3 de fevereiro de 2015 às 07:59h

Advogado age como corretor e engana cliente

No NETV desta manhã uma reportagem sobre maus profissionais chamou a atenção do mercado imobiliário, particularmente dos corretores de imóveis. Na matéria a repórter mostrava que uma senhora contratou um advogado para cuidar da regularização de cinco terrenos e pagou pelos serviços a quantia de R$ 26 mil. Ela denuncia que foi enganada pelo advogado que não fez nada e não devolveu o dinheiro.

Na verdade maus profissionais existem em todas as áreas, mas o profissional indicado para resolver problemas imobiliários é o corretor de imóveis que deve ser devidamente habilitado junto ao CRECI – Conselho Regional dos estado onde atua.

Assim a reportagem deveria ter ouvido além do diretor d OAB, o representante do Creci que também teria informações valiosas a dar aos telespectadores.

Antes de contratar um advogado para resolver um problema imobiliário, contrate primeiro um corretor credenciado.

13 de janeiro de 2015 às 11:36h

Gravatá perde espaço no mercado imobiliário

Ninguém mais tem dúvidas de que a cidade de Gravatá deixou de atrair investimentos para o setor imobiliário como aconteceu até o ano de 2012.

Sem mudanças no código de obras, sem transformação no Plano Diretor, sem investimento em infraestrutura básica, sem aplicação de recursos em projetos de mobilidade e de melhoria da circulação pelas ruas do município, não resta outra saída para o capital a não ser buscar outras oportunidades em outras cidades.

Como não existe espaço vazio em política, os prefeitos de outras localidades como Caruaru, Bezerros, Chã Grande e Vitória de Santo Antão passam a oferecer vantagens aos incorporadoras e investidores que se mudam para esses locais com toda a sua estrutura de pessoal, equipamentos, etc., dando uma impressão de abandono para Gravatá.

Outro grande problema diz respeito a falta de projetos turísticos nos últimos dois anos, onde um secretário fraco e incompetente, dominado por um prefeito autoritário e inconsequente acabou com a movimentação de visitantes, sob os olhos complacentes de um Conselho de Turismo omisso e subserviente.

Tudo isso somado e mais as denúncias constantes de corrupção da atual administração leva os novos empreendimentos para áreas mais promissoras.

A oposição precisa ficar unida, abandonar o discurso vazio e partir para a prática criando projetos de lei de iniciativa popular. E alguns líderes que ninguém nunca sabe de que lado estão também precisam se mobilizar e cobrar ações que tragam de volta o glamour, o respeito e a credibilidade que Gravatá merece.