16 de Janeiro de 2017 às 05:46h

Joaquim Neto e Darita juntos com Armando, Bruno e Mendoncinha em 2018

Como disse antes a eleição de 2018 já começou. O governador Paulo Câmara vai para a reeleição e como certo já tem Raul Henry (PMDB) que vem sendo fortalecido pelo governo, sendo nomeado para a secretaria de Desenvolvimento Econômico e deve continuar na chapa como candidato a vice, além dele aparece Jarbas Vasconcelos (PMDB) para uma das vagas ao senado.

A outra vaga ao senado servirá para o governador negociar com aliados como o PR de Anderson ferreira e Sebastião Oliveira, o PDT de José Queiroz e até o PT, que sem opção pode optar pelo apoio ao PSB, para se manter na área de esquerda e não se isolar e ficar sem nada no estado, de repente o PT ocupa a outra vaga ao senado com Humberto Costa.

Já na oposição Aramando Monteiro agora é na base do vai ou vai. Não tem segunda opção, até porque encerra seu mandato de oito anos no senado e deve disputar o governo mais uma vez. Como numa decisão anterior o governador Paulo Câmara afastou de seu palanque o PSDB e o DEM, isyto é, Bruno Araújo e Mendoncinha, os dois ficam livres para disputarem as duas vagas de senador na chapa da oposição que serão abertas com as saídas de Humberto Costa e o próprio Armando.

Armando Monteiro sabe que um aliado que vem se tornando constante nas suas alianças é o PT e não vai querer abrir mão do apoio da legenda nas eleições de 2018, por isso deve oferecer a vaga de vice na sua chapa a Humberto Costa ou a João Paulo que perdeu a eleição de prefeito para Geraldo Júlio recentemente.

O problema é o desgaste do PT que pode atrapalhar a chapa de Aramando e também a aproximação dele com o PSDB e o DEM históricos adversários do PT no estado. Por isso o mais provável é que o PT faça carreira solo e marque apenas posição na eleição de 2018.

O que vai ser interessante serão essas reproduções nas cidades do interior. Em Gravatá, por exemplo, teríamos no mesmo palanque de Armando Monteiro, Joaquim Neto prefeito do PSDB ao lado de Darita ex-candidato do PTB e de Fernando Pinheiro adversários ferrenhos de Joaquim Neto.

 

15 de Janeiro de 2017 às 08:03h

João Dória um projeto de marketing político para o Brasil

Agora é a vez do Acelera Brasil

Agora é a vez do Acelera Brasil

O fenômeno João Dória que vem assombrando os políticos, por conta do discurso anti-político e do distanciamento com as práticas políticas atrasadas, na verdade não passa de um grande projeto de marketing político e eleitoral construído ao longo de mais de 20 anos, para se tornar o centro do poder no Brasil.

Quem analisar a biografia de João Dória vai ver que o seu padrinho para entrar na política e na vida pública, foi o ex-presidente Fernando Henrique quando o nomeou para o cargo de presidente da Embratur no seu primeiro governo em 1998. FHC é o mentor do projeto que está na sua segunda fase com vitória na eleição de São Paulo.

A terceira etapa desse processo consiste na eleição de João Dória para presidente do Brasil.

Ganhar no primeiro turno para prefeito de São Paulo fez história. Mostrar ações de merchandising logo no início da gestão atrai a visibilidade pública, desviar o foco do discurso de enfrentamento de dificuldades como está fazendo a maioria dos prefeitos para um leque de atividades que diferenciam o gestor com pensamento empresarial do gestor com pensamento político é outro diferencial que lhe credencia e o aproxima da população nacional.

O projeto consiste em alardear a não candidatura a reeleição, ou seja, demonstrar despreendimento do poder e compromisso com a promessa de campanha de não disputá-la. E ele ganhará nas duas situações: se por acaso a reeleição continua ele deixa a prefeitura e vai para o governo de Alckmin caso ele ganhe a presidência da República em 2018. Se a ereelição acabar, ele ganha mais um ano de gestão, o mandato passa a ser de cinco anos e ainda pode ser candidato a vice na chapa de Alckmin já que todas as eleições seriam realizadas simultaneamente.

Assim ele como prefeito de São Paulo dará o suporte a campanha de Geraldo Alckmin para presidente da República virará o homem forte da gestão. Quando Alckmin for para a reeleição, indiscutivelemnte o vice será João Dória, isso já em 22 e em 26 será a vez dele como sucessor de Alckmin.

Esse é o projeto de poder do PSDB para os próximos 10 anos e nesse cenário não cabe nem Aécio e nem Serra. Se por um acaso Alckmin não puder disputar a presidência da República agora em 2018, o candidato será João Dória, pois ele prometeu não disputar a reeleição, já deixar a prefeitura de São Paulo com dois anos de mandato e partir para uma disputa presidencial isso não foi prometido e nem discutido.

Portanto, enquanto o PSDB vem com uma nova proposta, o PT vai se costurando com seus velhos líderes e cada vez ficando mais distante do poder. A única força capaz de concorrer com o PSDB em 2018 será a Rede com Marina Silva que vai para sua terceira eleição e o povo tem mania de ter dó de quem perdeu uma, duas, três vezes.

Esse será um trabalho árduo do PSDB, desconstruir Marina Silva nos próximos dois anos.

13 de Janeiro de 2017 às 09:23h

A comunicação é a chave do sucesso na área de vendas

Essa crise mostrou que o importante para quem atua com vendas, política, liderança empresarial, etc., é a arte da comunicação. Parafraseando Falcão, humorista brasileiro, a comunicação não é tudo, mas é 100%.

Sendo assim, de nada adianta você ter um excelente produto ou serviço se você não sabe comunicar o que você tem, se você não sabe apresentar e apresentar-se. De nada ter um excelente plano de marketing, uma campanha publicitária arrasadora se a comunicação do emissor não se articular bem com quem vai receber a informação, o receptor.

Através da comunicação você consegue convencer alguém de alguma coisa, persuadir uma pessoa a adquirir o seu produto, demover outra de uma ideia contrária a sua e fazê-la acreditar que a sua é a melhor. Isso faz parte da comunicação, do discurso, da apresentação, o resto é marketing, técnica de vendas, estudos de coach, etc.

Como diz Aristóteles em seu trabalho sobre a  Arte da Retórica: “todas as pessoas de alguma maneira participam da dialética ou da retórica”.

E explica o que é cada uma: para ele “A dialética é a arte de, no diálogo, na comunicação, demonstrar uma tese por meio de uma argumentação que seja capaz de definir e distinguir claramente os conceitos envolvidos na discussão, ou seja na arte da comunicação”.

Já a retórica é o conjunto dos elementos usados pela comunicação, isto é pelo discurso, pela dialética e que no final das contas se resume a uma situação onde: “todas as pessoas tentam em certa medida questionar e sustentar um argumento, defender-se ou acusar”.

Dessa forma Aristóteles analisa e fundamenta os três gêneros retóricos, ou discursos dos quais as pessoas se utilizam para atingir os seus objetivos, que são:

  1. O discurso deliberativo (que procura persuadir ou dissuadir);
  2. O judiciário (que acusa ou defende), e
  3. O epidítico (que elogia ou censura de forma sensacionalista, através da ostentação).

Nesse contexto o plano emocional também é analisado em sua relação com a recepção do discurso retórico e inclui uma série de elementos, como a ira, amizade, confiança, vergonha e seus contrários para serem analisados, bem como o caráter dos homens (dos jovens, dos ricos, etc.).

Conhecendo o tipo de discurso que vai se utilizar, então se parte para o estilo e a composição da proposta de comunicação incluindo elementos como clareza, correção gramatical e rítmo, além do uso das metáforas completando as partes que compõem um discurso que se torne vencedor.

Muitas pessoas mesmo sem saber são mestres na arte da retórica, usa as técnicas, desenvolve os talentos da argumentação, trabalha os gestos e isso tudo de forma natural e espontânea, esses são os grandes oradores, os gênios da comunicação que em suas áreas política, econômica, social, etc, fazem a diferença e se destacam.

Já outras precisam se preparar para comunicar alguma coisa a alguém. Têm que estudar, aprender as técnicas, entender como utilizar os argumentos na hora certa, compreender como trabalhar os elementos da retórica de dissuasão persuasão, aprofundar-se nos tipos de discurso e assim mesmo sem o dom natural se destacam.

Logo, qualquer um, mas qualquer um mesmo pode se tornar um grande comunicador, pode ser um excelente vendedor e fazer sucesso. Para os que já possuem o dom natural tudo é mais fácil, entretanto, para os que não nasceram com o dom da palavra devem investir em cursos de oratória e comunicação a fim de adquirirem a capacidade de se apresentarem bem e apresentarem com eficiência o seu serviço ou o seu produto.

E isso responde porque é que mesmo em crise, diversos profissionais cresceram, aumentaram seus ganhos, passaram pela turbulência de forma tranquila, isso aconteceu porque eles souberam modificar os argumentos a serem utilizados e adaptaram os seus discursos para o momento de dificuldade e de crise que o mercado atravessa.

Por Tomaz de Aquino
jornalista, corretor de imóveis e palestrante
autor dos livros:
“Como Sair do Anonimato e Vender Mais”, “Caçadores de imóveis- a Captação de Imóveis e Clientes no Mercado Imobiliário”, “Um Guia para a Vitória”.

6 de Janeiro de 2017 às 19:16h

Brasileiro é preso com US$20 mi no colchão nos EUA

Olha a realidade que é mostrada quando se descobre os espertos que gostam de enganar inocentes que pensam que vão enriquecer rapidamente. 

TelexFree/Divulgação

Aproximadamente US$ 20 milhões (cerca de R$64 milhões) foram descobertos embaixo do colchão de um brasileiro no estado de Massachussets, nos Estados Unidos. O montante foi encontrado após a prisão de Cléber Rene Rizério Rocha, de 28 anos, indiciado por procuradores federais de Boston pelo crime de lavagem de dinheiro. A prisão foi fruto de uma investigação que envolvia a TelexFree e conseguiu comprovar que a empresa trabalhava em um esquema de pirâmide.

As informações foram cedidas pelos procuradores norte-americanos. Ainda segundo eles, Cléber foi preso após uma audiência na justiça. A Telexfree, fundada pelo americano James Merrill e pelo brasileiro Carlos Wanzeler, era sediada em Marlborough, Massachusetts e tinha como produto de divulgação serviços de voz na internet (Voip). A empresa havia pedido falência em abril de 2014, com dívida de US$ 5 bilhões (cerca de R$ 6 bilhões) a seus participantes. No total, cerca de 965 mil vitimas, entra elas brasileiras, perderam US$1,7 bilhão (aproximadamente R$ 5,5 bilhões) com o fracasso do esquema, descrito como marketing multinível.

Segundo o jornal Boston Globe, Merril já havia sido preso em 2014 e o seu sócio brasileiro, Wanzeler, teria voltado ao Brasil sendo impossibilitado de ser extraditado. Seu sobrinho, Cléber Rocha, atuava como seu mensageiro e foi flagrado após conhecimento, pelos investigadores, do esquema de lavagem de dinheiro instaurado de Hong Kong ao Brasil. O advogado de Wanzeler não fez comunicado oficial à imprensa.

Fonte: https://www.facebook.com/jornaldiariodepernambuco/?fref=ts

6 de Janeiro de 2017 às 18:48h

Governador escolhe segundo colocado para Procurador Geral e dai? Não pode?

Francisco Dirceu com o governador Paulo Câmara

Francisco Dirceu novo procurador com o governador Paulo Câmara (foto folhape)

Tem discussões que são sem lógica e sem sentido e só servem para gerar notícias vazias e sem conteúdo na mídia de Pernambuco. Recentemente aconteceu como é de praxe a escolha do novo procurador Geral do Estado a partir de uma lista tríplice encaminhada pelo MPPE.

Três nomes foram enviados ao governador Paulo Câmara para escolha de um deles: José Paulo Cavalcante Filho, o mais votado com 209 votos; Francisco Dirceu Barros que teve 192 ficando em segundo lugar e em terceiro ficou Charles Hamilton dos Santos Lima que obteve 188 votos.

Após a eleição a lista foi encaminhada ao governador que optou pelo segundo colocado sem ferir nenhuma lei ou regra do processo de escolha do procurador.

Se fosse para nomear o mais votado a lista tríplice não teria sentido, seria inócua. Se querem que o escolhido seja o mais votado, então deve -se primeiro alterar os critérios de escolha para evitar esse tipo de notícia, esse debate fabricado pela mídia que só serve para desviar a atenção dos principais problemas do estado.

Para apimentar a discussão a mídia fica insinuando pressão do presidente da Alepe, Guilherme Uchoa para criar intrigas entre ele e o governador e que não vai acontecer de jeito nenhum.

Que a mídia passe a noticiar o que de fato precisa ser noticiado, afinal de contas o que mudaria se no lugar de Francisco, fosse José ou Charles, respondo: nada, não mudaria nada!

A César o que é de César! E é do governador o direito de nomear o candidato que ele quiser entre os três mais votados.

5 de Janeiro de 2017 às 21:18h

Política também é estratégia e inteligência e se ganha até com menos votos

Nino da Gaiola o primeiro da esquerda e Paulo Farias o último da direita não vão perder seus mandatos

Nino da Gaiola o primeiro da esquerda e Paulo Farias o último da direita não vão perder seus mandatos

O prefeito Joaquim Neto conseguiu eleger uma bancada de sete vereadores ( 1 Léo do Ar, 2 Bolo de Areia, 3 Néo do Boi, 4 Nêgo Suíno, 5 Dode Flores, 6 Tonho da Rodoviária, e 7 Val do ônibus.  Na oposição ficaram 8 – Paulo Farias, 9 – Nino da Gaiola, 10 – Miaeiro, 11 – Leo Giestosa, 12 – Marcelo Motos, 13 – Regis da Compesa, 14 – Gustavo da Serraria e 15 – Júnior de Paulo.

Na eleição para a mesa da câmara o prefeito Joaquim Neto perderia tranquilamente para a oposição e não faria o presidente como vários prefeitos não conseguiram fazer. Só que JN buscou na oposição a solução que faltava para garantir a vitória do seu candidato.

A situação lançou o nome de Léo do Ar do PSDB e a oposição lançou o nome de Marcelo Motos do PSB, até ai tudo normal e o embate seria entre os dois e quem fosse do PSB teria que votar no candidato de seu partido  para não cometer infidelidade e correr o risco de perder o mandato num processo na justiça, movido pelos caciques da legenda.

Duas semanas antes na casa do prefeito Joaquim Neto dois vereadores do PSB, Nino da Gaiola e Paulo Farias participaram de uma reunião que não foi para discutir se ia ter Festa de Reis ou não.

No dia da eleição para a câmara para surpresa de todos os dois se lançaram candidatos a presidente, ficando a oposição com três candidatos: Marcelo Motos, Paulo Farias e Nino da Gaiola, o que é permitido pelo regimento, pois qualquer parlamentar pode colocar o seu nome na disputa.

Apurado o resultado não deu outra: Léo do Ar – sete votos, Marcelo Motos – seis votos e Paulo Farias e Nino da Gaiola um voto cada um, pois eles votaram neles próprios. E ainda por outra coincidência do destino político foram eleitos para a mesa diretora, quase como um prêmio de consolação por terem tido apenas um voto para presidente.

A oposição que tinha certa a vitória para a presidência da câmara foi pega de calça na mão e ficou abaixadinha, tendo que engulir os dois votos do PSB ajudando a eleger o candidato da situação.

É isso que faz a diferença de um candidato vitorioso (Joaquim Neto) para um derrotado (Osano Brito). Saber articular, saber fazer as composições necessárias, buscar apoios no lugar certo e ter uma boa assessoria que possa estudar tanto as questões legais, quanto as de marketing, definindo estratégias que consolidem o projeto traçado, mostrando que eleição se ganha até quando se tem menos votos.

 

4 de Janeiro de 2017 às 19:12h

Ex-procurador da prefeitura acusa a Câmara pela não aprovação do orçamento para 2017

Segundo o ex-procurador da prefeitura Romero Borja a câmara realizou alterações irregulares no projeto da Lei de Orçamento Anual  – LOA que garante o funcionamento normal da prefeitura no ano de 2017. Ainda segundo o representante da intervenção o procurador da Câmara de Gravatá reconheceu o erro e pediu que a prefeitura vetasse o projeto, que só foi devolvido pela câmara para sanção no último dia do ano, impossibilitando qualquer correção.

Veja a nota do ex-procurador da prefeitura:

“A LOA foi enviada no prazo correto! A câmara realizou alterações incorretas/vedadas na própria LDO e na lei 4.320; Quando nós recebemos o projeto da câmara ainda tentamos corrigir o erro, encaminhando o projeto de volta. A câmara tinha tempo hábil para corrigir o erro, mas só devolveu o projeto no dia 30.12.2017. A Intervenção não poderia sancionar o projeto sabendo que o mesmo estava errado, incidiria em crime de responsabilidade fiscal e ato de improbidade administrativa. O próprio controlador da câmara concordou que a Prefeitura vetasse a lei. Agora, se realmente existe vontade da atual gestão, em promover a Festa de Reis, é simples de resolver: convoca a Câmara para uma Sessão Extraordinária e vota a LOA. Não existe nenhum mistério nisso, nenhuma dificuldade. A Lei Orgânica do Município, concede esse poder ao Prefeito, em seus artigos 21 e 59, inciso X”, disse, Romero Borja – Ex-Procurador do Município de Gravatá.

A convocação extraordinária já foi feita pelo atual presidente da câmara vereador Léo do Ar e assim a LOA deverá ser aprovada em breve. O que não vai acontecer é a festa de Reis que já foi cancelada pelo atual prefeito numa reunião hoje pela manhã com o trade turístico e a imprensa.

Uma coisa que talvez nossos vereadores deveriam fazer seria abrir mão dos recursos para convocação extraordinária ajudando a atual gestão e assim economizando dinheiro para novos projetos.

4 de Janeiro de 2017 às 07:07h

Dia 4 de Janeiro – Olhar para a frente aproveitando o passado para conhecer o presente e construir o futuro.

Os teus olhos olhem para a frente, e as tuas pálpebras olhem direto diante de ti. Provérbios 4:25

Muita gente leva a vida olhando só para o passado. Passam os dias no espelho retrovisor, nunca tiram a vista das coisas passadas e aí não tem como enxergar o que tem pela frente.
Não esquecem de nada que lhes fizeram, são melindrosas por conta das lembranças passadas, não acreditam que alguém pode mudar de verdade, ficam presas a sentimentos negativos como a raiva, a ira, o rancor, o ódio e principalmente a pensamentos de vingança, desejando mal a outra pessoa o tempo todo.
Os nossos olhos só vão olhar para frente quando liberarmos perdão para quem nos magoou. Só vamos enxergar diante de nós quando espanarmos de nossa vida a poeira do ressentimento e só assim seremos felizes.
Ninguém pode ser feliz ruminando mágoas. Ninguém pode ter vida em abundância preso ao passado, pois caminha sempre para trás, sem nunca avançar nos seus projetos, visto que seu coração está cheio de coisas que só fazem atrasar as nossas vidas.
A boca fala do que o coração está cheio. Diz a Palavra de Deus. Se seu coração está cheio de angústia, de amargura, de tristeza é disso que você vai falar. E como os olhos são a janela de alma, é isso que eles vão mostrar e é para isso que eles vão olhar.
Portanto, aproveite esta primeira semana do ano para tirar seus olhos do espelho retrovisor da sua vida, esvaziar seu coração de tudo que é negativo e atrasa a sua vida e encher de coisas novas.
Faça uma lista somente de coisas positivas que você deseja que aconteça este ano. Liste todos os seus sonhos positivos. Não coloque nesta lista nenhum pensamento mal sobre alguém, nenhuma coisa desagradável, nenhum sentimento asqueroso. Não importa o tamanho da lista, nem a quantidade de coisas que você vai listar. Olhe para esta lista todos os dias, pense nela enquanto estiver trabalhando, passeando, andando.
Dessa forma seu coração estará sendo esvaziado do que não presta e preenchido com o que importa. Lembre-se tudo depende da sua decisão.

É você quem vai escolher como vai ser este novo ano na sua vida.

Por Tomaz de Aquino da Rota 232.

3 de Janeiro de 2017 às 22:05h

Prefeitura convoca imprensa para tratar da Festa de Reis

O prefeito Joaquim Neto convocou a imprensa para tratar sobre a Festa de Reis do município. A reunião acontece as oito horas da manhã no gabinete do prefeito.

A festa de Reis é tradicional do município e como a população está ansiosa pelo retorno dos grandes eventos, espera ser esta festa o ponta pé inicial da retomada da cidade como destino turístico, visto que muita gente está de férias na região e tendo um evento em Gravatá terão mais uma opção de lazer.

 

3 de Janeiro de 2017 às 20:48h

Adutora do agreste tem obras retomadas a partir de hoje

adutoraEssa notícia é muito boa para as cidades do agreste em, particularmente, para Gravatá, pois assim a grave situação do abastecimento pode melhorar num curto prazo, visto que dependem da conclusão dessa obra iniciada na gestão de Eduardo Campos.

Obras da Adutora do Agreste têm ritmo acelerado a partir de hoje 

A Adutora do Agreste, a maior obra hídrica em execução no Brasil, ganhará um novo ritmo a partir de hoje (2). Os quatros consórcios envolvidos nas obras dos Lotes 1, 2, 3 e 4, além do início de mais uma frente de trabalho com o Lote 5, já começam a mobilizar equipamentos e profissionais para imprimir celeridade às intervenções. Isso será possível graças à retomada da liberação de recursos por parte do governo federal, que não estavam sendo repassados com a regularidade necessária para tocar o empreendimento. Com a liberação do último aporte de 2016, no valor de R$ 42 milhões, na terça-feira (27) passada, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) fechou o ano com o montante liberado de R$ 142 milhões. A expectativa é que Toritama seja a primeira cidade a receber água pela Adutora do Agreste, em maio deste ano, seguida por Santa Cruz do Capibaribe, no mês de setembro.

Diante da necessidade urgente de levar água para os municípios do Agreste que sofrem com os efeitos do sexto ano consecutivo de seca, o governador Paulo Câmara solicitou à Compesa a realização de estudos e projetos para que fosse dada uma funcionalidade às tubulações da adutora já construídas. Na concepção original do projeto, a Adutora do Agreste seria alimentada pelo Eixo Leste da Transposição do Rio São Francisco, quando fosse concluído o Ramal do Agreste, obra do governo federal que está prevista agora para ser finalizada só em 2022. “Estamos enfrentando a maior seca do século. O nosso corpo técnico apontou alternativas para antecipar o uso da adutora e a chegada da água nos 23 municípios mais castigados pela estiagem”, contextualiza o diretor Técnico e de Engenharia da Compesa, Rômulo Aurélio Souza, informando que o saldo em caixa de R$ 80 milhões permitirá a retomada das obras da Adutora do Agreste.

“Essa foi a segunda maior liberação de recursos desde o início do empreendimento em 2013. Com essa repactuação, e se for mantido o calendário financeiro de 2017, o repasse de recursos pode chegar a R$ 370 milhões, o que garantirá o avanço significativo do projeto”, informa. De acordo com o diretor, uma das alternativas para antecipar a chegada da água será a Adutora do Moxotó, a primeira ligação da Transposição com as regiões do Sertão e Agreste de Pernambuco. A Compesa vai “puxar” a adutora, de 70 quilômetros de extensão, pela BR 232 até Arcoverde, e de lá seguir por um trecho de 130 quilômetros da Adutora do Agreste até Pesqueira, Belo Jardim e São Caetano. Essa engenharia vai tornar possível levar água da Transposição, captada na Barragem do Moxotó, situada no distrito de Rio da Barra (Custódia), no Sertão, até a cidade de São Caetano, no Agreste, com uma vazão de 450 litros por segundo.

As obras das etapas 1 e 2 da Adutora do Moxotó também ganharão celeridade a partir deste mês, com cerca de 200 trabalhadores atuando em dez frentes de obras. A previsão para concluir o empreendimento é março de 2018, no entanto, a Compesa vai dedicar esforços para finalizar a Adutora do Moxotó antes do prazo, e entregar a obra em dezembro deste ano. Também está sendo estudado pela companhia a possibilidade de levar a água da Transposição a partir de captação na Barragem de Sertânia, adiantando a chegada para o próprio município de Sertânia. Além disso, os trechos da Adutora do Agreste que vão de Caruaru a Toritama, e de Toritama a Santa Cruz do Capibaribe, serão finalizados para começar a receber água do Sistema do Pirangi, a partir dos meses de maio e setembro de 2017, respectivamente. O Sistema do Pirangi já está na reta final de conclusão das obras e vai levar água do município de Catende, na Mata Sul do estado, para a Barragem do Prata, situada em Bonito, beneficiando dez cidades do Agreste.

Outra obra que irá antecipar o uso da Adutora do Agreste será o sistema adutor executado a partir dos poços de Tupanatinga, composto de 20 poços – sendo quatro já perfurados. O edital para a perfuração das outras 16 unidades será publicado no dia10 de janeiro e irá contemplar também a construção de estrada de acesso, estações de bombeamento e uma adutora de cerca de 80 km de extensão. Vai atender os municípios de Venturosa, Pedra, Buíque, Tupanatinga, Itaíba, Aguas Belas e Iati. “A nossa expectativa é concluir o processo em dois meses, já que tudo será feito dentro do modelo de RDC (pregão), e executar a obra em 15 meses”, revela Rômulo Aurélio.

15 frentes de trabalho simultâneas em 2017

A adutora será a redenção do Agreste, região que possui o pior balanço hídrico do Nordeste. Em janeiro, a obra voltará com força total em 15 frentes de trabalho situadas ao longo da BRs 232 e 104. Serão gerados mais de quatro mil empregos diretos e indiretos nos canteiros de obras localizados em Caruaru, Toritama, Santa Cruz do Capibaribe, Itaíba, Águas Belas e São Caetano. Em maio de 2017, está previsto o início das obras do Lote 5 que irão implantar um trecho de 40 quilômetros da adutora entre os municípios de Belo Jardim, São Bento do Una e Lajedo. No Lote 5, serão agregados cerca de 200 postos de trabalho.

Hoje, dos 420 quilômetros da adutora (previstos para os quatros lotes), quase 300 já estão concluídos, o que corresponde a 70% da adutora – toda obra, que inclui um moderno sistema de bombeamento e uma estação de tratamento de água, está 45% finalizada. Em termos de investimentos, do total de R$ 1,4 bilhão orçados para o empreendimento, até o momento foram executados R$ 610 milhões. Ao final do projeto, a Adutora do Agreste irá consumir R$ 1,4 milhão e beneficiar mais de 2 milhões de pessoas em 68 municípios do Agreste, além de 80 localidades.

Transposição – O cronograma de início da operação da Transposição do Rio São Francisco será antecipado em 30 dias, no começo de 2017, graças ao empréstimo de quatro conjuntos de motobombas feito por meio de um Termo de Cessão de Uso não Oneroso, assinado pelo ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, no dia 26 de dezembro. O maquinário foi utilizado pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) durante o período de restrição hídrica em São Paulo, com a queda do sistema da Cantareira. Os equipamentos podem bombear 2 mil litros de água por segundo e irão acelerar a passagem da água pelas estruturas já construídas do Eixo Leste para beneficiar os estados de Pernambuco e Paraíba.

Se o cumprimento dessas etapas acontecerem dentro dos prazos, em breve a população agrestina vai sair do sufoco que vem vivendo há muitos anos e vai poder dar adeus ao racionamento.