do verão de Porto Alegre; um fosso, inacessível ao olhar dos visitantes, contorna todo o prédio de maneira que, se o Guaíba transbordasse, haveria enorme espaço a preencher até chegar ao estacionamento. Tudo perfeito para acolher parte das 7 mil obras produzidas pelo artista, as quais estão protegidas por um sofisticado sistema de segurança.

8 de junho de 2018 às 05:48h

Fabiano Carvalho comemora 100% das vendas do Morada Verde

Um bom projeto imobiliário nasce da decisão de se procurar os parceiros certos para a sua execução. A Construtora Vilar responsável pela implantação do Conjunto Residencial Morada Verde decidiu investir em Caruaru e procurou para parceria na área de vendas de seus produtos a Fabiano Carvalho Imóveis cujo histórico de sucesso dispensa comentários e assim nasceu um empreendimento que vinha destinado a fazer a diferença e a se transformar num sucesso de mercado.
Nascia assim o conjunto residencial Morada Verde  localizado próximo dos bairros Cidade Alta, Adalgisa Nunes e também da Faculdade Maurício de Nassau, da Ceaca e do Hospital da Mulher e da UPA. O conjunto Morada Verde se tornou o residencial mais próximo do centro a apenas 10 minutos de distância, o que representa comodidade e facilidade para seus moradores.
Aléem disso as casas do conjunto residencial Morada Verde tem a marca da Construtora Vilar que coloca a sua assinatura em inúmeros projetos já realizados na cidade e que geraram confiança e credibilidade junto à população que já conhece a qualidade dos projetos em função dos depoimentos de centenas de pessoas que já adquiriram as unidades residenciais projetadas e construídas pela empresa.
Somada a isso veio a parceria com a imobiliária campeã de vendas de Caruaru e detentora de um dos melhores índices comercialização do município a Fabiano Carvalho Imóveis que em apenas cinco anos de atuação desenvolveu e adotou princípios que passaram a servir de exemplo para outros empresários imobiliários da região, utilizando a verdade como moeda, a realidade como documento e a honestidade como assinatura, mostrando que é possível aliar bons negócios com boas práticas.
Isso tudo nos deixa felizes e satisfeitos por saber que também participamos de projetos assim que horam e dignificam os atores do mercado imobiliário entre os quais nos incluímos, visto que contribuímos com a comunicação imobiliária através da divulgação dos empreendimentos visando atrair clientes, pois essa é a nossa especialização: a criação de cases de sucesso para atração, engajamento e conversão de clientes.
Viva Caruaru, Viva a construtora Vilar, Viva a TV Colibri e viva os novos moradores que realizaram o seu sonho de ter a sua casa própria, pois essa é a nossa missão fazer com que os sonhos não se transformem em pesadelo.
Vamos em frente porque ainda falta realizar o sonho de muita gente…

4 de junho de 2018 às 06:08h

Como fazer uma faxina nas prateleiras do seu coração

É hora de esvaziarmos as prateleiras do nosso coração, jogando fora, no lixo, todas as coisas do passado que não nos servem mais. Todas as lembranças, mágoas, rancores, negócios desfeitos ou malfeitos, projetos que não andaram e estão atrapalhando o lugar de novas decisões mais promissoras e por fim os pensamentos negativos, os ressentimentos e o medo que nos impede de realizarmos grandes coisas como diz o nosso Deus.
Quando olhamos para as prateleiras do nosso coração cheias de tralhas, de coisas inúteis, de orgulho, vaidade, sentimentos de vingança, inveja, fofoca e mentiras percebemos o quanto ainda somos “carne” e não espírito. Que escutamos a Palavra de Deus mas não praticamos, não utilizamos os ensinamentos para fazer uma faxina definitiva com coragem, com vontade de realmente trocar as nossas caixas de bagulhos por outras cheias de coisas que realmente sejam importantes e necessárias para termos o que Jesus nos prometeu: Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize. João 14:27.Depois de limpara as prateleiras do nosso coração devemos começar a arrumar as novas caixas com ordem e descência porque isso agrada a Deus e assim colocaremos nelas os frutos do espírito que são: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança, justiça, verdade – Gálatas 5:22Então pegue os seus Dons e talentos e use com tudo que está dentro dessas novas caixas para auxiliar aos que precisam e agradar ao nosso Deus, porque será pelos frutos que nos conhecerão.

Tomaz de Aquino

3 de junho de 2018 às 06:10h

São João de Caruaru já começou

Um desfile rico em cultura e tradições abriu a temporada do São João 2018 na cidade de Caruaru. A equipe do Caruaru no Face realizou uma cobertura completa de como foi a chegada dos amantes das festas juninas na Estação Central de Caruaru.

Acompanhe com a gente:

Abertura do São João de Caruaru 2018

Posted by Caruaru no Face on Saturday, 2 June 2018

 

31 de maio de 2018 às 20:15h

A Arte do Reaproveitamento é uma missão do jornalista Tomaz de Aquino

Restaurar, Recuperar, Reciclar e Reutilizar é um hobby que aos poucos vai se transformando na principal atividade do jornalista Tomaz de Aquino. Depois que decidiu deixar a cidade grande, no ano 2000 e morar definitivamente na cidade de Gravatá, a 80 Km da  capital Recife, voltou a pintar telas e também madeiras velhas, coisa que não fazia há muito tempo.
Assim a utilização de restos de madeira, de portas velhas e de roupas usadas passou a fazer parte de sua produção artística nos finais de semana, visto que também é corretor de imóveis e durante a semana atua nessa função junto às imobiliárias da cidade.
Os seus quadros são pintados com tintas naturais feitas a base de argila e de pedras coloridas, bem como de folhas e outros materiais que possam dar a cor para o desenvolvimento dos trabalhos, utiliza também as tintas acrílicas. Pinta em lona crua ou telas feitas de tecidos usados como calças jeans e blusas de malhas que são afixadas em bases de madeiras feitas ou em chassis de madeiras de demolição ou de reflorestamento e depois colocadas em molduras de pinho reciclado.
Outra característica de sua produção é a pintura direta na madeira de portas e janelas jogadas no lixo ou retiradas de casas antigas quando são demolidas. O seu trabalho vem sendo exposto em várias lojas do Pólo Moveleiro de Gravatá como Artes da Serra, Época Móveis de Demolição, J Neto Móveis, Loyde Artesanato, Chão e Teto e muitas outras e tem agradado aos clientes que adquirem as suas obras e muitas vezes solicitam trabalhos personalizados, inclusive com frases criadas por ele, visto que também é poeta e membro da Academia de Letras e Artes de Gravatá.
Autodidata e que resume numa frase a sua atuação: “Sou um agricultor das letras. Aro a terra seca das idéias, lanço as sementes das palavras, adubo com a imaginação, irrigo com o suor da inspiração, com a razão faço a podação e colho histórias cheias de emoção, também sou cupim descumidor que refaz ao invés  de desfazer e com traços, cores e pincéis, transforma em arte o pau e a pedra, dando uma nova vida, criando um novo viés”.
Abaixo algumas obras do artista de fim de semana que trabalha no seu espaço, um misto de imobiliária, ateliê e serraria e que serve para expor as suas obras quando em execução.

28 de maio de 2018 às 12:16h

Uma poesia para esses dias confusos

Senhor como é bom saber que estás comigo
Que perdoas todos os meus pecados
Que sempre fostes meu amigo
Que me livra desse mundo conturbado
Que me dás segurança e abrigo
Que me faz um homem restaurado

Eu sei que se um dia eu cair
A tua mão vai me ajudar a levantar
Se do fundo do poço eu não puder sair
De lá com certeza tu vais me tirar
Vais me lavar e me vestir
Para que eu possa me recuperar

Porque tu me aceitas como eu sou
Um homem fraco, falho e pecador
Porque confia na tua proteção
Porque acredita no teu pleno amor
Sabendo que vou ganhar um novo coração
Para enfrentar toda tristeza e toda dor

Como Nicodemus vou nascer de novo
Porque um novo homem eu quero ser
Limpo, puro e santificado
Que a tentação do mundo vai vencer
Lutando todo dia contra o pecado
E somente a ti obedecer

Só vou prestar atenção no que importa
Quero ajudar a quem de mim precisar
Quero ouvir tu bater na minha porta
Dizendo se abrires vou contigo jantar
Os laços do inimigo tu sempre corta
E a minha vida para sempre vai mudar

Não quero juntar tesouro nessa Terra
Onde a traça e o ferrugem tudo consome
Porque não me adianta ganhar o mundo inteiro
Se eu não puder te chamar pelo teu nome
Pois de nada adianta ter poder, sexo e dinheiro
Se o meu espírito continua sentindo fome

Por isso a partir de agora decidi:
Que a minha vida a ti vou entregar
Vou deixar tudo para trás
Um novo caminho vou começar a trilhar
As coisas desse mundo não quero mais
Porque no céu contigo quero morar

Tomaz de Aquino
jornalista e corretor

22 de maio de 2018 às 09:53h

Falso corretor é autuado por propagandas

Um homem foi autuado por fiscais do Conselho Regional de Corretores de Imóvel (Creci) na quarta-feira (16) em Tambaú, João Pessoa, por exercício ilegal da profissão. Marcos Antônio Cavalcanti fazia trabalho de divulgação de imóveis nas mídias digitais e infringiu a lei que rege as atividades do mercado imobiliário.

Marcos Antônio não possui registro ao órgão como pessoa física ou jurídica, mas se apresentava em ferramentas da internet como parceiro de corretores e imobiliárias.

“Na hora de financiar também estaremos ao seu lado” diz em um dos prints, exaltando “parceria” que teria também com correspondentes bancários. Segundo ele próprio afirmou, cobrava 30% do valor líquido de cada comissão de 5% devida ao corretor de imóveis.

A operação foi coordenada pelo diretor de fiscalização do Creci-PB, Augusto Seixas e do coordenador de fiscalização Hermano Azevedo, acompanhados pela fiscal Valéria Paiva, que lavrou o auto.

O combate ao exercício ilegal da profissão é uma das prioridades da atual gestão e foi intensificada desde o seu início, através da instalação de mais três Delegacias nas cidades de Cajazeiras, Conde e Santa Rita e mais recentemente, da unidade móvel adquirida com recursos próprios, que percorre todo o estado, fiscalizando o programa MCMV, incorporações habitacionais e terrenos.

MaisPB

17 de maio de 2018 às 08:33h

Só em Gravatá e em nenhum outro lugar

Edilson da família Martins segura essa saborosa raridade

Só aqui na região do Agreste na cidade de Gravatá você encontra uma graviola de 10Kg vinda direto da Fazenda Martins na cidade irmã Chã Grande. Você precisa conhecer Gravatá, curtir seu clima de montanha com ares europeus, suas paisagens maravilhosas, suas cacheiras, suas florestas preservadas e seu povo maravilhoso.
Venha passar o São João com a gente, venha conhecer o Pólo Moveleiro, a Estação do Artesão, o Mercado Cultural, seus casarios, seu brejo de altitude, sua caatinga e suas festas e eventos.
É por tudo isso que Gravatá é conhecida como a Suiça Pernambucana – Um Lugar de Gente Feliz.

15 de maio de 2018 às 07:44h

A arte é uma forma de você encontrar um caminho para ser feliz

Desde muito cedo que comecei a pintar de forma autodidata, sem teoria, sem estudo, sem orientação, foi como um complemento do desenho, pois também sempre gostei de desenhar e que depois se juntou à escrita. Assim o desenho, a pintura e a escrita foi acontecendo na minha vida de forma natural, espontânea, como uma espécie de figa para o corre do dia a dia.
A arte entrou na minha vida como uma necessidade para manter o equilíbrio e a tranquilidade e cada ano eu pintava mais, escrevia mais e criava mais. Descobri a sustentabilidade e a adotei nas minhas obras trabalhando com materiais que seriam jogados no lixo, que seriam queimados em fornos de padaria e pizzarias ou então jogados pelas ruas. Assim nasceram os quadros ecológicos, reaproveitamento de portas, janelas, móveis em geral de madeira, mas também de mdf, duratex, que se transformam e ganham vida, ganham um novo sentido e uma nova função e passarão a fazer da vida de outras pessoas, diferentes da que fizeram uso dos materiais reciclados. Acredito que a nossa vida também que ter assim muitas vezes passamos décadas servindo a determinadas situações e auxiliando a muita gente que de repente nos descartam. Muitos se perdem nesse momento, entram em depressão e até morrem.
Da mesma forma muitas vezes somos vítimas de uma tragédia ou de algum acidente que modifica radicalmente a nossa forma de viver e deixamos de ser aquele que éramos até então para nos transformamos em outra pessoa com todas as sequelas do acontecimento. Dessa forma do mesmo jeito que aquelas madeiras inertes ganharam nova vida e passaram a ser úteis, a embelezar a vida das pessoas, nós também, todos nós podemos através da arte encontrar o sentido para a nossa vida. Descubra-se, reinvente-se, recicle-se, vire artista…
Me responda: O que você faria se de repente ficasse sem seus dois braços?
Veja o que faz Tom Yendell com suas pernas….

Armless Artist Paints With Feet

Art breaks barriers! 🎨 Tom Yendell

Posted by Spotlight on Monday, 30 April 2018